blogue & notícias

8ª ConfOA: adiado prazo de submissão de trabalhos

8ª ConfOA: adiado prazo de submissão de trabalhos

Foi prorrogado até ao próximo dia 23 de abril de 2017 o prazo de submissão dos trabalhos nas modalidades de comunicação, pecha kucha e póster para a 8ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto que se irá realizar na Fiocruz, Rio de Janeiro – Brasil.

O processo de apresentação e modelos das propostas estão disponíveis para consulta e download no website da CONFOA em: http://confoa.rcaap.pt/2017/chamada/

confoa2

Em 2017, os temas a serem tratados no âmbito da Conferência são os seguintes:

  • Acesso Aberto e Dados Científicos Abertos: marcos legais, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de pesquisa ou de património cultural
    • Revistas científicas de acesso aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em acesso aberto
    • Direito autoral e propriedade industrial
    • Análise e avaliação de políticas públicas, institucionais e de fomento
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Pesquisa e RRI (Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)
  • Sistemas de gestão de informação de Ciência e Tecnologia (CRIS)
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e acadêmica
    • Softwares livres para a construção de CRIS

A ConfOA acolhe propostas sobre estes temas e também outros relacionados com os aspectos políticos, legais, sociais, organizativos ou técnicos do Acesso Aberto e da Ciência Aberta.

A Comissão Organizadora aguarda expectante a receção dos vossos trabalhos: http://confoa.rcaap.pt/2017/submissoes-on-line/

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 7 de Abril de 2017 Read More →
Erasmus Staff Training: Espanha nas primeiras visitas de 2017 aos SDUM

Erasmus Staff Training: Espanha nas primeiras visitas de 2017 aos SDUM

De 13 a 17 de março de 2017 os Serviços de Documentação da UMinho deram as boas-vindas a duas colegas de Espanha, Isàvena Opisso Atienza da Universidade de Barcelona e Maria Amparo Cózar Santiago da Universidade de Navarra, em mais uma semana de Erasmus Staff Training.

erasmus.fw

A equipa dos Serviços de Documentação apresentou os projetos Open Access em que tem participado, quer a nível nacional (projeto RCAAP), quer a nível internacional com foco no projeto OpenAIRE. Já o RepositóriUM com destaque nos workflows, política institucional, procedimentos de monitorização e estatística, foi também apresentado neste intercâmbio profissional.

Como tem sido habitual nestes programas, também esta semana se tem revelado numa excelente oportunidade para troca de experiências profissionais e partilha de informação sobre diferentes realidades universitárias, em benefício do Acesso Aberto na Europa.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 17 de Março de 2017 Read More →
Lembrete: 8ª CONFOA –  chamada de trabalhos

Lembrete: 8ª CONFOA – chamada de trabalhos

Recordamos que a chamada de trabalhos para a 8ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto termina, precisamente, daqui a um mês: 09 de abril.

Os temas a serem tratados no âmbito da Conferência são os seguintes:

  • Acesso Aberto e Dados Científicos Abertos: marcos legais, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de pesquisa ou de património cultural
    • Revistas científicas de acesso aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em acesso aberto
    • Direito autoral e propriedade industrial
    • Análise e avaliação de políticas públicas, institucionais e de fomento
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Pesquisa e RRI (Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)
  • Sistemas de gestão de informação de Ciência e Tecnologia (CRIS)
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e acadêmic
    • Softwares livres para a construção de CRIS

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros relacionados com os aspectos políticos, legais, sociais, organizativos ou técnicos do acesso aberto e da ciência aberta.

