temático

Mais 1 ano de programa de mobilidade BAD

Mais 1 ano de programa de mobilidade BAD

Terminou mais um programa de mobilidade BAD – Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas subordinada ao tema “Projetos Open Access da Universidade do Minho: do RepositóriUM à infraestrutura Europeia do Acesso Aberto”.

Decorreu entre o dia de ontem e o de hoje, 08 de novembro, mais uma edição do programa de mobilidade BAD nos Serviços de Documentação da Universidade do Minho que desde 2014 tem vindo a receber colegas representantes de universidades nacionais. Este ano de 2018 os SDUM acolheram 7 participantes oriundos da Universidade de Coimbra, da CESPU, da Universidade Católica Portuguesa, do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa e da Universidade Federal de Minas Gerais.

O programa proposto teve como principal foco as atividades desenvolvidas pelo Gabinete de Projetos, que têm desenvolvido, ao longo dos últimos anos, um vasto trabalho na dinamização dos repositórios institucionais e no desenvolvimento do Acesso Aberto no panorama nacional e internacional.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 9 de Novembro de 2018 Read More →
Semana Internacional do Acesso Aberto de 22 a 28 de outubro

Semana Internacional do Acesso Aberto de 22 a 28 de outubro

Arranca hoje a Semana Internacional do Acesso Aberto, evento global com atividades à escala local, que tem como objetivo disseminar o Acesso Livre ao Conhecimento, com o lema: Designing Equitable Foundations for Open Knowledge.

Esta iniciativa teve início em 2007 com um “dia do acesso livre” e desde 2009 que tem vindo a crescer tendo sido prolongada e transformada em “Semana do Acesso Aberto”.

Como tem sido habitual, trata-se de um evento promovido pelo SPARC (Scholarly Publishing and Academic Resources Coalition). Toda a informação relacionada com a atividade internacional está disponível em www.openaccessweek.org.

A adesão do Projeto RCAAP a esta iniciativa ocorre no âmbito das suas atividades de comunicação. Tem como propósito reunir sinergias para fazer desta semana, um evento significativo a nível nacional, com impacto no meio científico e académico e, deste modo, reforçar a importância dos repositórios institucionais e, em consequência, promover o Acesso Aberto em Portugal.

Recomendamos que todas as Instituições / Revistas nos façam chegar, em diferentes formatos, todas as atividades que pretendem realizar neste âmbito.

Convidamos cada um de vós a consultar o website, a reutilizar os materiais promocionais e a consultar e aplicar o kit de apoio à divulgação da OAW, ferramentas produzidas no âmbito do grupo de trabalho de divulgação do projeto RCAAP.

As iniciativas individuais ou coletivas são importantes!

Saibam +  em:

http://www.acessolivre.pt/semana/

https://www.facebook.com/rcaap

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 22 de Outubro de 2018 Read More →
Acesso e preservação de informação científica na Europa

Acesso e preservação de informação científica na Europa

Relatório de implementação da Recomendação Europeia C(2012) 4890

Este relatório apresenta as informações reunidas junto dos estados membros, no que diz respeito ao processo de implementação da Recomendação de 2012, sobre o Acesso Aberto e a Preservação da Informação Científica.

O documento foi elaborado com base num questionário, requerido aos estados membros, para que se manifestassem e avaliassem esta recomendação, enquanto instrumento de relevância para a promoção das políticas de Acesso Aberto e para a Preservação da Informação Científica na União Europeia.

De acordo com os resultados obtidos, pode constatar-se que a maior parte dos países se encontram ou em fase de discussão, ou em fase de implementação das políticas de Acesso Aberto a publicações, demonstrando, no entanto, alguma evolução relativamente a períodos anteriores de avaliação.

Os níveis de progresso observados notam-se mais especificamente no que toca à gestão de dados de investigação e às políticas FAIR (Findable, Accessible, Interoperable, Reusable), por parte dos estados membros, dos financiadores e demais instituições, onde se destaca a criação e desenvolvimento de infraestruturas digitais, com o intuito de prestar apoio no acesso e preservação da informação científica. Neste contexto, um grande número de países participa em iniciativas financiadas pela UE, com o intuito de se alinharem com as normas internacionais de tratamento e interoperabilidade. Outras áreas carecem de mais trabalho e investigação, como é o caso dos direitos de autor, por forma a defender os direitos associados à investigação e aos seus protagonistas (investigadores), assim como de todo o processo de monitorização associado ao Acesso Aberto e à Preservação da Informação Científica.

Contudo, num 1/3 dos países, as organizações de financiamento público ainda não têm políticas de Acesso Aberto, espelhando as várias velocidades em curso, quer no processo de implementação, quer nas políticas de gestão de dados de investigação. A opinião geral dos entrevistados é de que deveria existir uma maior coordenação da implementação destas políticas, para assegurar um eficaz alinhamento de uma estratégia que deverá ser comum a todos.

Gráfico ilustrativo da implementação das politicas de Acesso Aberto | fonte: https://publications.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/676f8a3b-62f6-11e8-ab9c-01aa75ed71a1

Em muito dos países, as políticas de gestão de dados já estão a ser aplicadas a um nível institucional, mesmo que a política nacional ainda não esteja em curso.

