internacional

Quer trabalhar connosco? Temos duas Bolsas de Gestão de Ciência e Tecnologia para colaborar em projetos de Open Access

Quer trabalhar connosco? Temos duas Bolsas de Gestão de Ciência e Tecnologia para colaborar em projetos de Open Access

Já se imaginou a trabalhar no projeto RCAAP e em outros projetos internacionais de grande relevância no domínio dos repositórios e acesso aberto? Pode ter essa oportunidade connosco, no Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

Só tem de reunir algumas condições (licenciatura ou mestrado, conhecimentos/experiência nos domínios da comunicação científica e/ou tecnologias da informação e domínio da língua inglesa),  aceitar “vestir a camisola”do Acesso Aberto e, acima de tudo, ter muita vontade de colaborar e aprender.

O período de candidaturas foi fixado em 10 dias úteis, de 29 de janeiro a 11 de fevereiro de 2016. O concurso está aberto a Licenciados/Mestres, preferencialmente em Ciências da Informação, Serviços de Informação ou Sistemas de Informação. Todas as informações necessárias para apresentação da candidatura podem ser consultadas em:

oa_tshirts

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 29 de Janeiro de 2016 Read More →
7ª ConfOA: chamada de trabalhos e alteração de datas

7ª ConfOA: chamada de trabalhos e alteração de datas

Devido à reintrodução do feriado nacional no dia 1 de novembro, as datas da 7ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) foram alteradas para 2 e 3 de novembro, e os workshops passaram de pré-conferência para pós-conferência a 4 de novembro de 2016.

Logos_CONFOA_2016

Os temas a serem tratados no âmbito da Conferência são os seguintes:

  • Acesso Aberto e Ciência Aberta (práticas e implicações)
  • Repositórios de publicações científicas;
  • Revistas científicas de acesso aberto;
  • Gestão de dados científicos abertos e repositórios de dados científicos;
  • Políticas e mandatos de acesso aberto;
  • Publicação institucional (editoras universitárias e outras iniciativas)
  • Interoperabilidade entre os repositórios e outros sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica;
  • Sistemas de gestão da Ciência e Tecnologia (CRIS);
  • Preservação digital;
  • Direitos de autor;
  • Acesso aberto, bibliometria e métricas alternativas.

Convidamos todos os interessados a submeter os seus trabalhos (nas modalidades de Comunicação e Póster) a partir deste momento, através do website da conferência http://confoa.rcaap.pt.

Em caso de dúvida ou questão, deverá ser usado o email confoa2016@pres.ipv.pt.

Acompanhe todos os desenvolvimentos nas redes sociais:

Facebook: https://goo.gl/wQZHIR  e Twitter: https://twitter.com/confoa

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 20 de Janeiro de 2016 Read More →
Lançamento do Repositório institucional da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e

Lançamento do Repositório institucional da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e

Foi apresentado em Dili, no dia 24 de novembro, o Repositório da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e, numa sessão que contou com a presença do Reitor da Universidade do Minho. A criação deste novo repositório, que se constitui como mais um marco relevante para o crescimento do acesso aberto no espaço lusófono, é o resultado de um protocolo celebrado entre a Universidade Nacional de Timor Lorosa’e e a Universidade do Minho.

O Repositório UNTL disponibiliza um acervo crescente das publicações científicas produzidas nas universidades de Timor Lorosae. O objetivo do Repositório UNTL é armazenar, preservar, divulgar e dar acesso à produção intelectual das instituições timorenses em formato digital e maximizar a visibilidade, uso e impacto da sua investigação através do Acesso Aberto.

Consulte e divulgue >>> http://repositorio.untl.edu.tl/

Repositorio_UNTL_Pagina_principal

Autor: José Carona Carvalho

Gestor de Projeto no Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Gestão dos serviços de informação, apoio e formação são as áreas de intervenção.