O processo de apresentação e modelos das propostas estão disponíveis para consulta e download no website da CONFOA em: http://confoa.rcaap.pt/2017/chamada/

O website da conferência aguarda pelos vossos trabalhos: http://confoa.rcaap.pt/2017/submissoes-on-line/

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 9 de Março de 2017 Read More →
8ª ConfOA: chamada de trabalhos

8ª ConfOA: chamada de trabalhos

A 8ª Conferência-Luso Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) retorna em 2017 ao Rio de Janeiro onde, em 2011, a ConfOA se realizou pela primeira vez no Brasil. Este ano, a instituição que irá acolher a 8ª ConfOA é a Fundação Oswaldo Cruz, uma referência não apenas na pesquisa e no ensino na área da saúde, mas também no acesso aberto no Brasil. A 8º Conferência-Luso Brasileira de Acesso Aberto realiza-se nos dias 4 e 5 de outubro (com workshops pós-conferência previstos para 6 de outubro), no campus de Manguinhos da Fiocruz.

confoa2017_1O tema da 8ª ConfOA é “Do Acesso Aberto à Ciência Aberta”, querendo sublinhar o alargamento do âmbito da Conferência, dado que o Acesso Aberto é uma componente, e uma condição indispensável da Ciência Aberta, que abrange outras dimensões. A ConfOA pretende reunir as comunidades portuguesa, brasileira, bem como dos restantes países lusófonos, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com o Acesso Aberto ao conhecimento e com todas as outras vertentes da Ciência Aberta. A ConfOA assume-se como o espaço privilegiado para, com o objetivo de promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre estas temáticas, em todas as suas dimensões e perspetivas.

Assim, convidamos a comunidade a apresentar propostas de trabalhos sobre os seguintes temas:

  • Acesso Aberto e Dados Científicos Abertos: marcos legais, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de pesquisa ou de património cultural
    • Revistas científicas de acesso aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em acesso aberto
    • Direito autoral e propriedade industrial
    • Análise e avaliação de políticas públicas, institucionais e de fomento
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Pesquisa e RRI (Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)
  • Sistemas de gestão de informação de Ciência e Tecnologia (CRIS)
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e acadêmica
    • Softwares livres para a construção de CRIS

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros relacionados com os aspectos políticos, legais, sociais, organizativos ou técnicos do acesso aberto e da ciência aberta.

confoa2017_100

Processo de apresentação de propostas

  • Comunicações (Apresentação oral de 15 minutos)

As propostas para comunicação devem ter um mínimo de 2 páginas e um máximo de 4 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de comunicação). As propostas devem apresentar investigação ou desenvolvimento originais, privilegiando-se os trabalhos que relatem casos gerais (ou seja relativos a mais do que uma instituição ou sistema) e/ou que tenham relevância para uma audiência alargada.

As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como comunicações, poderão ser consideradas para apresentação como Pecha Kucha ou Póster.

  • Pecha Kuchas

Os Pecha Kucha são apresentações de 7 minutos, com não mais de 24 slides. As propostas deverão ter um mínimo de 1 página e um máximo de 2 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta Pecha Kucha). As propostas de Pecha Kucha podem apresentar trabalhos de investigação e desenvolvimento recentes ou em conclusão, e eventualmente casos concretos e locais, mas com interesse e relevância geral.

As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como Pecha Kucha poderão ser consideradas para apresentação como Póster.

  • Pósters

Convidamos a apresentação de propostas de pósters, que devem ter 1 página (ver e utilizar o modelo de proposta de póster), que servem para apresentar trabalho ainda em desenvolvimento ou experiências locais. Os pósters serão exibidos em formato papel ou formato digital (serão dadas indicações e instruções para a apresentação dos pósters após a aceitação das propostas), e serão apresentados oralmente na sessão “O meu Póster num minuto”.

Datas importantes

  • 9 de abril 2017: Fim do prazo para apresentação de propostas
  • 9 de junho: Notificação da aceitação das propostas
  • 12 de junho: Abertura das inscrições na conferência

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 14 de Fevereiro de 2017 Read More →
Próxima geração de repositórios institucionais: chamada para comentários públicos

Próxima geração de repositórios institucionais: chamada para comentários públicos

A Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) anuncia a publicação dos resultados iniciais do Grupo de Trabalho COAR Next Generation Repositories para comentários públicos.