A gestão de dados de investigação e o Acesso Aberto aos dados ainda não são, por isso, uma política mandatória, sendo apenas aplicável aos projetos financiados pela UE, onde os investigadores ainda assim, podem optar por colocá-los em aceso aberto ou não.

A maioria dos países revela uma intenção clara na implementação destas práticas, estando a desenvolver estratégias de atuação, como por exemplo,  na integração dos sistemas de avaliação da carreira docente, na área da educação e no desenvolvimento de competências.

Cerca de 2/3 dos países revelam já ter programas de formação avançados, para capacitar profissionais nas áreas da gestão de dados de investigação (GDI). No entanto, apenas metade faz monitorização do desenvolvimento / produção de dados de investigação e do impacto do Acesso Aberto. Assim podemos dar conta de alguns projetos piloto para monitorizar o Acesso Aberto, uma vez que é muito importante o processo de negociação com as grandes editoras, dado o crescente esforço colaborativo, demonstrado pela maior parte dos países, na assinatura de periódicos e no processo de interoperabilidade das infraestruturas digitais, no contexto nacional e transnacional.

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho - Serviços de Documentação

By 12 de Julho de 2018 Read More →
Adiado prazo de submissão de trabalhos para a ConfOA 2018

Adiado prazo de submissão de trabalhos para a ConfOA 2018

Foi prorrogado até ao próximo dia 22 de abril de 2018 o prazo de submissão dos trabalhos para a a 9ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA), que este ano se irá realizar nos dias 2 e 3 de outubro (com workshops pós-conferência previstos para 4 de outubro), no campus do ISCTE-IUL, em Lisboa.

Assim, convidamos a comunidade a apresentar propostas de trabalhos sobre os seguintes temas:

  • Acesso Aberto e Dados de Investigação Abertos: sistemas, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de investigação ou de património cultural
    • Revistas científicas de Acesso Aberto e tendências na comunicação e divulgação científicaconferência
    • Publicação institucional em Acesso Aberto
    • Definição, análise e avaliação de políticas institucionais e de financiadores
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
    • Direitos de autor e Acesso Aberto
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Investigação e RRI (Responsible Research and Innovation /Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Desenvolvimento e comunidades de software livre para a promoção do Acesso Aberto e da Ciência Aberta
    • Outras práticas de conhecimento aberto (educação aberta)
  • Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • CRIS – Sistemas de Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica
    • Normas e diretrizes
    • Identificadores persistentes

 

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros temas relacionados com os aspetos políticos, sociais, organizativos ou técnicos relacionados com o Acesso Aberto e a Ciência Aberta.

O processo de apresentação e modelos das propostas estão disponíveis para consulta e download no website da ConfOA.

Aguardamos pela submissão dos vossos trabalhos: http://confoa.rcaap.pt/2018/submissoes-on-line/

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 3 de Abril de 2018 Read More →
Webinar sobre Serviços OpenAIRE para Gestores de Repositórios (2 de maio de 2018)

Webinar sobre Serviços OpenAIRE para Gestores de Repositórios (2 de maio de 2018)

No âmbito do projeto OpenAIRE, os Serviços de Documentação da Universidade do Minho organizam um webinar específico para gestores de repositórios da rede RCAAP – “OpenAIRE Dashboard for Content Providers”.

Com este webinar pretende-se dar a conhecer o novo serviço do OpenAIRE para os gestores de repositórios onde, a partir de um único ponto de acesso, terá à sua disposição uma série serviços de valor acrescentado. Para além do registo e validação de repositórios institucionais, de publicações, de dados ou sistemas agregadores ou de revistas, é agora possível enriquecer o conteúdo do seu repositório a partir de serviços de notificação de enriquecimento de metadados e ainda a possibilidade de aceder a informação de estatísticas de uso configurando o serviço de métricas do OpenAIRE.

O OpenAIRE – infraestrutura de Acesso Aberto para a investigação na Europa – é o serviço que apoia a implementação da política de Ciência Aberta da Comissão Europeia no quadro do Horizonte 2020. Os Serviços de Documentação da Universidade do Minho, enquanto secretariado português do OpenAIRE tem vindo a promover variadas ações de esclarecimento sobre os requisitos Open Access e Open Data no H2020.

 

Inscreva-se!

Formulário de inscrição – https://goo.gl/forms/hW0qfHbYn1vdO8Xe2

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho - Serviços de Documentação

By 12 de Março de 2018 Read More →
LEMBRETE: ConfOA 2018 – chamada de trabalhos

LEMBRETE: ConfOA 2018 – chamada de trabalhos

Recordamos que termina já no próximo dia 09 de abril o prazo para submissão de trabalhos para a 9ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA), que este ano se irá realizar nos dias 2 e 3 de outubro (com workshops pós-conferência previstos para 4 de outubro), no campus do ISCTE-IUL, em Lisboa.

