blogue & notícias

Serviços OpenAIRE: casos de uso

Serviços OpenAIRE: casos de uso

Experiências e potencialidades de quem explora os serviços disponibilizados por esta infraestrutura.

Do leque de serviços que a infraestrutura OpenAIRE disponibiliza e tem vindo a melhorar, com o forte contributo das experiências dos seus utilizadores, é chegado o momento de partilhar algumas experiências, resultados e opiniões de quem faz uso destas ferramentas.

Sendo assim, foi recolhido feedback dos diversos utilizadores (investigadores, comunidades e infraestruturas de investigação, coordenadores de investigação, gestores de repositórios, financiadores, entre outros), com o propósito de agregar um conjunto de experiências pertinentes sobre o uso dos serviços prestados, a fim de melhor responder às necessidades dos utilizadores, bem como promover e disseminar as práticas de Ciência Aberta entre os investigadores, onde políticas e infraestruturas falem a mesma língua.

Serviços OpenAIRE

Os primeiros Casos de Uso já estão disponíveis no portal OpenAIRE, de destacar a participação do ISCTE-IUL com a partilha das mais-valias na utilização dos diferentes serviços (broker Service, estatísticas e API) e nas vantagens que daí advieram:

  • Maior facilidade no cumprimento dos requisitos dos financiadores;
  • Aumento do número de depósitos no repositório em acesso aberto;
  • Aumento da visibilidade e disseminação da produção científica no espaço Europeu;
  • Maior facilidade nos momentos de avaliação de projecto, junto dos financiadores.

Lançamos o desafio aos utilizadores nacionais dos serviços OpenAIRE, para partilharem as vossas práticas e resultados com toda a comunidade, enviando as propostas para Pedro Príncipe (pedroprincipe[@]sdum.uminho) ou Iryma Kuchma (iryna.kuchma[@]eifl.net).

(p.s. Envio da proposta em inglês)

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho - Serviços de Documentação

By 23 de Abril de 2019 Read More →
Open Science FAIR 2019: Chamada para propostas de Workshops, Posters e Demos

Open Science FAIR 2019: Chamada para propostas de Workshops, Posters e Demos

O Porto é o destino da Conferência Open Science FAIR 2019, a acontecer entre os dias 16 e 18 de setembro, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto.

Open Science FAIR é um evento da iniciativa do OpenAIRE, organizado conjuntamente com os projetos europeus FIT4RRI, EOSC Secretariat e FAIRsFAIR, e promovido localmente pela Universidade do Minho.

Lançamos o desafio à apresentação de propostas para Workshops e Posters and Demos  até ao dia 17 de Maio inclusive!

Este evento reveste-se de extrema importância, face aos desenvolvimentos no contexto da Ciência Aberta, quer estejamos a falar de infraestruturas tecnológicas de suporte, que sustentem a sua efetiva concretização (desde o nível  institucional, nacional, até uma escala europeia); quer de todo o processo de construção da própria ciência, dos seus procedimentos, ferramentas e formas de comunicação associadas.

Junte-se a nós na Open Science FAIR

Esta conferência terá palestras realizadas por oradores especialistas nestes domínios, mesas redondas, workshops práticos e sessões de demonstração.

Acima de tudo tentará reunir diferentes perspectivas e sugerir roteiros para implementação em áreas específicas da Ciência Aberta, da comunicação académica e de implementação dos princípios FAIR.

Esperamos por si!

 

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho - Serviços de Documentação

By 2 de Abril de 2019 Read More →
Guias OpenAIRE sobre Ciência Aberta

Guias OpenAIRE sobre Ciência Aberta

O OpenAIRE, no âmbito da sua atividade, envolvendo todas as partes interessadas para a implementação efetiva da Ciência Aberta, desenvolve e disponibiliza serviços que possibilitam a ligação da investigação e permitem que investigadores, fornecedores de conteúdos, financiadores e gestores de projetos adotem facilmente a Ciência Aberta.

OpenAIRE

Para colocar em prática a implementação da Ciência Aberta, o OpenAIRE desenvolve vários materiais de formação para os diferentes intervenientes, para que adquiram as habilidades e competências no âmbito da Ciência Aberta, bem como para auxiliar a utilização dos serviços OpenAIRE.

Área de suporte do OpenAIRE

Página de suporte do OpenAIRE

A área de suporte do OpenAIRE, em constante atualização, disponibiliza diferentes tipologias de materiais para os vários intervenientes nos processos de investigação e utilizadores dos serviços OpenAIRE, como se pode visualizar na imagem anterior. Neste artigo são destacados os guias com informação dedicada aos diferentes intervenientes na prática da Ciência Aberta e sobre a utilização dos serviços OpenAIRE, como por exemplo sobre planos de gestão de dados, licenciamento e reutilização de dados de investigação, serviços OpenAIRE para investigadores, gestores de repositórios, coordenadores de projetos e financiadores.