COAREm abril de 2016, a COAR lançou um grupo de trabalho para identificar novas funcionalidades e tecnologias para os repositórios e desenvolver mecanismos para a sua adoção.

O objetivo é posicionar os repositórios como a base para uma infraestrutura distribuida, globalmente em rede para a comunicação académica, acrescentando serviços de valor acrescentado, transformando o sistema, tornando-o mais centrado na pesquisa, aberto e apoiante da inovação.

Subjacente a essa visão está a ideia de que uma rede distribuída de repositórios pode e deve ser uma poderosa ferramenta para promover a transformação do ecossitema, ou seja, a comunicação académica. Neste contexto, os repositórios permitirão o acesso a artigos publicados com uma ampla gama de informação, além de publicações tradicionais, tais como documentos de trabalho, imagens, entre outros.

O grupo de trabalho apresenta 12 testemunhos de utilizadores que deliniaram funcionalidades para os repositórios, os quais recomendamos, vivamente, que consultem e comentem: nextgenrepo.coar-repositories.org

Pretende-se ter um feedback generalizado da comunidade, pelo que, todos os comentários são importantes!

Os comentários ao público estão abertos de 7 de fevereiro a 3 de março de 2017.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 13 de Fevereiro de 2017 Read More →
2º Fórum Gestão de Dados de Investigação

2º Fórum Gestão de Dados de Investigação

2º FORUM BANNER FACEBOOK

 

Realiza-se no próximo dia 31 de março, na Fundação Portuguesa das Comunicações, em Lisboa, o 2º Fórum de Gestão de Dados de Investigação (Fórum GDI).

O Fórum GDI pretende congregar e dinamizar a comunidade de profissionais e investigadores envolvidos em atividades de suporte à gestão de dados de investigação com o intuito de desenvolver competências técnicas e capitalizar saberes e práticas. É um espaço de capacitação e debate para partilha de ideias, iniciativas emergentes, projetos e boas práticas de suporte à gestão de dados de investigação que procura juntar gestores de repositórios digitais e data centers, técnicos de informação, bibliotecas, arquivos e curadoria de dados, especialistas de informática, investigadores, cientistas de dados e gestores de ciência de instituições de investigação e organismos de financiamento de ciência.

A organização deste 2º Fórum GDI resulta da realização, em setembro de 2016, da Conferência “Dados de Investigação e Ciência Aberta: rumo a uma estratégia nacional” (http://confdados.rcaap.pt) que estabeleceu a necessidade de dinamizar um espaço nacional de cariz interativo que reunisse profissionais do sistema científico nacional envolvidos em atividades de suporte à gestão de dados de investigação. O 1º Fórum GDI realizou-se precisamente no dia subsequente ao da Conferência de Dados e foram iniciativas integradas no quadro do desenvolvimento da Política Nacional de Ciência Aberta do programa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Este 2º Fórum GDI seguirá o modelo do primeiro, com um programa de atividades das 09h00 às 17h00 que integra breves apresentações de iniciativas emergentes e projetos (flash talks), uma mesa-redonda sobre “Serviços, papéis e responsabilidades na gestão de dados de investigação nas instituições” e ainda a realização de dois workshops, um subordinado a questões legais de privacidade e licenciamento dos dados e um outro sobre repositórios de dados abertos. Para a concretização da primeira parte deste programa estará aberta até dia 1 de março uma chamada para submissão de propostas de flash talks.

O 2º Fórum GDI é uma iniciativa da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e promovida no âmbito das atividades do RCAAP – Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal, organizado pelo Gabinete da Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, FCT-FCCN – Fundação para a Ciência e Tecnologia – Fundação para a Computação Científica Nacional e Universidade do Minho.

