recursos & referência

Acesso e preservação de informação científica na Europa

Acesso e preservação de informação científica na Europa

Relatório de implementação da Recomendação Europeia C(2012) 4890

Este relatório apresenta as informações reunidas junto dos estados membros, no que diz respeito ao processo de implementação da Recomendação de 2012, sobre o Acesso Aberto e a Preservação da Informação Científica.

O documento foi elaborado com base num questionário, requerido aos estados membros, para que se manifestassem e avaliassem esta recomendação, enquanto instrumento de relevância para a promoção das políticas de Acesso Aberto e para a Preservação da Informação Científica na União Europeia.

De acordo com os resultados obtidos, pode constatar-se que a maior parte dos países se encontram ou em fase de discussão, ou em fase de implementação das políticas de Acesso Aberto a publicações, demonstrando, no entanto, alguma evolução relativamente a períodos anteriores de avaliação.

Os níveis de progresso observados notam-se mais especificamente no que toca à gestão de dados de investigação e às políticas FAIR (Findable, Accessible, Interoperable, Reusable), por parte dos estados membros, dos financiadores e demais instituições, onde se destaca a criação e desenvolvimento de infraestruturas digitais, com o intuito de prestar apoio no acesso e preservação da informação científica. Neste contexto, um grande número de países participa em iniciativas financiadas pela UE, com o intuito de se alinharem com as normas internacionais de tratamento e interoperabilidade. Outras áreas carecem de mais trabalho e investigação, como é o caso dos direitos de autor, por forma a defender os direitos associados à investigação e aos seus protagonistas (investigadores), assim como de todo o processo de monitorização associado ao Acesso Aberto e à Preservação da Informação Científica.

Contudo, num 1/3 dos países, as organizações de financiamento público ainda não têm políticas de Acesso Aberto, espelhando as várias velocidades em curso, quer no processo de implementação, quer nas políticas de gestão de dados de investigação. A opinião geral dos entrevistados é de que deveria existir uma maior coordenação da implementação destas políticas, para assegurar um eficaz alinhamento de uma estratégia que deverá ser comum a todos.

Gráfico ilustrativo da implementação das politicas de Acesso Aberto | fonte: https://publications.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/676f8a3b-62f6-11e8-ab9c-01aa75ed71a1

Em muito dos países, as políticas de gestão de dados já estão a ser aplicadas a um nível institucional, mesmo que a política nacional ainda não esteja em curso.

A gestão de dados de investigação e o Acesso Aberto aos dados ainda não são, por isso, uma política mandatória, sendo apenas aplicável aos projetos financiados pela UE, onde os investigadores ainda assim, podem optar por colocá-los em aceso aberto ou não.

A maioria dos países revela uma intenção clara na implementação destas práticas, estando a desenvolver estratégias de atuação, como por exemplo,  na integração dos sistemas de avaliação da carreira docente, na área da educação e no desenvolvimento de competências.

Cerca de 2/3 dos países revelam já ter programas de formação avançados, para capacitar profissionais nas áreas da gestão de dados de investigação (GDI). No entanto, apenas metade faz monitorização do desenvolvimento / produção de dados de investigação e do impacto do Acesso Aberto. Assim podemos dar conta de alguns projetos piloto para monitorizar o Acesso Aberto, uma vez que é muito importante o processo de negociação com as grandes editoras, dado o crescente esforço colaborativo, demonstrado pela maior parte dos países, na assinatura de periódicos e no processo de interoperabilidade das infraestruturas digitais, no contexto nacional e transnacional.

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho - Serviços de Documentação

By 12 de Julho de 2018 Read More →
Conteúdos Webinar – Serviços OpenAIRE para gestores de repositórios

Conteúdos Webinar – Serviços OpenAIRE para gestores de repositórios

O projeto OpenAIRE no âmbito da sua atividade, está a desenvolcver, entre outros, serviços para gestores de repositórios, nomeadamente o OpenAIRE-Provide. Este é um serviço que disponibiliza, para além do registo e validação de repositórios institucionais, de publicações, de dados ou sistemas agregadores ou de revistas, o Broker Service, que permitirá o enriquecimento e curadoria de metadados dos Repositórios.