By 7 de Dezembro de 2015 Read More →
7ª ConfOA: 31 de outubro, 1 e 2 de novembro de 2016

7ª ConfOA: 31 de outubro, 1 e 2 de novembro de 2016

Reservem os próximos dias 31 de outubro, 1 e 2 de novembro de 2016 para participarem na 7ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) que se irá realizar no Instituto Politécnico de Viseu.

Em janeiro serão divulgados os formatos, as modalidades e o período em que os trabalhos poderão ser submetidos.

Aguardem!!!

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 30 de Novembro de 2015 Read More →
Auditoria aos Repositórios Científicos Institucionais de Portugal revela fiabilidade na gestão e preservação de objetos digitais. Abrangendo cerca de 28 repositórios, esta iniciativa de auditoria em grande escala é pioneira a nível mundial

Auditoria aos Repositórios Científicos Institucionais de Portugal revela fiabilidade na gestão e preservação de objetos digitais. Abrangendo cerca de 28 repositórios, esta iniciativa de auditoria em grande escala é pioneira a nível mundial

O RCAAP (Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal), operado pela unidade FCCN da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT|FCCN) com o apoio da Universidade do Minho, concluiu a auditoria que tinha como objetivo aferir o nível de conformidade da infraestrutura de suporte aos repositórios SARI (Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais) relativo ao referencial normativo ISO 16363:2012Audit and certification of trustworthy digital repositories. Esta auditoria interna revelou um elevado nível de maturidade relativamente ao cumprimento dos requisitos normativos, estando os repositórios integrados no serviço SARI bem preparados em termos de infraestrutura, fiabilidade e segurança na preservação de objetos digitais.auditoria_imagem_press.fwA auditoria agora terminada é o culminar de uma necessidade identificada em 2012, pela equipa do projeto RCAAP,  para melhorar as práticas e suporte no domínio da preservação digital e fazer face às crescentes responsabilidades relativas ao depósito legal das teses e dissertações e à implementação da política de acesso aberto da FCT. Efetivamente, a 15 de setembro foi aprovado o Regulamento Técnico de Depósito de Teses e Trabalhos de Doutoramento e de Dissertações de Mestrado (Portaria nº 285/2015). Esta Portaria obriga ao depósito de uma cópia digital num repositório integrante da rede RCAAP. Por outro lado, a Política de Acesso Aberto da FCT, aprovada em 16 de janeiro de 2014 e aplicável às publicações resultantes do financiamento concedido em concursos lançados desde de 5 de maio de 2014, defende a disponibilização dos resultados da investigação científica através da internet, de forma aberta, livre e sem custos para o utilizador.

Por estes motivos, para que os processos tivessem os níveis de confiança necessários para os diferentes intervenientes, revelou-se necessário proceder a uma auditoria interna que permitisse aferir o nível de maturidade dos vários repositórios que integram a rede SARI, em três dimensões: Infraestrutura Organizacional (1ª fase); Gestão de Objetos Digitais e Infraestrutura e Gestão da Segurança (2ª fase).

Na 1ª fase, os responsáveis pelos repositórios, associados à dimensão infraestrutura organizacional, foram convidados a fornecer evidências para todos os níveis de conformidade da referida dimensão e a realizarem um exercício de autoavaliação para cada um dos requisitos do referencial normativo em análise. Nesta dimensão, os repositórios institucionais obtiveram, numa escala de 1 a 4, na auditoria preliminar (de diagnóstico) uma avaliação média de 2.1. Na sequência da implementação de uma parte significativa das recomendações da auditoria de diagnóstico o valor médio aumentou para 3.4 na auditoria final.

Na 2ª e última fase, após análise de todas as evidências, o serviço SARI foi capaz de aumentar, numa escala de 1 a 4, o seu nível de maturidade relativamente ao cumprimento dos requisitos do referencial normativo ISO 16363, de 2.8 para 3.7 para a dimensão Gestão de Objetos Digitais. Por sua vez, no que diz respeito aos requisitos referentes à infraestrutura e gestão da segurança, o repositório aumentou o seu nível de maturidade média de 2.6 para 3.8.