By 8 de Fevereiro de 2017 Read More →
MCTES, em articulação com o MC, pretende criar um Diretório de Repositórios Digitais

MCTES, em articulação com o MC, pretende criar um Diretório de Repositórios Digitais

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em articulação com o Ministério da Cultura, está a criar um Diretório de Repositórios Digitais (DRD).

rdcO DRD (http://repositorios-conhecimento.pt) é uma infraestrutura digital criada com o propósito de identificar e constituir um referencial de acesso aos repositórios digitais de Portugal nas áreas da Ciência e da Cultura, no sentido de divulgar e estimular a utilização dos repositórios digitais, bem como promover a normalização técnica e práticas de preservação digital

Esta iniciativa reflete a política do governo no sentido da valorização da produção científica nacional, da promoção do conhecimento e da criação de condições para a sua partilha, a preocupação no sentido do reforço da responsabilidade cultural e patrimonial, em articulação com o enunciado conducente à adoção de uma política nacional de ciência aberta (http://www.ciencia-aberta.pt/pnca), contemplando a promoção e a difusão da cultura científica e tecnológica e a cooperação internacional, nomeadamente com os países de língua oficial portuguesa.

A primeira fase deste projeto – identificação e caracterização dos repositórios digitais pertencentes a instituições de ciência e cultura – decorre até 30 de janeiro, estando disponível um formulário para recolha de dados.

Qualquer pedido de esclarecimento deverá ser enviado para repositorios-conhecimento@mctes.gov.pt

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 5 de Janeiro de 2017 Read More →
Atas da 7ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto já disponíveis nos Cadernos BAD

Atas da 7ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto já disponíveis nos Cadernos BAD

Capa-cadernos-bad-2016Em jeito de encerramento dos trabalhos relativos à ConfOA 2016, no final do passado mês de dezembro, foi publicado o número dos Cadernos BAD (nº2, 2016) o qual disponibiliza quase todos os artigos e pechas kuchas apresentados na 7ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) realizada nos dias 2, 3 e 4 de novembro de 2016, no Instituto Politécnico de Viseu.

Como descrito no editorial deste número especial, as temáticas dos trabalhos apresentados abrangem “um largo espectro temático, que vai desde a gestão de dados científicos, até à publicação de revistas científicas ou as políticas de Acesso Aberto, passando pelas questões dos direitos de autor, da bibliometria, da interoperabilidade e dos sistemas de gestão de informação científica (…) contribuindo para a partilha e atualização dos últimos desenvolvimentos do Acesso Aberto, particularmente, no mundo lusófono”.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 3 de Janeiro de 2017 Read More →
8ª ConfOA: 4, 5 e 6 de outubro de 2017

8ª ConfOA: 4, 5 e 6 de outubro de 2017

Logos_CONFOA_2017A 8ª edição da Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto, nos próximos dias 4, 5 e 6 de outubro de 2017 irá realizar-se na Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, Brasil.

Dando continuidade ao êxito das edições anteriores, o evento será organizado em parceria, pelos Serviços de Documentação da Universidade do Minho (SDUM), pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) e pela Instituição que acolhe o evento. Em 2017 será a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A ConfOA, com realização alternada entre Portugal e Brasil, tem como objetivo reunir as comunidades portuguesa e brasileira, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com o Acesso Aberto ao conhecimento e com a Ciência Aberta, com o propósito de promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobres estas temáticas, em todas as suas dimensões e perspetivas.

Durante o mês de janeiro serão divulgados os formatos, as modalidades e o período em que os trabalhos poderão ser submetidos.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 20 de Dezembro de 2016 Read More →
Mobilidade BAD encerra as visitas de 2016 aos SDUM

Mobilidade BAD encerra as visitas de 2016 aos SDUM

No âmbito do Programa de Mobilidade BAD, o Gabinete de Projetos dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho tem vindo a receber colegas representantes de universidades nacionais desde 2014.

O ano de 2016 não foi exceção e dedicou os dias de 24 e 25 de novembro ao tema: “Projetos Open Access da Universidade do Minho: do RepositóriUM à infraestrutura Europeia do Acesso Aberto”, contando com 4 participantes oriundos da Universidade Nova de Lisboa, da Universidade de Coimbra e dois alunos de Doutoramento cuja investigação recai sobre a temática abordada.