Para apresentar este serviço OpenAIRE para gestores de repositórios, foi conduzido um Webinar por Pedro Príncipe e José Carvalho da Universidade do Minho, que tem como objetivo a apresentação do Content Provider Dashboard, sendo focados os seguintes assuntos:

  • Novos serviços OpenAIRE para Gestores de Repositórios (versão beta):
    • OpenAIRE Broker Service
    • OpenAIRE Dashboard for Content Providers
  • Enriquecimento e curadoria de metadados nos repositórios da rede RCAAP
  • Infraestrutura OpenAIRE e próximos desenvolvimentos

Poderá ver e rever os conteúdos deste Webinar nas seguintes ligações:

Fique ainda a par de outros Webinars OpenAIRE em: https://goo.gl/nmi5CL

Autor: André Vieira

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 25 de Maio de 2018 Read More →
Conteúdos Webinar – Dados Abertos e Planos de Gestão de Dados no H2020

Conteúdos Webinar – Dados Abertos e Planos de Gestão de Dados no H2020

A Comissão Europeia (CE), no quadro das políticas de Ciência Aberta, definiu para o programa Horizonte 2020 (H2020) uma política de dados abertos que visa melhorar e maximizar o acesso e a reutilização dos dados de investigação gerados pelos projetos que financia. Os requisitos da CE estabelecem que os investigadores devem realizar o depósito dos dados de investigação, incluindo metadados associados, necessários para validar os resultados apresentados em publicações científicas. Sublinham ainda a necessidade de definição de planos para a gestão dos dados produzidos que devem ser apresentados nos primeiros seis meses do projeto.

Neste contexto foi desenvolvido um Webinar para dar a conhecer os requisitos e condições dos dados abertos no H2020 e instruções sobre quando e como elaborar um Plano de Gestão de Dados para um projeto H2020.

Este Webinar, conduzido por Pedro Príncipe e Antónia Correia da Universidade do Minho, abordou os seguintes assuntos:

  • Ciência Aberta aos resultados e nos métodos.
  • Requisitos dos dados abertos no Horizonte 2020.
  • Elaboração de Plano de Gestão de Dados para projetos H2020.
  • Requisitos na prática.

Poderá ver e rever os conteúdos deste Webinar nas seguintes ligações:

Fique a par de outros Webinars OpenAIRE em: https://goo.gl/nmi5CL

Autor: André Vieira

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 16 de Maio de 2018 Read More →
Publicadas duas fact sheets OpenMinted & OpenAIRE sobre Creative Commons e Open Science

Publicadas duas fact sheets OpenMinted & OpenAIRE sobre Creative Commons e Open Science

No atual paradigma da sociedade da informação e do conhecimento, temos assistido a um aumento exponencial dos dados de investigação, a partir dos quais surgem novas oportunidades de análise para a sua compreensão. Neste contexto o Text and Data Mining (TDM) tem emergido como uma ferramenta poderosa para tirar proveito da riqueza dos dados e conteúdos estruturados e não estruturados, através da sua análise a vários níveis e dimensões com vista à descoberta de novo conhecimento.

Perante esta realidade, vários desafios são colocados aos investigadores e às ações de TDM, nomeadamente de ordem legal. O projeto OpenMinted (an EC/H2020 funded project), que tem como objetivo a criação de uma infraestrutura aberta e orientada a serviços para o TDM de conteúdo científico e académico, produziu no âmbito da sua atividade e em colaboração com o OpenAIRE, dois documentos de suporte legal para auxiliar a comunidade científica a compreender a razão pela qual o licenciamento assume uma importância relevante para a investigação e para as aplicações de TDM, apresentando ainda recomendações sobre as licenças Creative Commons a utilizar.