O projeto Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (RCAAP), gerido pela FCT|FCCN, com o suporte científico e técnico da Universidade do Minho, visa aumentar a visibilidade, acessibilidade e a divulgação da produção científica nacional e integrar Portugal nas iniciativas internacionais no domínio do Open Access e infraestruturas de apoio à ciência.

Para além do serviço eletrónico de alojamento de repositórios institucionais (SARI), nos últimos anos, o projeto RCAAP alargou o seu âmbito de atuação, desenvolvendo novos serviços para servir a comunidade científica portuguesa. Entre estes destacam-se o serviço de alojamento de revistas científicas (SARC), o serviço centralizado de estatísticas de uso (SCEUR) e o repositório de dados científicos.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 29 de Novembro de 2015 Read More →
Diretrizes COAR para avaliar serviços dos editores científicos para repositórios

Diretrizes COAR para avaliar serviços dos editores científicos para repositórios

A Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) acaba de publicar diretrizes para avaliar potenciais serviços prestados pelos editores científicos no âmbito dos repositórios de Acesso Aberto.

COAR-banner

Estas recomendações resultam da crescente oferta de serviços para a comunidade de repositórios que os editores de revistas científicas têm vindo a anunciar,  envolvendo a transferência automática de conteúdos (metadados e/ou artigos científicos) para os repositórios.

De modo geral, COAR recomenda que a celebração de acordos entre repositórios e editores se concretize apenas quando as seguintes condições são respeitadas:

  1. Os serviços devem incluir a transferência para o repositório de ambos os conteúdos: texto integral metadados, e essa transferência deve ocorrer o mais rapidamente possível (na aceitação para publicação ou noutro momento antes da publicação), mas nunca depois do momento da publicação. Os metadados dos repositórios conectados com sistemas de ‘paywall’ dos editores – pagamento de subscrição – não melhoram a acessibilidade ao texto integral dos artigos científicos e apenas servem para direcionar o tráfego para os websites dos editores.
  2. Os serviços não devem impor períodos de embargo superiores a 12 meses (o ideal é 6 meses para as áreas das Ciências, Tecnologia e Medicina) e existindo períodos de embargo dos editores, estes não devem ser alargados como resultado da adoção destes serviços.

Os repositórios são também incentivados a adotar licenças que permitam a reutilização e mineração do texto completo (full-text mining) depois de concluídos os períodos de embargo.

O texto original das diretrizes da COAR está disponível aqui.

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 6 de Novembro de 2015 Read More →
ERASMUS staff training 2015: visitas ao gabinete de projetos Open Access da UMinho

ERASMUS staff training 2015: visitas ao gabinete de projetos Open Access da UMinho

No âmbito do Programa de Mobilidade – ERASMUS staff training, o Gabinete de Projetos dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho tem vindo a acolher representantes de universidades de outros países europeus, ao longo dos anos.

Se durante os meses de março e abril recebemos colegas de Espanha, Alemanha e Japão, no passado mês de setembro a Turquia e a República Checa fizeram-se representar por Hakan Yanaz da University of Ozyegin e Josef Krupicka  da University of Pardubice respetivamente.

O foco da visita centrou-se na gestão do RepositóriUM, particularmente em questões práticas de administração e na dimensão da interoperabilidade. Os projetos Open Access em que a equipa dos Serviços de Documentação tem participado, quer a nível internacional (OpenAIRE, FOSTER e PASTEUR4OA), quer a nível nacional (RCAAP), foram também apresentados.

20150910_160024

Estes intercâmbios de informação sobre diferentes realidades de projetos desenvolvidos em contexto universitário são, inequivocamente, primordiais na disseminação do Acesso Aberto na Europa.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 13 de Outubro de 2015 Read More →
OpenAIRE integra dados dos projetos financiados pela FCT na sua infraestrutura de Acesso Aberto

OpenAIRE integra dados dos projetos financiados pela FCT na sua infraestrutura de Acesso Aberto

A Fundação para a Ciência e Tecnologia foi o primeiro financiador nacional a usufruir dos serviços de dados e informação OpenAIRE para organismos financiadores de ciência. A infraestrutura OpenAIRE disponibiliza, desde maio do corrente ano, a informação de quase 7000 publicações identificadas como resultados de 2690 projetos com financiamento da FCT, resultado de um projeto piloto que tem como finalidade agregar no portal OpenAIRE os projetos e bolsas financiadas pela FCT e identificar as publicações que lhes estão associadas depositadas em repositórios das rede OpenAIRE e RCAAP.