IMG_20161124_111528

O programa proposto teve como principal foco as atividades desenvolvidas pelo Gabinete de Projetos, que têm desenvolvido, ao longo dos últimos anos, um vasto trabalho na dinamização dos repositórios institucionais e no desenvolvimento do Acesso Aberto no panorama nacional e internacional.

Este e outros programas que os SDUM têm vindo a acolher representam excelentes oportunidades para a troca de experiências profissionais e partilha de informação em virtude da melhor compreensão e disseminação do Acesso Aberto.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 30 de Novembro de 2016 Read More →
Visita Técnica ao IBICT

Visita Técnica ao IBICT

Decorreu nos dias 21 a 24 de novembro 2016 uma visita técnica ao Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) com o intuito de partilhar os desenvolvimentos das equipas do projeto RCAAP e OASISBR.

Durante estes dias foram efetuadas apresentações sobre os serviços atuais e o trabalho futuro. O principal ponto de discussão foi o desenvolvimento de ferramentas e funcionalidades que suportam os portais nacionais (Portal RCAAP e OASISBR). Houve ainda a oportunidade de contar remotamente com a equipa do projeto La Referência com que o IBICT tem vindo a colaborar. Esteve também presente um elemento técnico do Repositório da UFMA – Universidade Federal do Maranhão.

ibict

Associada à temática de portais agregadores, foi também discutida a necessidade de novos esquemas de metadados, passando obviamente por introduzi-los nos repositórios, quer seja através de esquemas existentes ou de novos como o CERIF-XML.

Do lado brasileiro, foram apresentados os desenvolvimentos do novo Portal SEER, um diretório de revistas com uma caracterização e validação bastante completas. Este desenvolvimento poderá servir para substituir o atual diretório Luso-Brasileiro por exemplo.

Foi ainda apresentado o dashboard de estatísticas associado à BDTD, que será depois alargado aos repositórios integrados no OASISBR. Este dashboard público permitirá obter facilmente estatísticas sobre o conteúdo do sistema como um todo ou dos recursos em particular.

Finalmente, além da partilha de código dos vários serviços, foi discutido o modelo de gestão do OASISBR com base na experiência do projeto RCAAP, deixando em aberto um novo serviço de apoio ao utilizador e uma nova estrutura de gestão baseada principalmente nas recentes redes criadas RRIAA (Redes de Repositórios Institucionais de Acesso Aberto).

Autor: José Carona Carvalho

Gestor de Projeto no Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Gestão dos serviços de informação, apoio e formação são as áreas de intervenção.

By 24 de Novembro de 2016 Read More →
Ciência Aberta: website já disponível

Ciência Aberta: website já disponível

No âmbito da Semana Internacional do Acesso Aberto, é disponibilizada publicamente a página Ciência Aberta http://www.ciencia-aberta.pt/que reúne informação, iniciativas e conteúdos formativos.

Tem como público-alvo todos os agentes envolvidos no sistema científico nacional e a sociedade em geral. Na lógica dos princípios da Ciência Aberta este é um projeto colaborativo, em desenvolvimento, feito para a comunidade e com a comunidade.

ciêncaia berta

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 24 de Outubro de 2016 Read More →
7ª Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto: programa completo

7ª Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto: programa completo

ipv.fw

Irá decorrer, nos próximos dias 2, 3 e 4 de novembro, no Instituto Politécnico de Viseu, a 7ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto, cujo programa já se encontra disponível, e pode ser consultado aqui.

Destacamos a realização de 3 workshops que se irão realizar no dia 4 de novembro (9:30 – 12:30), em paralelo, em três locais distintos, para os quais se encontram abertas as incrições:

  • workshop 1 – Acesso Aberto no IPV: Tudo sobre o Acesso Aberto no IPV: as insfraestruturas, os serviços e os requisitos FCT e H2020. Formadores: Ricardo Saraiva – Universidade do Minho; Paulo Lopes – FCT/FCCN; Vasco Vaz – FCT; Ângelo Fonseca – Instituto Politécnico de Viseu. Local: Instituto Politécnico de Viseu.

