publicações & documentos

Atas da 5ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto publicadas recentemente nos Cadernos BAD

Atas da 5ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto publicadas recentemente nos Cadernos BAD

Foi publicado no final do passado mês de dezembro o número dos Cadernos BAD (nº2, 2014) que contém os artigos e resumos dos trabalhos apresentados na 5ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) realizada nos dias 6, 7 e 8 de Outubro de 2014 na Reitoria da Universidade de Coimbra.

CapaCadBAD22014_publicadaEste número dos Cadernos BAD – publicação da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas – disponibiliza em acesso livre os artigos das comunicações da ConfOA, bem como o resumo das PechasKuckas apresentadas.
Como descrito no editorial deste número especial, “ainda que a maior parte dos trabalhos tenha como foco os repositórios institucionais, o leque de temas abordados na ConfOA, e agora publicados, abrange um largo espectro, que vai desde a gestão de dados científicos, até à publicação de revistas científicas ou as políticas de acesso aberto, passando pelas questões dos direitos de autor, da bibliometria, da interoperabilidade e dos sistemas de gestão de informação científica”.

Consulte os Cadernos BAD em www.bad.pt/publicacoes/index.php/cadernos.

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access - OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 6 de Janeiro de 2015 Read More →
Resultados do estudo sobre os dados científicos gerados no âmbito da investigação produzida na Universidade do Minho

Resultados do estudo sobre os dados científicos gerados no âmbito da investigação produzida na Universidade do Minho

Os Serviços de Documentação da Universidade do Minho estabeleceram para os anos de 2014 e 2015 um plano de intervenção para serviços de suporte à gestão dos dados científicos gerados no âmbito da investigação produzida na UMinho. Este plano decorre de uma estratégia integrada dos SDUM para procurar garantir e propor sistemas e serviços de suporte à gestão de dados científicos na UMinho.

A gestão de dados científicos reveste-se atualmente de particular relevância no contexto das instituições de investigação e dos organismos financiadores da ciência, pelo que se tornou indispensável para os SDUM conceberem estratégias de atuação institucional que respondam à necessidade de maximização do valor dos dados gerados nas atividades de investigação, e em concreto às exigências dos organismos financiadores, em particular da Comissão Europeia, no quadro do Horizonte 2020, e da FCT, no contexto do piloto de dados da política de Acesso Aberto.

dados cientificos na uminho relatório

Acesso ao relatório completo em PDF

Como resultado de primeira etapa no desenvolvimento desta estratégia de ação – compreender a realidade atual da gestão dos dados científicos produzidos na UMinho – os SDUM publicaram recentemente o “Estudo sobre os Dados Científicos gerados no âmbito da investigação produzida na Universidade do Minho”.

Este relatório apresenta os resultados obtidos através de um inquérito realizado por questionário junto dos investigadores e centros de investigação da UMinho, com o intuito de se obter um melhor conhecimento sobre a natureza dos dados científicos, identificar o tipo de dados produzidos, as práticas de gestão associadas e averiguar a pertinência de serviços de suporte neste domínio.

O texto completo do relatório está disponível no RepositóriUM em http://hdl.handle.net/1822/29948, e os dados recolhidos com o inquérito por questionário estão igualmente acessíveis via RepositóriUM em http://hdl.handle.net/1822/299489.

Referências:

  • Rodrigues, Eloy; Boavida, Clara; Truta, Raquel; Príncipe, Pedro; Carvalho, José; Saraiva, Ricardo (2014). Análise dos resultados do inquérito sobre dados científicos produzidos na Universidade do Minho. Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Disponível em linha: http://hdl.handle.net/1822/29948
  • Rodrigues, Eloy; Boavida, Clara; Truta, Raquel; Príncipe, Pedro; Carvalho, José; Saraiva, Ricardo (2014). Análise dos resultados do inquérito sobre dados científicos produzidos na Universidade do Minho [Dados]. Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Disponível em linha: http://hdl.handle.net/1822/299489

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access - OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 30 de Setembro de 2014 Read More →
Produção científica da Universidade do Minho indexada na Web of Science 2008-2012

Produção científica da Universidade do Minho indexada na Web of Science 2008-2012

Os Serviços de Documentação da Universidade do Minho concluíram o relatório da produção científica da Universidade do Minho indexada na Web of Science de 2008 a 2012.