OpenAIRE_FCT_portal_may2015

Os dados agregados nesta infraestrutura de Acesso Aberto para a investigação na Europa, resultam da primeira fase deste projeto piloto onde foram já integrados 10688 projetos financiados pela FCT entre 2000 a 2014. Com base na informação destes projetos, e resultado dos serviços de inferência e processos de text mining do OpenAIRE, foram já identificadas 6705 publicações associadas a 2690 projetos. Para este primeiro conjunto de dados, já disponibilizados publicamente, foram alvo de text mining os conteúdos de apenas uma parte dos repositórios institucionais portugueses integrantes do RCAAP, especificamente os repositórios que integram o Serviço de Alojamento de Repositórios (SARI = 28) mais o RepositóriUM (Universidade do Minho). Destes primeiros resultados, destacam-se 1148 publicações identificadas no RepositóriUM, 439 nos repositórios ULisboa/UTL e 307 na Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança, mas praticamente todos os repositórios portugueses da rede RCAAP têm publicações associadas a projetos FCT.

FCT_OpenAIRE_data_providers_may2015Um dos serviços relevantes que resulta deste piloto é a integração da lista de projetos FCT na API do OpenAIRE, onde já constavam os projetos do 7º Programa-Quadro da Comissão Europeia e da Fundação Welcome Trust. Esta lista está agora disponível para os repositórios RCAAP via addon DSpace do formulário de submissão (já instalado nos repositórios do SARI), facilitando assim a associação de projetos a publicações no momento do depósito. Atualmente, a API OpenAIRE disponibiliza informação de mais de 10000 projetos financiados entre janeiro de 2000 a fevereiro de 2014, sendo previsível que até ao final do ano sejam incorporados outros em falta, entretanto aprovados em 2014 e 2015, e também as bolsas individuais.

O trabalho já desenvolvido, demonstra a relevância da infraestrutura OpenAIRE para apoiar:

  1. os organismos financiadores do espaço europeu de investigação, na monitorização das suas políticas de acesso aberto;
  2. os repositórios, na identificação de publicações que se configurem como resultado de projetos;
  3. os projetos, e seus investigadores e coordenadores, na disseminação dos seus resultados e disponibilização de listas de publicações para efeito de relatórios de projeto,
  4. as redes de repositórios e outros sistemas de informação científica nacional, na operacionalização de serviços de identificação e associação de projetos a publicações e conjuntos de dados científicos.

Especificamente, no quadro das atividades do RCAAP, o trabalho desenvolvido na infraestrutura OpenAIRE, vem apoiar a realização e monitorização da Política de Acesso Aberto da FCT, através:

a) da disponibilização do serviço web para identificação dos projetos;

b) da identificação de projetos em publicações já agregadas no portal OpenAIRE.

A equipa da UMinho em colaboração com o RCAAP irá levar a cabo nos próximos meses um conjunto de iniciativas dedicadas à identificação dos projetos financiados (FCT, 7ºPQ e H2020) nas publicações dos repositórios do RCAAP. Já no próximo mês de setembro serão realizados dois webinars para gestores de repositórios e outros profissionais de informação e administradores de ciência para melhor clarificar estas questões – participe!

openaire_connections

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access - OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 31 de Julho de 2015 Read More →
Mobilidade BAD nos SDUM

Mobilidade BAD nos SDUM

Subordinado ao tema “Projetos Open Access da Universidade do Minho: do RepositóriUM à infraestrutura Europeia do Acesso Aberto”, os Serviços de Documentação da Universidade do Minho (SDUM) receberam no passado mês de maio, no âmbito do programa de mobilidade da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas (BAD), 7 participantes oriundas do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Instituto Politécnico do Porto, do Instituto Politécnico de Lisboa e da Universidade de Lisboa.