Guias para Investigadores

Gestão de Dados de Investigação

Licenciamento e Reutilização de Dados de Investigação

Serviços OpenAIRE para Investigadores


Guias para Gestores de Repositórios

Serviços OpenAIRE para Gestores de Repositórios


Guias para Coordenadores de projetos


Guias para Financiadores

Poderá consultar todos os guias produzidos pelo OpenAIRE em www.openaire.eu/guides e a sua página de suporte onde são disponibilizadas todas as tipologias de materiais em www.openaire.eu/support.

Acompanhe todas as novidades nas redes sociais do OpenAIRE

Autor: André Vieira

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 1 de Abril de 2019 Read More →
ConfOA 2019: prolongado prazo de submissão de trabalhos

ConfOA 2019: prolongado prazo de submissão de trabalhos

Foi prolongado até ao próximo dia 15 de abril de 2019 o prazo para submissão dos trabalhos para a 10ª Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta (ConfOA), que este ano viaja até à Amazónia e decorrerá em Manaus, de 1 a 4 de outubro.

O processo de apresentação e modelos das propostas estão disponíveis para consulta e download no website da ConfOA em: https://confoa.rcaap.pt/2019/submissoes-on-line/

Assim, convidamos a comunidade a apresentar propostas de trabalhos sobre os seguintes temas:

  • Acesso Aberto e Dados de Investigação Abertos: sistemas, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de investigação ou de património cultural
    • Revistas científicas de acesso aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em acesso aberto
    • Gestão e partilha de dados de investigação – princípios FAIR, planos de gestão dados e infraestruturas para a gestão de dados de investigação
    • Definição, análise e avaliação de políticas institucionais e de financiadores
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
    • Direitos de autor e acesso aberto
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Investigação e RRI (Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)
  • Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • CRIS – Sistemas de Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica
    • Normas e diretrizes
    • Identificadores persistentes

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros relacionados com os aspetos políticos, sociais, organizativos ou técnicos relacionados com a Ciência Aberta. Os trabalhos aceites serão publicados na Revista Ciência da Informação.

A Comissão Organizadora aguarda expectante a receção dos vossos trabalhos!

Acompanhe-nos nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/wQZHIR e Twitter: https://twitter.com/confoa

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 28 de Março de 2019 Read More →
Bootcamp Luso-Español FOSTER para formação de formadores em Ciência Aberta

Bootcamp Luso-Español FOSTER para formação de formadores em Ciência Aberta

Interessa-se pela ciência aberta e quer partilhar os seus conhecimentos e competências com investigadores ou pessoal de apoio à investigação? Já oferece formação, mas procura formas de a tornar mais eficaz? Se respondeu sim a alguma destas perguntas, considere candidatar-se ao Bootcamp Luso-Espanhol para Formação de Formadores em Ciência Aberta! Este evento de formação de dois dias terá lugar em 25 e 26 de março de 2019, na Universidade de Salamanca, organizado pelo projeto FOSTER com a colaboração da REBIUN.

Acerca do Bootcamp
Durante um intenso programa de dois dias, vamos ajudá-lo a tornar-se um melhor formador de ciência aberta. O Bootcamp irá concentrar-se na Ciência Aberta (primeiro dia) e na Formação (segundo dia), abrangendo, entre outros tópicos:
– Fluxos de trabalho e ferramentas da ciência aberta; 
– Dados de investigação abertos;
– Acesso aberto;
– Competências, técnicas e ferramentas de formação;
– Organização de eventos de formação.
Depois de completar este Bootcamp, estará mais capacitado e disporá de novas ferramentas para realizar formação em ciência aberta para investigadores na sua instituição ou comunidade.

Quem deve participar?
Estamos à procura de bibliotecários, pessoal de apoio à investigação, investigadores em início de carreira e outros interessados de Espanha ou Portugal que estejam motivados e que planeiem ministrar formação em ciência aberta em 2019.

Que despesas são cobertas?
O projeto FOSTER fornecerá refeições durante a formação. Para um número limitado de participantes, o FOSTER poderá oferecer alojamento num quarto individual ou partilhado (para duas pessoas).
Para os participantes de Portugal será organizado um transporte de ida e volta a partir de pontos de encontro a determinar (provavelmente Porto e/ou Aveiro).

Critérios de Elegibilidade e Avaliação 
Os candidatos devem satisfazer os seguintes critérios:
– Praticar ou prestar apoio nas práticas de ciência aberta, acesso aberto, ou dados abertos.
– Realizar ou planear realizar cursos de formação e workshops sobre ciência aberta, acesso aberto, dados abertos nas suas instituições ou comunidades em 2019.