O documento intitulado Fact Sheet on Creative Commons & Open Science, contém questões e respostas às preocupações comuns em torno da Ciência Aberta e as implicações do licenciamento de dados através das licenças Creative Commons.

Disponível no Zenodo: https://zenodo.org/record/840652#.WtS4m4jwbIV
DOI: https://doi.org/10.5281/zenodo.840652

O segundo documento – Frequently Asked Questions on Creative Commons & Open Access – reúne um conjunto de perguntas e respostas focadas em preocupações comuns relacionadas com o Acesso Aberto, as licenças Creative Commons e a publicação dos resultados de investigação.

Disponível no Zenodo: https://zenodo.org/record/841086#.WtS5MIjwbIU
DOI: https://doi.org/10.5281/zenodo.841086

Estes documentos de suporte têm como propósito auxiliar investigadores, profissionais de informação, gestores e outros utilizadores, na utilização de licenças Creative Commons nos seus trabalhos e promover o movimento do Acesso Aberto.

Autor: André Vieira

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 17 de Abril de 2018 Read More →
Conteúdos do webinar – Acesso Aberto a publicações no H2020

Conteúdos do webinar – Acesso Aberto a publicações no H2020

No passado dia 27 de março aconteceu o webinar dedicado ao tema: Acesso Aberto a publicações no H2020.

 

Eloy Rodrigues e Pedro Príncipe abordaram aspetos fundamentais sobre as diretrizes da EU, para cumprimento dos requisitos inerentes ao Acesso Aberto no H2020, bem como responderam a questões mais práticas sobre onde, o quê, como e quando depositar os resultados do seu projeto de investigação.

Neste âmbito foram igualmente evidenciados os serviços OpenAIRE, no apoio à implementação das políticas de Acesso Aberto, potenciando, agilizando e facilitando todo este processo, na medida em que auxiliam na criação de maior visibilidade aos resultados; conferindo-lhe maior impacto e simplificando o processo de reporting à EU.

Poderá ver e rever este webinar aqui,

Slides – https://drive.google.com/file/d/1evOXeiC2nPqmM2UveINE0yE6JU3GrKoZ/view

Gravação – https://youtu.be/1AVkb4HsNvc

Informamos que a próxima apresentação será no dia 3 de maio, subordinado ao tema: Dados Abertos e Planos de Gestão de Dados no H2020. Contamos consigo para divulgar e promover a Ciência Aberta!

Mais Informações: https://openaccess.sdum.uminho.pt/?p=5071

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho - Serviços de Documentação

By 9 de Abril de 2018 Read More →
LEMBRETE: ConfOA 2018 – chamada de trabalhos

LEMBRETE: ConfOA 2018 – chamada de trabalhos

Recordamos que termina já no próximo dia 09 de abril o prazo para submissão de trabalhos para a 9ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA), que este ano se irá realizar nos dias 2 e 3 de outubro (com workshops pós-conferência previstos para 4 de outubro), no campus do ISCTE-IUL, em Lisboa.

Assim, convidamos a comunidade a apresentar propostas de trabalhos sobre os seguintes temas:

  • Acesso Aberto e Dados de Investigação Abertos: sistemas, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de investigação ou de património cultural
    • Revistas científicas de Acesso Aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em Acesso Aberto
    • Definição, análise e avaliação de políticas institucionais e de financiadores
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
    • Direitos de autor e Acesso Aberto
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Investigação e RRI (Responsible Research and Innovation /Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Desenvolvimento e comunidades de software livre para a promoção do Acesso Aberto e da Ciência Aberta
    • Outras práticas de conhecimento aberto (educação aberta)
  • Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • CRIS – Sistemas de Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica
    • Normas e diretrizes
    • Identificadores persistentes

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros temas relacionados com os aspetos políticos, sociais, organizativos ou técnicos relacionados com o Acesso Aberto e a Ciência Aberta.