Bad

O programa de visita proposto centrou-se na atividade do gabinete de projetos Open Access dos SDUM. Os SDUM têm desenvolvido ao longo dos últimos dez anos um vasto trabalho na dinamização dos Repositórios Institucionais e no desenvolvimento do Acesso Aberto no panorama nacional e internacional. A disponibilização deste programa procurou guiar as participantes desde as componentes essenciais de operação de um Repositório Institucional até à integração deste sistema de informação científica em infraestruturas de âmbito nacional (RCAAP) e europeu (OpenAIRE), procurando destacar os requisitos de interoperabilidade (normas, protocolos e diretrizes técnicas) inerentes aos processos de integração dos sistemas.

Estes e outros programas que os SDUM têm vindo a acolher representam oportunidades cruciais para a troca de experiências profissionais e partilha de informação em virtude da melhor compreensão e disseminação do Acesso Aberto.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 25 de Junho de 2015 Read More →
Prorrogação do prazo de submissão de trabalhos da 6ª ConfOA para 31 de maio de 2015

Prorrogação do prazo de submissão de trabalhos da 6ª ConfOA para 31 de maio de 2015

O prazo para a apresentação de propostas para a 6ª ConfOA que se irá realizar na Bahia – Brasil, de 4 a 7 de outubro de 2015, foi prolongado até ao dia 31 de maio.

confoa2015_600-fw

Os trabalhos submetidos podem ser apresentados nas seguintes modalidades:

  • Comunicações – deverá ser apresentado um resumo de 1 a 2 páginas (aproximadamente 500 a 1.000 palavras) de cada proposta;
  • Pósteres – Deverá ser apresentado um resumo de 1 página (até 500 palavras) de cada proposta.

A 6ª ConfOA tem por objetivo promover a partilha, discussão, produção e divulgação de conhecimentos, práticas e pesquisa sobre o Acesso Aberto em todas as suas dimensões e perspetivas, servindo de catalisador à disseminação de políticas, pesquisa e desenvolvimento na área.

No âmbito da Conferência os temas a serem abordados são os seguintes:

– Repositórios de publicações científicas;
– Revistas científicas de Acesso Aberto;
– Repositórios de dados científicos;
– Políticas e mandatos de Acesso Aberto;
– Interoperabilidade entre os repositórios e outros sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica;
– Sistemas de gestão da Ciência e Tecnologia (CRIS);
– Preservação digital;
– Direitos de autor;
– Acesso Aberto, bibliometria e métricas alternativas.

Informações gerais: http://www.acessolivre.pt/c/index.php/confoa2015/c

Em caso de dúvida ou questão, poderão usar o email: confoa2015@gmail.com

Partilhem e divulguem!!!

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 14 de Maio de 2015 Read More →
Porto acolheu em abril conferência conjunta COAR e SPARC sobre acesso aberto e repositórios

Porto acolheu em abril conferência conjunta COAR e SPARC sobre acesso aberto e repositórios

Numa organização conjunta da Scholarly Publishing and Academic Resources Coalition (SPARC) e da Confederation of Open Access Repositories (COAR), realizou-se no passado mês de abril, de 14 a 16, na Universidade do Porto, a conferência “Connecting research results, bridging communities, opening scholarship”. Este evento, juntou aproximadamente 100 delegados em representação de vários países da Ásia, África, América do Sul e do Norte e da Europa, contribuindo para uma reflexão transversal e de dimensão internacional sobre os desafios para o acesso aberto aos resultados da informação científica e os repositórios digitais.

coar_sparc_conference_end

Uma conferência que apontou caminhos para as políticas de Acesso Aberto e para o papel dos repositórios de informação científica e académica na interligação dos resultados de investigação e na sua maior visibilidade e melhor acesso.