As candidaturas serão avaliadas pela equipa de projeto FOSTER e da REBIUN de acordo com os seguintes critérios:
– Potencial e motivação para realizar formação sobre ciência aberta em 2019 nas instituições ou comunidades a que pertença: 70%.
– Experiência prévia como formador, particularmente em temas relacionados com a ciência aberta: 30%.
Outros critérios que serão tidos em conta:
– Participação nos grupos de trabalho da REBIUN (para os candidatos de Espanha);
– Geográfico e Institucional (para estabelecer uma boa representação das instituições e das regiões de Portugal e Espanha);
– Género (para assegurar um bom equilíbrio de género na seleção).

Inscreva-se agora!
Inscreva-se através do formulário de inscrição online. O prazo final para as candidaturas é 22 de fevereiro e iremos informá-lo se foi ou não selecionado no dia 1 de março. Se, entretanto, tiver alguma dúvida, envie um e-mail para openaccess@sdum.uminho.pt 

Autor: Antónia Correia

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 7 de Fevereiro de 2019 Read More →
10ª ConfOA: inscrições abertas

10ª ConfOA: inscrições abertas

Encontram-se abertas as inscrições para a 10ª Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta que em 2019 viaja até à Amazónia.

Este ano, a ConfOA é acolhida conjuntamente pela Universidade Federal do Amazonas, a Universidade do Estado do Amazonas e o Instituto Federal do Amazonas. A 10ª ConfOA decorrerá em Manaus, de 1 a 4 de outubro, com abertura e um pré-workshop no dia 1, o programa principal da conferência nos dias 2 e 3, e workshops pós-conferência previstos para 4 de outubro.

Mantendo o tema das duas ConfOA anteriores “Do Acesso Aberto à Ciência Aberta”, a 10ª ConfOA, assume a mudança de designação para Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta,  consagrando o alargamento do seu âmbito. A ConfOA pretende reunir as comunidades portuguesa, brasileira, bem como dos restantes países lusófonos, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com a ciência aberta, em todas as suas dimensões, como o acesso aberto a publicações e a dados de investigação. A ConfOA assume-se como o espaço privilegiado para promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre estas temáticas, em todas as suas vertentes e perspetivas.

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas em: https://confoa.rcaap.pt/2019/

Outras informações relativas à 10ª ConfOA estão ou estarão brevemente disponíveis aqui.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 21 de Janeiro de 2019 Read More →
10ª ConfOA: chamada de trabalhos

10ª ConfOA: chamada de trabalhos

A 10ª Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta (ConfOA) viaja até à Amazónia em 2019. Este ano, a ConfOA é acolhida conjuntamente pela Universidade Federal do Amazonas, a Universidade do Estado do Amazonas e o Instituto Federal do Amazonas. A 10ª ConfOA decorrerá em Manaus, de 1 a 4 de outubro, com abertura e um pré-workshop no dia 1, o programa principal da conferência nos dias 2 e 3, e workshops pós-conferência previstos para 4 de outubro.

Mantendo o tema das duas ConfOA anteriores “Do Acesso Aberto à Ciência Aberta”, a 10ª ConfOA, assume a mudança de designação para Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta,  consagrando o alargamento do seu âmbito. A ConfOA pretende reunir as comunidades portuguesa, brasileira, bem como dos restantes países lusófonos, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com a ciência aberta, em todas as suas dimensões, como o acesso aberto a publicações e a dados de investigação. A ConfOA assume-se como o espaço privilegiado para promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre estas temáticas, em todas as suas vertentes e perspetivas.

Assim, convidamos a comunidade a apresentar propostas de trabalhos sobre os seguintes temas:

  • Acesso Aberto e Dados de Investigação Abertos: sistemas, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de investigação ou de património cultural
    • Revistas científicas de acesso aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em acesso aberto
    • Gestão e partilha de dados de investigação – princípios FAIR, planos de gestão dados e infraestruturas para a gestão de dados de investigação
    • Definição, análise e avaliação de políticas institucionais e de financiadores
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
    • Direitos de autor e acesso aberto
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Investigação e RRI (Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)
  • Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • CRIS – Sistemas de Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica
    • Normas e diretrizes
    • Identificadores persistentes

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros temas relacionados com os aspetos políticos, sociais, organizativos ou técnicos relacionados com a ciência aberta.

https://confoa.rcaap.pt/2019/

Processo de apresentação de propostas

Comunicações (Apresentação oral de 15 minutos)

As propostas para comunicação devem ter um mínimo de 2 páginas e um máximo de 4 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de comunicação). As propostas devem apresentar investigação ou desenvolvimento originais, privilegiando-se os trabalhos que relatem casos gerais (ou seja relativos a mais do que uma instituição ou sistema) e/ou que tenham relevância para uma audiência alargada.