Este trabalho teve por base o estudo similar que a Universidade do Porto vem realizandoglasses-272401_640,  e contou aliás com a colaboração do Serviço de Melhoria Contínua da Reitoria da Universidade do Porto e do REQUIMTE – Research Metrics da Universidade do Porto, constitui um primeiro passo para um mais amplo trabalho de sistematização, análise e monitorização da produção científica da Universidade do Minho, que se pretende desenvolver e aprofundar nos próximos anos.

Por se tratar de uma primeira aproximação à análise de produção científica da Universidade do Minho, na sua divulgação entendeu-se ser conveniente sublinhar o seu âmbito e demarcar os seus objetivos. Assim,

a)     O documento não analisa, nem pretende representar, o conjunto da produção científica da Universidade do Minho (que vai muito para além das publicações referenciadas nas bases de dados ISI, sobretudo em algumas áreas disciplinares que se sabe estarem claramente sub-representadas nessas bases). O relatório reporta-se exclusivamente às publicações ISI, por serem uma das principais fontes de análise bibliográfica em termos internacionais e para permitir a comparabilidade com estudos similares. Nos próximos anos, procurar-se-á alargar o âmbito da análise a outras bases de dados referenciais (como a Scopus e outras).

b)      O presente documento, bem como os que virão a ser produzidos nos próximos anos, pretende recolher e analisar dados (ainda que parciais) sobre a produção científica da Universidade do Minho (e das suas unidades orgânicas), permitindo a comparação dos dados da UMinho quer com os dados relativos a Portugal no seu conjunto, quer com dados similares de outras universidades portuguesas. Mais do que a “fotografia” que os dados de cada ano podem proporcionar ou do que a comparação  entre as unidades orgânicas (que na maioria dos casos será desajustada, dada a desigual cobertura temática da fonte de informação utilizada e as práticas de publicação diferenciadas), importa considerar a evolução registada em diversos parâmetros, como a dimensão da contribuição da UMinho (e das suas UOEI) para o universo da produção científica nacional em análise (neste caso as publicações ISI), o impacto médio absoluto e comparativo com o todo nacional, a percentagem das publicações com colaboração internacional e a distribuição geográfica dessas colaborações, etc.

 O relatório está disponível em acesso aberto em:

http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/29377

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 19 de Junho de 2014 Read More →
OpenAIRE publica estudo sobre a proteção de dados científicos com recomendações sobre o acesso aberto

OpenAIRE publica estudo sobre a proteção de dados científicos com recomendações sobre o acesso aberto

Foi apresentado recentemente o livro “Safe to be open : Study on the protection of research data and recommendations for access and usage” que resulta de um estudo desenvolvido ao longo do ano de 2013 no âmbito do projeto OpenIAREplus, abordando as questões jurídicas mais importantes na implementação de uma infraestrutura de informação científica de Acesso Aberto, com recomendações sobre o acesso e uso dos dados científicos.

As primeiras conclusões do estudo sobre as questões legais associadas ao acesso aos dados produzidos em investigação científica foram apresentadas no Workshop OpenAIRE, realizado em Novembro passado em Vilnius, onde se disponibilizou publicamente o sumário do estudo com a principais conclusões (consultar http://tinyurl.com/openairelicensingstudysummary).

O resultado completo deste estudo foi agora publicado em livro pela editora da Universidade de Göttingen (Alemanha) – parceira no projeto OpenAIREplus – e pode ser acedido na sua versão ebook em acesso livre na seguinte ligação: http://webdoc.sub.gwdg.de/univerlag/2013/legalstudy.pdf.

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access - OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 24 de Janeiro de 2014 Read More →
Reforço do Acesso Aberto aos resultados dos projetos financiados no novo programa-quadro de investigação e inovação da União Europeia – Horizonte 2020

Reforço do Acesso Aberto aos resultados dos projetos financiados no novo programa-quadro de investigação e inovação da União Europeia – Horizonte 2020

A Comissão Europeia lançou no passado dia 11 de dezembro os primeiros convites para apresentação de projetos ao programa-quadro de investigação e inovação da União Europeia – Horizonte 2020. No momento do lançamento destes convites, que contam com mais 15 mil milhões de euros de financiamento para 2014 e 2015, a Comissária europeia responsável pela Investigação, Inovação e Ciência, Máire Geoghegan-Quinn, afirmou estar “na hora de agir. O Horizonte 2020 é vital para o futuro da investigação e da inovação na Europa e vai contribuir para o crescimento, a criação de emprego e uma melhor qualidade de vida. Concebemos o Horizonte 2020 para produzir resultados e reduzimos a burocracia para facilitar a participação” (ver nota de imprensa).