Inscriçõeshttps://goo.gl/forms/n2rQN7LL1Y1e3ud42

  • workshop 2 – Sistemas CRIS: Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios. Formadores: João Mendes Moreira – FCT/FCCN; Fernando Ribeiro – FCT/FCCN; Cátia Laranjeira – FCT/FCCN, José Carvalho – Universidade do Minho. Local: Instituto Politécnico de Viseu.

Inscriçõeshttps://goo.gl/forms/n2rQN7LL1Y1e3ud42

  • workshop 3 – OpenAIRE Portugal: Ciência Aberta e os Requisitos dos Financiadores: Open Access e Open Data no Horizonte 2020. Formadores: Stephen Curry – Imperial College London (Faculty of Natural Sciences); Eloy Rodrigues – Universidade do Minho; Pedro Príncipe – Universidade do Minho. Local: Instituto de Investigação Interdisciplinar da Universidade de Coimbra (ver: www.uc.pt/iii/contactos).

Inscriçõeshttps://goo.gl/forms/n2rQN7LL1Y1e3ud42

A inscrição é gratuita, mas obrigatória para cada um dos workshops, sendo o número de inscrições limitado à capacidade das salas.

Em caso de dúvida poderão usar o email: confoa2016@pres.ipv.pt

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 13 de Outubro de 2016 Read More →
Workshop OpenAIRE Portugal – 4 de novembro 2016: Ciência Aberta e os requisitos dos financiadores: Open Access e Open Data no H2020

Workshop OpenAIRE Portugal – 4 de novembro 2016: Ciência Aberta e os requisitos dos financiadores: Open Access e Open Data no H2020

Os Serviços de Documentação da Universidade do Minho, enquanto secretariado português do OpenAIRE promove, com o apoio da Universidade de Coimbra, no próximo dia 4 de novembro, das 09h30 às 12h30, o workshop “Ciência Aberta e os requisitos dos financiadores: Open Access e Open Data no H2020”.

O OpenAIRE – infraestrutura de Acesso Aberto para a investigação na Europa – é o serviço que apoia a implementação da política de Ciência Aberta da Comissão Europeia no quadro do Horizonte 2020. Os secretariados nacionais do OpenAIRE têm vindo a promover workshops de âmbito local para trabalhar as diferentes áreas de desenvolvimento dos requisitos das políticas de Acesso Aberto e Dados Abertos do Horizonte 2020.

banner_workshop_openaire

Com este workshop pretende-se compreender os desafios da Ciência Aberta para as instituições de investigação em Portugal e para os investigadores e conhecer na prática os requisitos das políticas da Comissão Europeia para as publicações em acesso aberto e dados de investigação abertos.

A primeira parte do workshop será dedicada a compreender as diferentes dimensões da ciência aberta, implicações e desafios, focando-se a segunda parte em aspetos práticos do Open Access e Open Data no H2020 – quais os requisitos obrigatórios, como cumprir as políticas da CE, que infraestruturas e sistemas existem disponíveis para apoiar os investigadores, coordenadores de projetos, gestores de ciência e bibliotecários, como gerir os requisitos na elaboração de propostas e na execução do projeto.