As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como comunicações, poderão ser consideradas para apresentação como Pecha Kucha ou Póster.

Pecha Kuchas

Os Pecha Kucha são apresentações de 7 minutos, com não mais de 24 slides. As propostas deverão ter um mínimo de 1 página e um máximo de 2 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de Pecha Kucha). As propostas de Pecha Kucha podem apresentar trabalhos de investigação e desenvolvimento recentes ou em conclusão, e eventualmente casos concretos e localizados, mas com interesse e relevância geral.

As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como Pecha Kucha poderão ser consideradas para apresentação como Póster.

Painéis

As propostas de painel deverão ter um mínimo de 1 página e um máximo de 2 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de painel). As sessões de painel devem versar sobre temas e assuntos (das tecnologias às políticas) que tenham potencial interesse para a maioria dos participantes na ConfOA. Os painéis devem incluir diversos participantes como apresentadores (e desejavelmente com diversidade de pontos de vista, contextos, etc.). O painel deve prever tempo para pequenas apresentações dos integrantes do painel, e tempo para discussão com a audiência. O tempo total do painel será de 90 minutos.

Pósteres

Convidamos a apresentação de propostas de pósteres, que devem ter 1 página (ver e utilizar o modelo de proposta de póster), que servem para apresentar trabalho ainda em desenvolvimento ou experiências locais. Os pósteres serão exibidos em formato papel ou formato digital (serão dadas indicações e instruções para a apresentação dos pósteres após a aceitação das propostas), e serão apresentados oralmente na sessão “O meu Póster num minuto”.

Workshops e Tutoriais

O último dia da ConfOA será dedicado à realização de workshops e tutoriais.
Convidamos a apresentação de propostas de workshops e tutoriais sobre aspetos práticos ou teóricos relacionados com os temas da conferência. Deve ser utilizado o modelo de proposta de workshop ou tutorial, e a proposta de tutorial deve contemplar os seguintes aspetos:

  • O assunto e que conhecimentos se pretende transmitir
  • A dimensão da sessão (90 minutos, 180 minutos, ou dia completo)
  • O público-alvo e o número desejado de participantes
  • Os resultados de aprendizagem para os participantes
  • Requisitos tecnológicos e de espaço

Processo de avaliação

Todas as propostas de comunicação e Pecha Kucha serão avaliadas por dois membros (um do Brasil e um de Portugal) da Comissão Científica e as propostas de Póster, Painel e Workshops serão avaliadas pela Comissão Organizadora.

Aproximando-se das práticas de revisão por pares aberta, crescentemente defendidas como prática de ciência aberta, a revisão na ConfOA deixará de ser duplamente cega, e a identidade dos autores e dos avaliadores de cada trabalho será dada a conhecer.

Datas importantes:

21 de janeiro 2019: Chamada de trabalhos e abertura das inscrições

01  de abril 2019: Fim do prazo para apresentação de propostas

03 de junho 2019: Notificação da aceitação das propostas

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 21 de Janeiro de 2019 Read More →
10º aniversário do Projeto RCAAP: briefing, apresentações e vídeos

10º aniversário do Projeto RCAAP: briefing, apresentações e vídeos

O Projeto RCAAP – Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal celebrou 10 anos de existência no passado dia 17 de dezembro, no auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra.

O evento, realizado em parceria entre a FCT/FCCN, a Universidade do Minho e a Universidade de Coimbra teve como objetivo reunir a Comunidade para partilhar e refletir sobre o passado, presente e futuro do projeto RCAAP.

Durante a manhã contou com a participação da Inspiring Keynote Natalia Manola – OpenAIRE Project Manager com uma apresentação subordinada ao tema “Open Science: building technical and social bridges in the era of the European Open Science Cloud”

A parte da tarde foi dedicada às Estórias com História do RCAAP, contadas pela Comunidade, e à Visão dos Utilizadores do Projeto, com a participação de Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra), João Nuno Ferreira (FCT/FCCN), Isabel Ferreira (Instituto Politécnico de Bragança), Pedro Morgado (Universidade do Minho) e Fernanda Olival (Universidade de Évora).

Seguiu-se uma sessão enquadrativa dedicada a quatro pontos fulcrais para o Projeto:

  1. ecossistema de publicação científica para a Ciência Aberta;
  2. inovação, abertura e sustentabilidade na comunicação científica;
  3. inovações (gestão de entidades; esquemas de metadados; processos de agregação, entre outros;
  4. materialização no RCAAP (monitorização da produção científica; obtenção de indicadores; desenvolvimento de novos serviços, entre outros)

O evento terminou com a entrega de quatro prémios de reconhecimento pelo trabalho desenvolvido pelas Instituições de Ensino Superior nos diferentes subsistemas que integram o Projeto.

