By 18 de Junho de 2015 Read More →

A Conferência Open Repositories 2015

Um dos maiores eventos internacionais dedicados à temática dos repositórios decorreu nos dias 8 a 11 de junho de 2015 na cidade de Indianapolis nos Estados Unidos.

Tem sido habitual a participação de elementos do Gabinete de Projetos Open Access da Universidade do Minho no Open Repositories, que decorre anualmente, mas alternadamente na Europa e nos Estados Unidos. Este fórum de ideias focadas nos repositórios engloba vários interessados, desde elementos mais técnicos, bibliotecários, gestores de repositórios, etc.

Além de permitir estar em contato direto com os intervenientes dos projetos mais inovadores nesta área, permite também apresentar o trabalho desenvolvido, quer em Portugal no âmbito do projeto RCAAP, quer a nível internacional nos projetos em que a Universidade do Minho participa.

Dando seguimento ao trabalho apresentado no ano passado na Finlândia sobre o processo de auditoria aos repositórios institucionais do serviço SARI, foram agora apresentados os resultados finais da auditoria. Apesar de não ser um tópico focado em desenvolvimentos como muitos que são apresentados, esta temática tem revelado bastante interesse e curiosidade na comunidade internacional. Apesar dos processos de auditoria serem já bastante usados, não o tinham ainda sido no contexto dos repositórios institucionais, e ainda menos na escala potenciada pelo serviço SARI em que foram analisados 25 repositórios.

Por outro lado, o processo de auditoria só é efetivamente desenvolvido quando existe alguma maturidade nos processos e nos serviços, e isso denota também a qualidade e o empenho que os gestores de repositórios têm no desempenho das suas atividades.

No âmbito do OpenAIRE, foi apresentada uma comunicação que apresenta a rede de repositórios do OpenAIRE e os seus serviços e foca na importância dos repositórios institucionais como serviços de valor acrescentado. Um dos exemplos apresentados foi a integração das publicações financiadas pela FCT no Portal OpenAIRE.

Em cada conferência são aproveitados alguns dias, antes e depois do evento, para juntar presencialmente alguns grupos de interesse como no nosso caso do DSpace.

dspace_logo

No que diz respeito às novidades, foi apresentado o plano estratégico para as próximas duas versões do DSpace, quer do ponto de vista tecnológico como da gestão da comunidade e da sua sustentabilidade.

As próximas prioridades podem ser consultadas no Roadmap da aplicação. Está já a ser preparado o Dspace 6 para ser disponibilizado à comunidade este ano com mais alguma novidades. Um dos aspetos que merece ser destacado é a previsão de que o Dspace 7 tenha já uma única interface do Dspace, terminado nesse momento os desenvolvimentos paralelos que têm vindo a ser desenvolvidos para os interfaces JSPUI (em uso nos repositórios SARI) e XMLUI.

Os principais tópicos abordados foram o uso do ORCID no contexto dos repositórios e integrados com sistemas de gestão das instituições de ensino, sendo alguns deles sistemas CRIS (Current Research Information Systems). As ontologias, os dados científicos e a preservação digital foram outras das temáticas apresentadas. Poderão consultar o programa e respetivas apresentações no website.

De destacar ainda as duas sessões plenárias, a primeira com Katlin Thaney que abordou a questão da “Open Science” e dos projetos desenvolvidos no Mozilla Science Lab (consultar apresentação). Na segunda sessão plenária, foi a vez de um dos criadores do Google Scholar, Anurag Acharya tecer um conjunto de problemas e resoluções no que diz respeito à indexação dos repositórios científicos no nesse serviço (consultar apresentação). As gravações das sessões serão disponibilizadas posteriormente.

A próxima edição do Open Repositories 2016 será em Dublin, na Irlanda!

Or2016

Autor: José Carona Carvalho

Gestor de Projeto no Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Gestão dos serviços de informação, apoio e formação são as áreas de intervenção.

Comments are closed.