AGENDA:

09h30 – Boas-vindas e apresentação do workshop, Ana Miguéis (Universidade do Coimbra) e Eloy Rodrigues (Universidade do Minho)

09h45 – From Open Access to Open Science, Stephen Curry (Imperial College London – Faculty of Natural Sciences)

10h30 – Acesso Aberto no H2020: requisitos da política de Acesso Aberto da CE no Horizonte 2020, Eloy Rodrigues (Universidade do Minho)

11h00 – Pausa para café

11h15 – Dados Abertos no H2020: projeto piloto dos dados abertos e gestão de dados de investigação no Horizonte 2020, Pedro Príncipe (Universidade do Minho)

11h45 – Open Access & Open Data na prática dos projetos H2020, perguntas & respostas com Eloy Rodrigues e Pedro Príncipe (Universidade do Minho)


Local: Instituto de Investigação Interdisciplinar da Universidade de Coimbra (ver: www.uc.pt/iii/contactos)

Data: 4 de novembro de 2016, das 09h30 às 13h00

Inscrições: https://goo.gl/forms/rc21dxV80GZsNA3S2


ORGANIZAÇÃO: Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

APOIO: Serviço Integrado das Bibliotecas da Universidade de Coimbra

Evento integrado no programa da 7ª CONFERÊNCIA LUSO-BRASILEIRA SOBRE ACESSO ABERTO – http://confoa.rcaap.pt.

image

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access - OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 11 de Outubro de 2016 Read More →
Conferência “Dados de Investigação e Ciência Aberta: rumo a uma estratégia nacional”

Conferência “Dados de Investigação e Ciência Aberta: rumo a uma estratégia nacional”

Dia 22 de setembro | 9h00-18h00 | Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto

A crescente relevância da preservação e gestão de dados digitais para a investigação científica requerem das instituições de produção do conhecimento estruturas adequadas acompanhadas de planos integrados de ação.

Instituições, comunidades de investigadores, gestores de infraestruturas e serviços de informação, bem como administradores ou gestores de ciência, são desafiados a utilizar ferramentas e instrumentos em permanente atualização suscitando o aprofundamento de conhecimentos e desenvolvimento de competências desejavelmente num ambiente de partilha de práticas, recursos e necessidades.

A preservação e gestão de dados de investigação é, além do mais, uma dimensão indispensável à implementação de uma política de ciência aberta, compreendendo as suas componentes essenciais, em matéria de acesso aberto e de inovação aberta prosseguindo o propósito da transferência, acessibilidade e partilha do conhecimento no sentido da criação de uma sociedade mais qualificada e preparada para enfrentar o futuro.

A par da adequação das práticas e infraestruturas disciplinares e comunitárias, é inquestionável a importância do desenvolvimento de sistemas e serviços para a gestão de dados de investigação nas instituições de investigação e de ensino superior. Simultaneamente, os desafios relacionados com os dados de investigação e os seus processos de gestão carecem de enquadramento em políticas e infraestruturas mais abrangentes, nomeadamente de âmbito nacional.

Na gestão de dados de investigação, ou curadoria de dados, estão envolvidos diferentes intervenientes, requerendo responsabilidades e competências específicas, abrangendo várias ações no âmbito do planeamento, criação, documentação, acesso, utilização, armazenamento, partilha e preservação dos dados. A amplitude e exigência desse conjunto de necessidades e requisitos torna imperioso analisar de forma cuidada cada um destes aspetos para perspetivar a definição de políticas, o estabelecimento de estratégias e a configuração de infraestruturas.

 É precisamente neste contexto que se organiza a conferência “Dados de investigação e Ciência Aberta: rumo a uma estratégia nacional”, com o objetivo de estabelecer as linhas orientadoras da estratégia nacional para os dados de investigação, reunindo responsáveis e decisores políticos, investigadores e coordenadores de projetos, gestores de ciência e gestores de infraestruturas e de serviços de informação.

O programa do encontro pretende contribuir para a compreensão dos diferentes componentes e desafios dos dados de investigação colocados a nível institucional e das práticas disciplinares. Pretende-se ainda promover o conhecimento sobre estratégias e iniciativas de âmbito nacional e internacional e entender de forma integrada estas questões na estratégia Europeia para a Ciência Aberta no domínio das políticas e infraestruturas.

Saiba mais sobre a conferência aqui: http://confdados.rcaap.pt/

confdados2016_horizontal

 

 

By 2 de Agosto de 2016 Read More →