Em jeito de homenagem a um líder que dedicou grande parte da sua carreira profissional à disseminação do Acesso Aberto, foi entregue um quinto prémio, denominado de “Líder espiritual do Acesso Aberto” a Eloy Rodrigues, diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho desde 2002.

+ informações em:

Veja ou reveja o vídeo alusivo aos 10 Anos de História do RCAAP contada pelos seus Protagonistas,disponível no canal Youtube do Projeto.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 20 de Dezembro de 2018 Read More →
Projeto RCAAP atribui prémios de reconhecimento no seu 10º aniversário

Projeto RCAAP atribui prémios de reconhecimento no seu 10º aniversário

No âmbito das comemorações do 10º Aniversário do Projeto RCAAP foram atribuídos quatro prémios de reconhecimento pelo trabalho desenvolvido pelas Instituições de Ensino Superior, nos diferentes subsistemas:

Prémio 1 – Mr. / Miss Certinho/a 

Premeia as instituições com maior taxa de cumprimento do Depósito Legal

  • Foi considerado um fator de dimensão (+ de 300 registos no RENATES);
  • Critério de desempate pelo maior número de registos no RENATES.

Foi atribuído um prémio por subsistema de ensino de acordo com o seguinte cálculo:

Origem dos dados – base de dados RENATES;
Data de extração dos dados – 09/11/2018;
Cálculo com base nos seguintes indicadores:
A – Nº total de registos no RENATES por instituição (T&D);
B – Nº total de de registos no RENATES validados com HANDLE no RCAAP.
Taxa de cumprimento = B / A

Os vencedores foram:

Prémio 2 – Mr./Miss Repositório 

Premeia a instituição com melhor imagem de Repositório

  • Votação pela comunidade a partir de printscreens da home page dos repositórios realizada a 17 de outubro;
  • Votação entre 22 de outubro e 19 de novembro;
  • 1 voto por responsável de repositório;
  • Não foi permitido votar no próprio repositório;
  • Venceu o repositório com maior número de votos.

Dessa votação resultaram quatro finalistas (RIA, Estudo Geral, UTAD, UBibliorum), sendo que o vencedor foi o Estudo Geral – Repositório Institucional da Universidade de Coimbra.

Prémio 3 – Eternidade 

Premeia a instituição com melhor score na auditoria final à norma ISO 16363 que analisa a confiança dos repositórios digitais, nomeadamente na capacidade de gerir e preservar o seu conteúdo a longo termo.

  • Considera os repositórios SARI envolvidos na auditoria (25) por uma entidade externa a janeiro e fevereiro 2015 que analisou as 3 áreas da norma (Gestão do Serviço, Gestão dos Objetos, Infraestrutura e Segurança).

Os Vencedores foram o Instituto Politécnico de Castelo Branco e a Universidade do Algarve.

Prémio 4 – Exportador de Ciência

Premeia as instituições com maior número de downloads a partir de origens externas

  • Os valores apurados foram obtidos a partir do módulo de estatísticas dos repositórios que disponibilizam essa informação de forma pública e dizem respeito ao período entre novembro de 2017 a outubro 2018.
  • Foi considerado um fator de dimensão com base nos seguintes valores:
    • 3.000 registos depositados para instituições de ensino superior público ou privado com repositórios próprios ou SARI;
    • 1.000 registos depositados para instituições de I&D e Hospitalares;
    • 500 registos depositados para instituições do Repositório Comum;
  • Critério de desempate pelo maior número de depósitos.

Foi atribuído um prémio por subsistema de ensino mais um prémio para a categoria Hospitais e Institutos de I&D, de acordo com o seguinte cálculo:

  • Origem dos dados – Módulo de estatísticas disponibilizado pelos Repositórios (para os que disponibilizam esta informação);
  • Data de extração dos dados – 15/11/2018;
  • Cálculo com base nos seguintes indicadores:
      • A – Nº de documentos depositados-;
        B – Nº de dw em PT;
        C – Nº de dw de origem desconhecida;
        D – Nº de dw não PT = A – B – C.

Maior Exportador de Ciência = Valor absoluto de D

Os Vencedores foram:

Em jeito de homenagem a um líder que dedicou grande parte da sua carreira profissional à disseminação do Acesso Aberto, foi entregue um quinto prémio, denominado de: Líder espiritual do Acesso Aberto 

Premeia Eloy Rodrigues, diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho desde 2002. Em 2003, liderou a criação do RepositoriUM.

Desde julho de 2008 lidera a equipa da Universidade do Minho que operacionaliza, em parceria com a FCT|UCCN, o RCAAP.