O Acesso Aberto à informação científica – tal como previsto em diferentes documentos oficiais ao longo dos últimos anos, particularmente após o início do projeto-piloto Open Access para o 7º PQ em agosto de 2008, consubstânciado na infraestrutura OpenAIRE, e vincado nas recomendações da Comissão Europeia de julho de 2012 sobre o acesso à informação científica e a sua preservação – é reforçado com um programa de ação no Horizonte 2020 para assegurar a disponibilização em acesso livre dos resultados dos projetos financiados.

A Comissão Europeia entende “o acesso aberto não como um fim em si mesmo, mas como uma ferramenta para facilitar e melhorar a circulação da informação no Espaço Europeu da Investigação“. A Comissão, na ficha técnica que apresentou para esclarecer a política de Acesso Aberto no H2020, reconhece que existem várias formas para se atingir e realizar o acesso aberto, uma vez que os vários Estados membros e as partes interessadas estão em situações diversas e têm necessidades diferentes. Por conseguinte, apoia tanto a via “dourada” como a via “verde” para a concretização do Acesso Aberto à informação científica.

O novo modelo de contrato de subvenção para todos os projetos estabelece uma obrigação geral de disseminação Open Access dos resultados dos projetos, indicando explicitamente que cada beneficiário deve assegurar o acesso aberto (gratuito e na internet para qualquer utilizador) de todas as publicações científicas com revisão por pares que sejam respeitantes aos resultados do projeto.

Neste enquadramento, a Comissão anunciou ainda um projeto-piloto para o Acesso Aberto aos dados científicos com o objetivo de maximizar e partilhar dados de investigação produzidos no âmbito de projetos financiados pela CE.

Toda a informação útil sobre este assunto pode ser consultada nos seguintes documentos:

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access - OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 19 de Dezembro de 2013 Read More →
Relatório do estudo junto dos investigadores portugueses sobre o Acesso Aberto

Relatório do estudo junto dos investigadores portugueses sobre o Acesso Aberto

Foi publicado o relatório final que apresenta os resultados do estudo que os Serviços de Documentação da Universidade do Minho desenvolveram, em 2012, junto dos investigadores que trabalham em Portugal, no sentido de recolher informações relativamente às suas opiniões, atitude e práticas relacionadas com o acesso aberto.

Estudo sobre os investigadores portugueses e o acesso aberto


O estudo, enquadrado no âmbito dos projetos Open Access desenvolvidos nos Serviços de Documentação, foi realizado através de inquérito por questionário, respondido exclusivamente via web, tendo sido recolhidas 1249 respostas completas.

Do conjunto de resultados obtidos destacam-se o conhecimento generalizado (97%) sobre o conceito de acesso aberto e o muito elevado nível de concordância (92%) com o princípio do Acesso Aberto aos resultados de investigação financiada com recursos públicos. No entanto, verifica-se uma diferença significativa entre a opinião e adesão aos princípios do Acesso Aberto (manifestada por mais de 90% dos participantes) e a prática efetiva do Acesso Aberto que foi declarada por apenas 70% dos que responderam.

Os resultados evidenciam uma opinião muito favorável (83% de concordância) à eventual definição de uma política mandatória da Fundação para a Ciência e Tecnologia, requerendo o acesso aberto às publicações resultantes do seu financiamento. É igualmente significativo o resultado obtido quanto ao cumprimento dessa política mandatória registando-se apenas 1% de respostas indicando a intenção de não cumprimento, e 85% de respostas indicando a intenção de cumprimento integral.

Os resultados evidenciaram também um desconhecimento significativo dos investigadores face a políticas (institucionais e/ou da União Europeia) de acesso aberto às quais já estariam sujeitos. Também aqui se revela portanto uma diferença significativa entre a opinião e o conhecimento e prática dos investigadores em Portugal.

Em função dos resultados obtidos, apontam-se duas conclusões gerais que podem ser dirigidas às instituições que financiam e/ou realizam investigação em Portugal:

1. Existe espaço para a definição de políticas que exijam a disponibilização em acesso aberto das publicações dos investigadores portugueses, uma vez que estes evidenciam um elevado grau de concordância e “boa vontade” relativamente a elas;
2. Para garantir um elevado nível de adesão e sucesso dessas políticas será necessário facilitar o cumprimento das políticas por parte dos investigadores, prosseguir atividades regulares de sensibilização, informação e divulgação e implementar mecanismos de monitorização das políticas definidas.