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access - OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 6 de Maio de 2015 Read More →
Eloy Rodrigues presidirá ao Conselho Executivo 2015-2018 da Confederação Mundial de Repositórios de Acesso Aberto

Eloy Rodrigues presidirá ao Conselho Executivo 2015-2018 da Confederação Mundial de Repositórios de Acesso Aberto

No passado mês de abril, na Assembleia Geral realizada no Porto, a Confederação Mundial de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) elegeu os membros do seu Conselho Executivo para 2015-2018. Eloy Rodrigues, Diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho, foi eleito presidente do novo conselho que é constituído por seis membros representando a Europa, a África, a América Latina e a América do Norte.

A partir de 01 de outubro de 2015, Eloy Rodrigues, presidirá ao conselho executivo da COAR, que será constituído ainda por Carman Gloria Labbé, Vice-Presidente (CLARA, Chile), Marta Viragos, Tesoureiro (Universidade de Debrecen, Hungria), Daisy Selematsela, National Research Foundation (África do Sul), Oya Rieger da Universidade de Cornell (EUA) e Wolfram Horstmann de Göttingen University Library (Alemanha).

executiv_board_coar2015-2018

A Confederation of Open Access Repositories (COAR) é uma associação criada em outubro de 2009, para reunir instituições relacionadas com os repositórios de acesso aberto. Neste momento, a associação congrega e representa mais de 100 instituições de todo o mundo (Europa, América Latina, Ásia e América do Norte), constituindo a sua missão primordial, promover uma maior visibilidade e aplicação dos resultados resultantes de investigação através de redes globais de repositórios digitais de Acesso Aberto.

Através das instituições membro, a COAR está trabalhar no desenvolvimento de uma comunidade de repositórios de Acesso Aberto com práticas universais, em diferentes países, regiões e disciplinas. A visão da COAR assenta numa infraestrutura global de repositórios, sustentada numa rede de Acesso Aberto. Atualmente, a confederação possui vários grupos de trabalho e grupos de interesse bastante ativos, cada um com o seu próprio conjunto de responsabilidades, objetivos e finalidades, e com trabalhos relevantes produzidos recentemente.

Como aderir à COAR

Aderir à COAR poderá traduzir-se numa maior participação e melhor capacidade de contribuir para a prossecução dos objetivos da organização, tais como, a interoperabilidade, a sensibilização e promoção de repositórios OA, apoiar a comunidade de repositórios e trabalho em rede com parceiros em áreas afins.

A confederação oferece várias formas de participação, incluindo memberships para insituições individuais (https://www.coar-repositories.org/about/join/membership-fee-regulations), de consórcio, bem como, a oportunidade de participar como parceiro.

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access - OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 4 de Maio de 2015 Read More →
Open Access: as primeiras visitas de 2015 aos SDUM

Open Access: as primeiras visitas de 2015 aos SDUM

Dando continuidade às visitas realizadas anteriormente ao Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação, quer por parte de colegas de universidades de outros países, quer de colaboradores dos projetos europeus, recebemos no último mês diversos colegas.

Cristal.fwNa semana de 16 a 20 de março, no âmbito do programa IACOBUS, recebemos a Cristal Martínez Pousa, da Universidade de Santiago de Compostela, Espanha.

A equipa dos Serviços de Documentação apresentou os projetos Open Access em que tem participado, quer a nível nacional (projeto RCAAP), quer a nível internacional (OpenAIRE, FOSTER e PASTEUR4OA). Já o RepositóriUM com destaque nos workflows, política institucional, procedimentos de monitorização e estatística, foi também apresentado neste intercâmbio profissional.

Por sua vez Cristal Martínez Pousa teve a possibilidade de nos dar a conhecer a realidade do repositório da Universidade de Santiago de Compostela.

Jochen.fw

Durante este mês de abril, na sequência da co-organização e participação dos Serviços de Documentação na conferência anual COAR-SPARC visitou-nos Jochen Schirrwagen, da Universidade de Bielefeld, Alemanha, responsável pelo processo de data curation do portal OpenAIRE e da equipa das directrizes OpenAIRE.