O processo de apresentação e modelos das propostas estão disponíveis para consulta e download no website da ConfOA.

Aguardamos pela submissão dos vossos trabalhos: http://confoa.rcaap.pt/2018/submissoes-on-line/

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 12 de Março de 2018 Read More →
Apresentações disponíveis: Bibliotecas Universitárias: o presente no futuro

Apresentações disponíveis: Bibliotecas Universitárias: o presente no futuro

Encontram-se já disponíveis as apresentações da Conferência – Bibliotecas Universitárias: o presente no futuro, evento realizado pelos Serviços de Documentação da Universidade do Minho no dia 16 de fevereiro de 2018.

A Conferência teve como objetivo encerrar o ciclo comemorativo dos 25 anos da Biblioteca Geral a qual reflete um percurso que, desde o seu início, se afirmou como Espaço de Conhecimento Aberto para Todos.

Pretendeu-se que fosse um espaço de debate e partilha de experiências e projetos emergentes, juntando especialistas internacionais e profissionais portugueses para refletir sobre o presente e o futuro das bibliotecas universitárias e de ensino superior.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 23 de Fevereiro de 2018 Read More →
Rumo ao futuro: os repositórios da próxima geração

Rumo ao futuro: os repositórios da próxima geração

A Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR), publicou o relatório do grupo de trabalho sobre repositórios da próxima geração “Behaviours and Technical Recommendations of the COAR Next Generation Repositories Working Group”.

Em abril de 2016, a Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) lançou o Grupo de Trabalho Repositórios da Próxima Geração para identificar novas funcionalidades e tecnologias para repositórios. O relatório agora publicado, apresenta os resultados do trabalho deste grupo, incluindo recomendações para a adoção de novas tecnologias, normas e protocolos que ajudarão os repositórios a tornarem-se mais integrados no ambiente da web e lhes permitirão alargar o seu papel no ecossistema de comunicação académica.

Na COAR, acreditamos que a rede globalmente distribuída de mais de 3000 repositórios pode ser alavancada para criar um sistema de comunicação académica e científica mais sustentável e inovador, ultrapassando os constrangimentos e limitações do sistema atual que é dominado por um pequeno grupo de editores comerciais. Coletivamente, os repositórios podem fornecer uma visão abrangente da investigação em todo o mundo e, simultaneamente, permitir que cada investigador e instituição participem na rede global de investigação científica e académica.

A criação de serviços adicionais, como métricas de uso padronizadas, comentários, revisão por pares e funcionalidades de redes sociais “por cima” de uma rede global confiável de repositórios tem potencial para oferecer uma alternativa viável ao sistema atual, tornando-o mais centrado nos interesses da investigação (maximizar a disseminação, aumentar a eficiência e minimizar/otimizar os custos), aberto e favorável à inovação e, last but not least, dirigido e gerido pela comunidade académica.

Um componente importante desta visão é que os repositórios fornecerão acesso a uma ampla variedade de resultados de investigação, criando condições para que uma maior diversidade de contribuições para o registo académico seja acessível e também formalmente reconhecido nos processos de avaliação da investigação.
A visão da COAR está alinhada com outras, como a apresentada no Future of Libraries Report do MIT, que estão a definir um novo papel para as bibliotecas no século XXI. Um papel que envolve uma mudança das bibliotecas focadas na aquisição e disponibilização de conteúdos para os seus utilizadores locais, para bibliotecas que garantam a curadoria, valorização, disseminação e partilha com o resto do mundo dos resultados da investigação realizada pelas suas instituições e comunidades.

Nos próximos meses a COAR pretende, para além de disseminar o relatório agora publicado e fomentar a rápida a adoção das suas recomendações pelas principais plataformas de software para repositórios, promover a atualização das recomendações, criando condições e usando as ferramentas (nomeadamente o GitHub) que permitam o envolvimento permanente da comunidade.