Ao nível europeu, é membro do EUA Expert Group on Science 2.0/Open Science em representação do CRUP, e tem coordenado a participação da Universidade do Minho em mais de uma dezena de projetos financiados pela UE.

Em abril de 2015 foi eleito Presidente do Conselho Executivo da Confederation of Open Access Repositories (COAR) tendo sido reeleito em maio de 2018 para o mandato de 2018 a 2021.

Na última década participou em mais de meia centena de palestras, seminários e outras ações de divulgação ou formação sobre o Acesso Aberto e a Ciência Aberta na Europa , em África, na América, na Ásia (China e Japão) e na Oceânia (Austrália).

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 19 de Dezembro de 2018 Read More →
Lançamento do FOSTER Open Science Toolkit

Lançamento do FOSTER Open Science Toolkit

E com grande satisfação que anunciamos o lançamento do Open Science Toolkit, desenvolvido no âmbito do projeto FOSTER Plus!

O Open Science Toolkit pretende responder a algumas das perguntas mais comuns sobre como colocar a ciência aberta em prática e inclui casos práticos em três áreas disciplinares: Ciências da Vida, Ciências Sociais e Humanidades.

Assentando numa estrutura leve, em termos de visualização e de economia de esforço, os cursos foram concebidos para requerer apenas uma a duas horas de estudo/trabalho. Os utilizadores registados no portal poderão obter “medalhas” (badges) após realização com sucesso do questionário no final de cada um dos cursos.

Os seguintes 10 cursos integram o Toolkit:

  • What is Open Science? curso introdutório que explica em que consiste a Ciência Aberta.
  • Best Practice in Open Research – apresenta algumas etapas para a abertura das práticas de investigação, e como cumprir as expectativas das entidades financiadoras, editores e colegas.
  • Managing and Sharing Research Data – explica como elaborar um plano de gestão de dados, gerir e proceder à disponibilização de dados da forma mais eficaz.
  • Open Source Software and Workflows – descreve como pode tornar o seu código e fluxos de trabalho acessíveis de modo a suportar a reprodutibilidade, fazendo uso de ferramentas e recursos gratuitos.
  • Data Protection and Ethics – permite entender os princípios básicos da proteção de dados e apresenta técnicas para desenvolver formulários de consentimento, armazenar os dados com segurança, e anonimizá-los.
  • Open Licensing – fornece critérios para encontrar a melhor licença aberta para os seus resultados de investigação.
  • Open Access Publishing – enumera técnicas e instrumentos para colocar as suas publicações acessíveis, em linha com as exigências das entidades financiadoras.
  • Sharing Preprints – explora a prática de disponibilização de preprints, e em que medida ela pode auxiliar a disseminar a sua investigação.
  • Open Peer Review – explica como funciona a revisão por pares aberta, potenciais vantagens e desvantagens desta prática e apresenta algumas plataformas onde pode disponibilizar as suas publicações ou realizar revisões.
  • Open Science and Innovation –faz a ponte entre praticas e conceitos empresariais, Ciência Aberta e Inovação e Investigação Responsável.

Experimente o Open Science Toolkit e expanda os seus conhecimentos em Ciência Aberta!

Autor: Antónia Correia

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 30 de Novembro de 2018 Read More →
Lançamento do Portal EOSC

Lançamento do Portal EOSC

No dia 23 de novembro, esta 6.ª feira terá lugar na cidade de Viena, Áustria, o lançamento oficial do Portal da European Open Science Cloud (EOSC) – a decorrer durante o evento da Presidência Austríaca da União Europeia.

Este lançamento assinala a conclusão de um longo processo de consultoria e reflexão junto de todos os stakeholders envolvidos neste projeto, liderado pela Comissão Europeia.

Através da apresentação do novo portal – EOSC (https://www.eosc-portal.eu/), pretende-se demonstrar a importância da EOSC nos avanços da investigação científica na Europa, como uma plataforma de acesso a informação, serviços e recursos atualizados, incluindo a partilha de experiências e de casos de uso de sucesso.

A todos os fornecedores de conteúdos, comunidades de investigação e outras entidades, com participação na EOSC, lançamos o repto para visitar o Portal e ter a possibilidade de, em primeira mão, beneficiar das suas funcionalidades.

O lançamento contará com a apresentação da nova Direção Executiva do EOSC.
Os participantes terão ainda sessões de demonstração, que abarcarão as várias áreas de investigação e a criação de cenários de casos de uso, por forma a facilitar uma melhor perceção dos vários serviços do portal EOSC.

Este portal representa o 1.º passo no processo de implementação da EOSC, colocando em prática a visão da Comissão Europeia para a Ciência Aberta, trazendo convergência para um ecossistema de investigação fragmentado, acelerando uma participação efetiva dos Príncipios dos dados FAIR.