Taro.fwEm simultâneo, recebemos Misumi Taro, Gestor  do repositório da Universidade Chiba, Japão, com o objetivo prático de se inteirar das questões práticas do RepositóriUM.

Todas as visitas acolhidas se revelam em excelentes oportunidades de troca de informação e experiências profissionais, sobre diferentes perspectivas, em prol dos desenvolvimentos do Acesso Aberto.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 23 de Abril de 2015 Read More →
Atas da 5ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto publicadas recentemente nos Cadernos BAD

Atas da 5ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto publicadas recentemente nos Cadernos BAD

Foi publicado no final do passado mês de dezembro o número dos Cadernos BAD (nº2, 2014) que contém os artigos e resumos dos trabalhos apresentados na 5ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) realizada nos dias 6, 7 e 8 de Outubro de 2014 na Reitoria da Universidade de Coimbra.

CapaCadBAD22014_publicadaEste número dos Cadernos BAD – publicação da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas – disponibiliza em acesso livre os artigos das comunicações da ConfOA, bem como o resumo das PechasKuckas apresentadas.
Como descrito no editorial deste número especial, “ainda que a maior parte dos trabalhos tenha como foco os repositórios institucionais, o leque de temas abordados na ConfOA, e agora publicados, abrange um largo espectro, que vai desde a gestão de dados científicos, até à publicação de revistas científicas ou as políticas de acesso aberto, passando pelas questões dos direitos de autor, da bibliometria, da interoperabilidade e dos sistemas de gestão de informação científica”.

Consulte os Cadernos BAD em www.bad.pt/publicacoes/index.php/cadernos.

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access - OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 6 de Janeiro de 2015 Read More →
São já mais de 500.000 artigos em Acesso Aberto no Portal RCAAP

São já mais de 500.000 artigos em Acesso Aberto no Portal RCAAP

O Portal RCAAP (Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal) indexa já mais de 500.000 documentos em Acesso Aberto provenientes de 83 recursos. Com estes números, que se têm mantido com um crescimento sustentado, o RCAAP assume-se como o principal agregador de ciência em Acesso Aberto do espaço lusófono, à distância de um clique e em qualquer parte do mundo. Indexa artigos científicos, partes ou capítulos de livros, todo o tipo de documentos relacionados com uma conferência, teses de doutoramento e dissertações de mestrado disponíveis para downloads sem restrições.Em 6 anos o Projeto RCAAP consolidou a sua missão e objetivos, ganhando reconhecimento e importância a nível nacional e internacional. A nível nacional, a exigência do crescimento e da melhoria contínua dos serviços são os desafios para os que diariamente trabalham para servir a Comunidade.

logo_rcEm sintonia com este crescimento global do Projeto RCAAP, o Repositório Comum, criado em 2009,  tem tido um forte aumento, quer ao nível das consultas, quer de downloads. Destina-se a investigadores afiliados em instituições dos sistema científico nacional que não possuam repositório institucional próprio. Presentemente conta já com 4824 documentos agregados de 38 instituições aderentes.

Por outo lado, o RCAAP será um serviço chave para assegurar o cumprimento dos requisitos da Política de Acesso Aberto da FCT. Estas orientações de carácter vinculativo estabelecem as regras a observar pelos investigadores no âmbito das publicações resultantes de investigação financiada, total ou parcialmente, pela FCT.

O RCAAP contribuiu decisivamente para se dar cumprimento ao Decreto-Lei 115/2013 que define como obrigatório o depósito legal de uma cópia digital de teses de doutoramento, de trabalhos previstos nas alíneas a) e b) do nº 2 do art.º 31º e de dissertações de mestrado num repositório integrante da rede RCAAP.

O dia-a-dia é desafiante, mas só possível face à audácia por parte de toda a Comunidade RCAAP.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 19 de Dezembro de 2014 Read More →