Autor: Eloy Rodrigues

Diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho

By 30 de Novembro de 2017 Read More →
Conteúdos do Webinar OpenAIRE sobre “Open Access to publications in H2020”

Conteúdos do Webinar OpenAIRE sobre “Open Access to publications in H2020”

No âmbito da Semana do Acesso Aberto de 2017 (23 a 29 de Outubro), foi apresentado por Eloy Rodrigues (Universidade do Minho) e Najla Rettberg (Universidade de Goettingen) o webinar Open Access to publications in H2020 . Poderá revê-lo aqui ou consultar a apresentação no slideshare https://www.slideshare.net/OpenAIRE_eu/open-access-week-2017-open-access-to-publications-in-h2020.

A disponibilização dos resultados de investigação em acesso aberto traz benefícios palpáveis para a ciência, promovendo e acelerando o progresso da investigação e evitando duplicação de esforços; para a economia, acelerando a inovação; e para a sociedade, tornando a investigação acessível a cidadãos e organizações sem fins lucrativos.

Com base nestes pressupostos, todas as publicações resultantes de projetos financiados pelo Horizonte 2020 devem ser tornadas acessíveis online, de forma gratuita, de modo a permitir o acesso a investigadores, empresas e cidadãos.

Neste webinar são abordadas as condições a observar para que esta disponibilização seja efetuada de forma a cumprir todos os requisitos desta entidade financiadora, no que respeita à escolha do repositório, versão da publicação a publicar, e disponibilização do texto integral das publicações.

É ainda demonstrado como o OpenAire pode auxiliar, agregando dados de diversas fontes; interligando dados, autores, instituições e projetos; permitindo a monitorização da compliance das políticas por parte das entidades financiadoras; permitindo a interoperabilidade entre sistemas; e fomentando a descoberta e acesso a toda esta informação.

 

Autor: Antónia Correia

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 29 de Novembro de 2017 Read More →
3.º Fórum GDI: apresentações e gravações

3.º Fórum GDI: apresentações e gravações

No dia 6 de novembro, realizou-se o 3.º Fórum de Gestão de Dados de Investigação na Universidade do Minho, em parceria com a FCT-FCCN e a Secretaria de Estado para a Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o qual contou com cerca de 100 participantes.

Neste fórum contámos com a presença de Mark D. Wilkinson do Centro de Biotecnologia e Genómica de Plantas UPM-INIA (CBGP), Universidade Politécnica de Madrid, um dos autores do artigo The FAIR Guiding Principles for scientific data management and stewardship, que fez uma brilhante apresentação sobre “The Fair Data Principles”.

Assistimos ainda a sete Flash Talks que nos revelaram o panorama nacional relativamente à gestão de dados científicos e três workshops com bastante informação útil sobre este tema.

Pode ver ou rever as apresentações e as gravações no site do Fórum GDI, clicando aqui. As fotografias do evento estão disponíveis no Flickr.

Autor: Carla Marques

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 9 de Novembro de 2017 Read More →
Webinars OpenAire e FOSTER – Open Access Week 2017

Webinars OpenAire e FOSTER – Open Access Week 2017

No âmbito da Semana do Acesso Aberto de 2017, que se realizou na semana passada, de 23 a 29 de Outubro, o projeto OpenAIRE realizou vários webinars em estreita colaboração com o projeto FOSTER+, os quais obtiveram mais de 400 utilizadores registados.