Teremos assim, uma porta de acesso universal a serviços, dados e recursos necessários aos investigadores, no exercício das suas atividades – ciência colaborativa, de forma aberta e eficaz em termos de custos para o benefício da sociedade.

O Portal EOSC é desenvolvido e mantido em conjunto com: eInfraCentral (731049), EOSC-hub (777536), EOSCpilot (739563) e OpenAIRE-Advance (246686), projetos financiados pela União Europeia – Horizonte 2020 – Programa-Quadro Comunitário de Investigação & Inovação – com o contributo da Comissão Europeia.

Informação sobre os Editores
website: www.eosc-portal.eu
twitter handle: @eoscportal
youtube channel

Contactos – Comunicação Social
Jelena Angelis – Project Manager, eInfraCentral – angelis@efiscentre.eu
Sara Coelho – Communications Manager, EOSC-hub – sara.coelho@egi.eu
Kalliroi Mavrantoni – Communications Officer, OpenAIRE-Advance – kallmav@uoa.gr

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho - Serviços de Documentação

By 21 de Novembro de 2018 Read More →
4.º Fórum de Gestão de Dados de Investigação

4.º Fórum de Gestão de Dados de Investigação

No dia 16 de novembro teve lugar o 4.º Fórum de Gestão de Dados de Investigação, na cidade de Castelo Branco, no Instituto Politécnico de Castelo Branco – Escola Superior de Tecnologia.

Este fórum assume-se como um espaço de debate e partilha de ideias, projetos, iniciativas emergentes e boas práticas na gestão de dados de investigação. É igualmente objetivo deste fórum capitalizar saberes e práticas, permitindo uma maior sensibilização e abertura do seu âmbito para as áreas das infraestruturas tecnológicas, de serviços e políticas associadas à GDI.

O momento da partilha de experiências (flashtalks), contou com duas abordagens distintas: uma pela pendente das infraestruturas para a GDI e outra, com especial enfoque para a área da formação e da capacitação dos profissionais, que direta ou indiretamente lidam com dados de investigação.

 

A sessão plenária deste ano contou com a presença da diretora da secção de Ciência de Dados do Instituto de Ciências Quantitativas da Universidade de Harvard, Mercè Crosas, que veio partilhar connosco a sua experiência, com a comunicação intitulada: “Research data management at Harvard, data sharing and dataverse project.

Na parte da tarde, em sessões paralelas, tivémos 2 workshops: o já habitual “Café com Dados”, desta vez com o foco na “… demonstração de ferramentas para o ciclo de vida dos dados”, discussão sobre Open Data e como tratar os Dados FAIR.

O outro workshop abordou a temática da “Proteção de dados e privacidade: questões legais na gestão de dados de investigação” e contou com a participação de:

Henrique Manuel Dinis Santos, Departamento de Sistemas de Informação da Universidade do Minho, e

Mercè Crosas, Instituto de Ciências Sociais Quantitativas da Universidade de Harvard

Todas as apresentações e gravações poderão ser vistas aqui.

No final deste dia ficou a sensação de dever cumprido, com resultados bastante positivos, de uma comunidade que está em franco crescimento, conforme se tem vindo a constatar, desde a criação deste Fórum. Outro momento alto foi o anúncio da criação do Nó Português da RDA e das repercussões positivas que poderá ter, para o contínuo afirmar da GDI em Portugal.

Na senda ficaram outras ideias, como a contínua dinamização desta comunidade ao longo do ano, através da criação de momentos de debate, conversas, sessões de esclarecimento, webinars, entre outras.

Vemo-nos em 2019!

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho - Serviços de Documentação

By 19 de Novembro de 2018 Read More →
Mais 1 ano de programa de mobilidade BAD

Mais 1 ano de programa de mobilidade BAD

Terminou mais um programa de mobilidade BAD – Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas subordinada ao tema “Projetos Open Access da Universidade do Minho: do RepositóriUM à infraestrutura Europeia do Acesso Aberto”.

Decorreu entre o dia de ontem e o de hoje, 08 de novembro, mais uma edição do programa de mobilidade BAD nos Serviços de Documentação da Universidade do Minho que desde 2014 tem vindo a receber colegas representantes de universidades nacionais. Este ano de 2018 os SDUM acolheram 7 participantes oriundos da Universidade de Coimbra, da CESPU, da Universidade Católica Portuguesa, do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa e da Universidade Federal de Minas Gerais.