O texto integral do relatório está disponível no RepositóriUM em http://hdl.handle.net/1822/23391, onde também podem ser obtidos os dados do inquérito em http://hdl.handle.net/1822/23392.

Autor: Eloy Rodrigues

Diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho

By 27 de Julho de 2013 Read More →
<!--:pt-->Relatório sobre o Workshop Europeu do Projeto MedOANet<!--:--><!--:en-->MedOANet Report on the European Workshop Released<!--:-->

Relatório sobre o Workshop Europeu do Projeto MedOANetMedOANet Report on the European Workshop Released

O Workshop Europeu, organizado no âmbito do Projeto MedOAnet, ficou concluído com a publicação do relatório que, para além de descrever a metodologia utilizada na organização das sessões de trabalho, apresenta não só os resultados de cada sessão mas também as conclusões e recomendações para a implementação de políticas de acesso aberto em instituições que desenvolvem investigação científica e por financiadores de ciência.

O Workshop Europeu realizou-se no dia 6 de fevereiro de 2013, na Universidade do Minho, com o objetivo de reunir membros dos grupos de trabalho dos seis países do sul da Europa que integram a rede do projeto MedOANet de que fazem parte: Portugal, Espanha, França, Itália, Grécia e Turquia.

Para além da troca de experiências e conhecimentos entre representantes de instituições que desenvolvem investigação científica, financiadores de ciência e editores científicos da rede MedOAnet proporcionou-se a interação com pessoas de outros projetos como são exemplo OpenAIREplus e COAR.

O relatório está disponível através do website do MedOAnet em:

http://www.medoanet.eu/news/medoanet-report-european-workshop-released

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 13 de Junho de 2013 Read More →
Repositórios de Acesso Aberto e Preservação Digital

Repositórios de Acesso Aberto e Preservação Digital

Os Serviços de Documentação da Universidade do Minho (SDUM) disponibilizam mais um folheto informativo desta vez dedicado ao tema da preservação digital no âmbito dos repositórios de acesso aberto. Teve como base o estudo “Estado da Arte em Preservação Digital”, apresentado em fevereiro de 2012 e disponível em: http://hdl.handle.net/1822/17049

Para além de uma contextualização geral do conceito de preservação digital procurou-se fazer o seu enquadramento nos repositórios de acesso aberto e exemplificar os projetos, as arquiteturas e as estratégias que têm demonstrado resultados significativos nesta área.

Este folheto informativo está disponível aqui.

Pode ser consultado também no Scribd:

Preservacao Digital Briefing Paper

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 21 de Março de 2013 Read More →
Repositórios em Acesso Aberto e as Licenças Creative Commons

Repositórios em Acesso Aberto e as Licenças Creative Commons

Em comemoração dos 10 anos dos Creative Commons, os Serviços de Documentação da Universidade do Minho (SDUM) publicam mais um folheto informativo desta vez dedicado à utilização das licenças Creative Commons em repositórios em acesso aberto.

Para além de ajudar a clarificar de que forma as licenças CC podem ser usadas no âmbito dos repositórios em acesso aberto, descreve o procedimento para gerar uma licença CC e aplicá-la num trabalho que vai ser distribuído através da Internet.
Este folheto informativo está disponível aqui.
Pode ser consultado também no Scribd:

Licencas CC Briefing Paper

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 10 de Dezembro de 2012 Read More →
Implementar Mandatos de Acesso Aberto na Europa

Implementar Mandatos de Acesso Aberto na Europa

Birgit Schmidt e Iryna Kuchma são as autoras do livro ‘Implementing Open Access Mandates in Europe’ que surge do estudo do OpenAIRE sobre o desenvolvimento de comunidades de repositórios de acesso aberto na Europa. Estão envolvidos nesta análise 32 países europeus e ainda a Noruega, Islândia, Croácia, Suíça e Turquia.

As autoras pretendem caracterizar as políticas de auto-arquivo dos editores, assim como as estratégias para as colocar em prática. Descrevem os mandatos de acesso aberto europeus de financiadores de ciência e institucionais e as estratégias usadas na sua implementação. Salientam a continuidade do OpenAIRE através do OpenAIREplus que, para além de objetivar o aumento do número de publicações em acesso aberto, pretende ligar essas publicações com os respetivos dados científicos e acrescentar informação sobre o seu financiamento.