O webinar que decorreu no primeiro dia da Open Access Week foi subordinado ao tema: “Natural Sciences and Open Science: Workflows and tools for publishing, licensing, versioning, identifiers, archiving, software…” e foi apresentado por Ivo Grigorov (FOSTER+) e Jon Tennant (ScienceOpen). Poderá assistir à gravação do mesmo através do seguinte link: https://webinars.eifl.net/2017-10-23_OpenAIRE_OA_Week_Mon23PM/index.html ou visualizar os slides apresentados: https://www.slideshare.net/OpenAIRE_eu/open-science-in-natural-sciences-workflows-and-tools ou https://www.fosteropenscience.eu/content/natural-sciences-and-open-science-workflows-and-tools.
Neste webinar são apresentadas aos investigadores das áreas das ciências naturais, várias soluções publicação em livre acesso, seja por via de revistas científicas em open access que não cobram taxas, revistas que cobram taxas low cost ou através do auto-arquivo em repositórios institucionais.

No segundo dia, pudemos assistir ao webinar que Toni Hermoso (CRG) e Guillaume Fillon (CRG) apresentaram, com o tema:  “Life Sciences and Open Science: Workflows and tools for publishing, licensing, versioning, identifiers, archiving, software…”, o qual poderá rever aqui: https://webinars.eifl.net/2017-10-24_OpenAIRE_OA_Week_Tue24PM/index.html, para poder conhecer a realidade da publicação em livre acesso na área das Ciências da Vida, bem como o uso de software de open source nesta área do conhecimento. Os slides apresentados encontram-se disponíveis para visualização: https://www.slideshare.net/OpenAIRE_eu/oa-week-webinars-openairefoster-24102017-life-sciences-and-open-sciences-worfkflows-and-tools ou https://www.fosteropenscience.eu/content/life-sciences-and-open-science-workflows-and-tools.

Para finalizar a semana do Acesso Aberto, na quinta-feira foi transmitido o webinar “Humanities and Open Science: Workflows and tools for publishing, licensing, versioning, identifiers, archiving, software.” Laurent Romary (Inria, DARIAH) e Marie Puren (Inria) explicam-nos as diversas vantagens de publicar em livre acesso. Na sua apresentação têm as Humanidades como principal foco, mas todos os conceitos apresentados são aplicáveis a todas as áreas do conhecimento. Pode ver ou rever no seguinte link: https://webinars.eifl.net/2017-10-26_OpenAIRE_OA_Week_Thu26PM/index.html. Os slides encontram-se disponíveis para consulta aqui: https://www.slideshare.net/OpenAIRE_eu/openaire-webinars-during-oa-week-2017-humanities-and-open-science ou https://www.fosteropenscience.eu/content/open-access-practice-humanities.

Autor: Carla Marques

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 2 de Novembro de 2017 Read More →
CONFOA 2017 – Workshop – Repositórios Integrados

CONFOA 2017 – Workshop – Repositórios Integrados

No âmbito da oitava edição da Conferência Luso-brasileira de Acesso Aberto, foi organizado um workshop “Repositórios Integrados” com o contributo dos parceiros brasileiros do IBICT.

Este workshop visou sensibilizar os gestores de repositórios e gestores de ciência para a importância de dotarem os seus repositórios de protocolos de interoperabilidade para poderem comunicar e interagir com outros sistemas. Além disso reforçou-se a necessidade de implementarem diretrizes internacionais focadas numa linguagem comum de gestão e organização da informação científica.

Desta forma, será possível fortalecer as redes internacionais e o desenvolvimento de serviços baseados nessas redes de repostiórios e tornar o conteúdos dos investigadores mais visíveis no contexto global.

As apresentações do workshop estão disponíveis em: https://www.slideshare.net/ConfOA/workshop-repositrios-integrados 

Autor: José Carona Carvalho

Gestor de Projeto no Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Gestão dos serviços de informação, apoio e formação são as áreas de intervenção.