O programa proposto teve como principal foco as atividades desenvolvidas pelo Gabinete de Projetos, que têm desenvolvido, ao longo dos últimos anos, um vasto trabalho na dinamização dos repositórios institucionais e no desenvolvimento do Acesso Aberto no panorama nacional e internacional.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 9 de Novembro de 2018 Read More →
Pré-lançamento do Manual de Formação em Ciência Aberta

Pré-lançamento do Manual de Formação em Ciência Aberta

Está disponível a partir de hoje uma versão prévia, ainda em fase de revisão,  do Manual de Formação em Ciência Aberta (https://github.com/Open-Science-Training-Handbook/Open-Science-Training-Handbook_PT), a tradução para português do Open Science Training Handbook (https://book.fosteropenscience.eu/), inicialmente desenvolvido, por iniciativa e com o patrocínio do projeto FOSTERPlus (https://www.fosteropenscience.eu/),  por um grupo de catorze autores que se reuniram em Hanover, em fevereiro de 2018, para criar um manual aberto e vivo sobre formação em Ciência Aberta.

O Manual de Formação em Ciência Aberta oferece orientações e recursos para instrutores e formadores no âmbito da Ciência Aberta, sugerindo métodos, instruções,  e apresentando exemplos de exercícios que podem ajudar os formadores a concretizarem os seus próprios planos de formação sobre a Ciência Aberta. Construído com base na experiência acumulada dos autores, este manual é orientado para o ensino prático do conhecimento aberto em ambiente educacional.

 

A versão portuguesa que agora se disponibiliza, como um dos contributos nacionais para a Semana Internacional do Acesso Aberto, é resultado do trabalho colaborativo de 23  tradutores (https://github.com/Open-Science-Training-Handbook/Open-Science-Training-Handbook_PT/tree/master/08FichaTecnica), com coordenação e revisão por parte da direção portuguesa do projeto FOSTERPlus  e de um dos autores do Handbook original. Os capítulos que se encontram disponíveis no Github estão ainda a ser revistos, pelo que agradecemos eventuais comentários e sugestões através da funcionalidade “Issue” do Github. Alternativamente os comentários e sugestões podem ser enviados para o endereço openaccess@sdum.uminho.pt com o Assunto: Manual de Formação em Ciência Aberta.

 

Pretende-se concluir a atual revisão da tradução e a produzir a versão 1.0 do Manual até ao final do mês de Outubro e disponibilizá-la no GitBook, e em diversos formatos, nos primeiros dias de novembro.

 

O grupo que coordena esta primeira versão do Manual de Formação em Ciência Aberta pondera ainda o desenvolvimento, em 2019,  de uma segunda versão do Manual, que não resulte da simples tradução do Open Science Training Handbook, mas que inclua conteúdos, exemplos, bibliografia e outros recursos originalmente em português.

 

Para se manterem informados sobre os desenvolvimentos relacionados com o Manual de Formação em Ciência podem continuar a acompanhar o seu conteúdo no Github (https://github.com/Open-Science-Training-Handbook/Open-Science-Training-Handbook_PT) e para acompanharem o conjunto da atividade do projeto FOSTERPlus podem subscrever a sua newsletter aqui: https://fosteropenscience.us16.list-manage.com/subscribe?u=c9575216d7047154957c576e2&id=4bb89bd1c2

Autor: Antónia Correia

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 25 de Outubro de 2018 Read More →
Semana Internacional do Acesso Aberto de 22 a 28 de outubro

Semana Internacional do Acesso Aberto de 22 a 28 de outubro

Arranca hoje a Semana Internacional do Acesso Aberto, evento global com atividades à escala local, que tem como objetivo disseminar o Acesso Livre ao Conhecimento, com o lema: Designing Equitable Foundations for Open Knowledge.

Esta iniciativa teve início em 2007 com um “dia do acesso livre” e desde 2009 que tem vindo a crescer tendo sido prolongada e transformada em “Semana do Acesso Aberto”.

Como tem sido habitual, trata-se de um evento promovido pelo SPARC (Scholarly Publishing and Academic Resources Coalition). Toda a informação relacionada com a atividade internacional está disponível em www.openaccessweek.org.

A adesão do Projeto RCAAP a esta iniciativa ocorre no âmbito das suas atividades de comunicação. Tem como propósito reunir sinergias para fazer desta semana, um evento significativo a nível nacional, com impacto no meio científico e académico e, deste modo, reforçar a importância dos repositórios institucionais e, em consequência, promover o Acesso Aberto em Portugal.

Recomendamos que todas as Instituições / Revistas nos façam chegar, em diferentes formatos, todas as atividades que pretendem realizar neste âmbito.

Convidamos cada um de vós a consultar o website, a reutilizar os materiais promocionais e a consultar e aplicar o kit de apoio à divulgação da OAW, ferramentas produzidas no âmbito do grupo de trabalho de divulgação do projeto RCAAP.

As iniciativas individuais ou coletivas são importantes!

Saibam +  em:

http://www.acessolivre.pt/semana/

https://www.facebook.com/rcaap

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 22 de Outubro de 2018 Read More →