O mandato da UMinho é um dos exemplos mencionados no livro que inclui os requisitos e as estratégias que a UMinho delineou e que contribuíram para o sucesso desta iniciativa. Estão também descritas algumas das atividades e projetos portugueses que têm permitido fortalecer o acesso aberto a nível nacional e internacional.

O livro está disponível em: http://webdoc.sub.gwdg.de/univerlag/2012/oa_mandates.pdf

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 29 de Novembro de 2012 0 Comments Read More →
[infográfico] 9º Aniversário do RepositóriUM

[infográfico] 9º Aniversário do RepositóriUM

Infográfico comemorativo do 9º aniversário do RepositóriUM!

Consulte a notícia.

 

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 22 de Novembro de 2012 Read More →
Relatório do Estado da Arte da Interoperabilidade dos Repositórios

Relatório do Estado da Arte da Interoperabilidade dos Repositórios

A Confederation of Open Access Repositories (COAR) publicou, durante a semana do Acesso Aberto de 2012, o relatório “The Current State of Open Access Repository Interoperability (2012).

Este relatório oferece uma visão panorâmica da interoperabilidade nos repositórios, focando-se em sete áreas principais e descrevendo dezanove iniciativas de interoperabilidade.

Os principais destinatários deste relatório são as instituições e gestores de repositórios que estejam ou pretendam estar envolvidos em promover a interoperabilidade dos seus repositórios com outros sistemas de informação.

O texto completo do relatório pode ser descarregado aqui.

Autor: Eloy Rodrigues

Diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho

By 25 de Outubro de 2012 0 Comments Read More →
A política de Auto-Arquivo de Publicações Científicas da Universidade do Minho

A política de Auto-Arquivo de Publicações Científicas da Universidade do Minho

Este folheto sintetiza informação sobre a política de auto-arquivo de publicações científicas da Universidade do Minho. O seu conteúdo é dirigido essencialmente aos docentes e investigadores que auto-arquivam ou que pretendam auto-arquivar as suas publicações no RepositóriUM. Define o conceito de Acesso Aberto e enfatiza algumas das suas vantagens, assim como, especifica a necessidade de uma nova política de auto-arquivo da UM destacando três pontos fundamentais. Enumera os serviços e apoio disponibilizados pelos Serviços de Documentação relacionados com o RepositóriUM.

Briefing paper disponível aqui.

Consulte também no Scribd:

A política de Auto-Arquivo de Publicações Científicas

By 26 de Setembro de 2012 0 Comments Read More →
Diretrizes políticas para o desenvolvimento e promoção do Acesso Aberto

Diretrizes políticas para o desenvolvimento e promoção do Acesso Aberto

Em Abril de 2012 a UNESCO publicou diretrizes políticas para o desenvolvimento e promoção do Acesso Aberto. Alma Swan, diretora da SPARC Europa, é a autora desta publicação.

Com o objetivo de promover o Acesso Aberto entre os Estados Membros, este documento é um recurso útil tanto para quem se inicia no Acesso Aberto como para conhecedores, apoiando decisores políticos, administradores e gestores de investigação científica no desenvolvimento de políticas de Acesso Aberto.

Esta publicação está disponível em Inglês sendo possível descarregá-la através deste endereço.

Para mais informações visite o seguinte website!

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

Acesso Aberto (o livro)

Acesso Aberto (o livro)

O mais recente livro de Peter Suber foi lançado em Junho de 2012 com o nome ‘Open Access’ e publicado pela MIT Press. Enquanto aguardamos a sua disponibilização em acesso aberto, o que deverá ocorrer em Junho de 2013, podemos adquiri-lo na Amazon ou através da MIT Press.

Peter Suber é Diretor do projeto Harvard Open Access, desenvolve trabalho no Berkman Center for Internet & Society e é investigador sênior na SPARC (Scholarly Publishing and Academic Resources Coalition). É considerado um dos líderes mundiais do movimento do Acesso Aberto.

Neste livro, Peter Suber, descreve o conceito de Acesso Aberto e de que forma o Acesso Aberto beneficia os autores e leitores que desenvolvem investigação. Quais os custos associados, como podem ser evitados os problemas de direitos de autor e de que forma o Acesso Aberto tem evoluído nestes anos atingindo a relevância para a ciência atualmente confirmada. Conclui com um capítulo sobre o futuro do Acesso Aberto.

Apresenta-se como um recurso indispensável para investigadores, bibliotecários, administradores/políticos, financiadores de ciência e editores.

Mais informação disponível aqui.

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.