By 19 de Outubro de 2017 Read More →
Erasmus Staff Training: Espanha nas primeiras visitas de 2017 aos SDUM

Erasmus Staff Training: Espanha nas primeiras visitas de 2017 aos SDUM

De 13 a 17 de março de 2017 os Serviços de Documentação da UMinho deram as boas-vindas a duas colegas de Espanha, Isàvena Opisso Atienza da Universidade de Barcelona e Maria Amparo Cózar Santiago da Universidade de Navarra, em mais uma semana de Erasmus Staff Training.

erasmus.fw

A equipa dos Serviços de Documentação apresentou os projetos Open Access em que tem participado, quer a nível nacional (projeto RCAAP), quer a nível internacional com foco no projeto OpenAIRE. Já o RepositóriUM com destaque nos workflows, política institucional, procedimentos de monitorização e estatística, foi também apresentado neste intercâmbio profissional.

Como tem sido habitual nestes programas, também esta semana se tem revelado numa excelente oportunidade para troca de experiências profissionais e partilha de informação sobre diferentes realidades universitárias, em benefício do Acesso Aberto na Europa.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 17 de Março de 2017 Read More →
Próxima geração de repositórios institucionais: chamada para comentários públicos

Próxima geração de repositórios institucionais: chamada para comentários públicos

A Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) anuncia a publicação dos resultados iniciais do Grupo de Trabalho COAR Next Generation Repositories para comentários públicos.

COAREm abril de 2016, a COAR lançou um grupo de trabalho para identificar novas funcionalidades e tecnologias para os repositórios e desenvolver mecanismos para a sua adoção.

O objetivo é posicionar os repositórios como a base para uma infraestrutura distribuida, globalmente em rede para a comunicação académica, acrescentando serviços de valor acrescentado, transformando o sistema, tornando-o mais centrado na pesquisa, aberto e apoiante da inovação.

Subjacente a essa visão está a ideia de que uma rede distribuída de repositórios pode e deve ser uma poderosa ferramenta para promover a transformação do ecossitema, ou seja, a comunicação académica. Neste contexto, os repositórios permitirão o acesso a artigos publicados com uma ampla gama de informação, além de publicações tradicionais, tais como documentos de trabalho, imagens, entre outros.

O grupo de trabalho apresenta 12 testemunhos de utilizadores que deliniaram funcionalidades para os repositórios, os quais recomendamos, vivamente, que consultem e comentem: nextgenrepo.coar-repositories.org

Pretende-se ter um feedback generalizado da comunidade, pelo que, todos os comentários são importantes!

Os comentários ao público estão abertos de 7 de fevereiro a 3 de março de 2017.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 13 de Fevereiro de 2017 Read More →
MCTES, em articulação com o MC, pretende criar um Diretório de Repositórios Digitais

MCTES, em articulação com o MC, pretende criar um Diretório de Repositórios Digitais

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em articulação com o Ministério da Cultura, está a criar um Diretório de Repositórios Digitais (DRD).

rdcO DRD (http://repositorios-conhecimento.pt) é uma infraestrutura digital criada com o propósito de identificar e constituir um referencial de acesso aos repositórios digitais de Portugal nas áreas da Ciência e da Cultura, no sentido de divulgar e estimular a utilização dos repositórios digitais, bem como promover a normalização técnica e práticas de preservação digital

Esta iniciativa reflete a política do governo no sentido da valorização da produção científica nacional, da promoção do conhecimento e da criação de condições para a sua partilha, a preocupação no sentido do reforço da responsabilidade cultural e patrimonial, em articulação com o enunciado conducente à adoção de uma política nacional de ciência aberta (http://www.ciencia-aberta.pt/pnca), contemplando a promoção e a difusão da cultura científica e tecnológica e a cooperação internacional, nomeadamente com os países de língua oficial portuguesa.

A primeira fase deste projeto – identificação e caracterização dos repositórios digitais pertencentes a instituições de ciência e cultura – decorre até 30 de janeiro, estando disponível um formulário para recolha de dados.

Qualquer pedido de esclarecimento deverá ser enviado para repositorios-conhecimento@mctes.gov.pt

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 5 de Janeiro de 2017 Read More →