Assim, convidamos a comunidade a apresentar propostas de trabalhos sobre os seguintes temas:

  • Acesso Aberto e Dados de Investigação Abertos: sistemas, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de investigação ou de património cultural
    • Revistas científicas de Acesso Aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em Acesso Aberto
    • Definição, análise e avaliação de políticas institucionais e de financiadores
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
    • Direitos de autor e Acesso Aberto
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Investigação e RRI (Responsible Research and Innovation /Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Desenvolvimento e comunidades de software livre para a promoção do Acesso Aberto e da Ciência Aberta
    • Outras práticas de conhecimento aberto (educação aberta)
  • Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • CRIS – Sistemas de Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica
    • Normas e diretrizes
    • Identificadores persistentes

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros temas relacionados com os aspetos políticos, sociais, organizativos ou técnicos relacionados com o Acesso Aberto e a Ciência Aberta.

O processo de apresentação e modelos das propostas estão disponíveis para consulta e download no website da ConfOA.

Aguardamos pela submissão dos vossos trabalhos: http://confoa.rcaap.pt/2018/submissoes-on-line/

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 12 de Março de 2018 Read More →
Publicado estudo OpenAIRE sobre “Barreiras legais à partilha de dados”

Publicado estudo OpenAIRE sobre “Barreiras legais à partilha de dados”

Recentemente foi publicado um estudo realizado no âmbito do projeto OpenAIRE2020 sobre barreiras legais à partilha aberta de dados – Proteção de Dados e Informação do Setor Público, no seu título original: Study on legal barriers to open data sharing – Data Protection and PSI.

Esta investigação tenta examinar de perto as barreiras legais na partilha de dados, no contexto do Open Research Data Pilot, da Comissão Europeia | Horizonte 2020. Aqui levantam-se duas questões legais para implementação de referido projeto: a Lei de Proteção de Dados e Informação do Setor Público (Public Sector Information – PSI).

Outra das questões pertinentes abordadas neste estudo refere-se à legislação sobre a Informação do Setor Público (PSI), em particular a diretiva (2003/98/EC), acerca da reutilização de PSI e posterior revisão (2013/37/EU), e o seu impacto no acesso e reutilização de materiais à guarda nas bibliotecas, incluindo nas bibliotecas universitárias.

 

 

Esta investigação encerra dando algumas recomendações, com o intuito de contribuir para uma melhor redefinição da situação legal dos Dados de Investigação, no que diz respeito:

  • à importância da definição de padrões e requisitos de anonimização (e harmonização);
  • à redução dos requisitos de consentimento, para fins de investigação específicos;
  • à extensão de alguns privilégios de investigação, de modo a não criar sobrecarga de informação associada a todo o processamento de dados;
  • a uma melhor definição dos fins da investigação e uma mudança na política europeia, no que toca à gestão de dados de investigação, de forma a potenciar uma harmonização na gestão, acesso e partilha mais coerente e legítima; por fim,
  • ao papel das bibliotecas universitárias neste contexto e da concorrência entre diferentes instituições, podendo fazer aumentar o acesso gratuito aos documentos, incluindo diretrizes de licenciamento.

As instituições de investigação e ensino superior devem definir qual a sua estratégia na acessibilidade dos dados de investigação, descrevendo-a de forma transparente e inequívoca. Questões associadas à interoperabilidade, à utilização de formatos e padrões abertos deverão igualmente ser preferidos.

No que toca a valores financeiros e à cobrança ou não, de taxas de acesso aos documentos, deverão ser as instituições e os Estados-Membro a tomar a dianteira nesta tomada de posição e definição de regras igualmente claras.

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho - Serviços de Documentação

By 9 de Fevereiro de 2018 Read More →
9ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto – chamada de trabalhos

9ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto – chamada de trabalhos

A 9ª Conferência-Luso Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) regressa a Lisboa em 2018. Este ano, a instituição que irá acolher a 9ª ConfOA é o ISCTE-IUL, uma prestigiada instituição universitária portuguesa, com uma já longa atividade no domínio do Acesso Aberto. A 9º Conferência-Luso Brasileira de Acesso Aberto realiza-se nos dias 2 e 3 de outubro (com workshops pós-conferência previstos para 4 de outubro), no campus do ISCTE-IUL no centro de Lisboa.

Mantendo o tema da ConfOA anterior “Do Acesso Aberto à Ciência Aberta”, a 9ª ConfOA pretende consolidar o alargamento do âmbito da Conferência, considerando o Acesso Aberto como um componente central, e uma condição indispensável, da Ciência Aberta, que abrange várias outras dimensões. A ConfOA pretende reunir as comunidades portuguesa, brasileira, bem como dos restantes países lusófonos, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com o Acesso Aberto ao conhecimento e com todas as outras vertentes da ciência aberta. A ConfOA assume-se como o espaço privilegiado para promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre estas temáticas, em todas as suas dimensões e perspetivas.

Assim, convidamos a comunidade a apresentar propostas de trabalhos sobre os seguintes temas:

  • Acesso Aberto e Dados de Investigação Abertos: sistemas, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de investigação ou de património cultural
    • Revistas científicas de Acesso Aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em Acesso Aberto
    • Definição, análise e avaliação de políticas institucionais e de financiadores
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
    • Direitos de autor e Acesso Aberto
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Investigação e RRI (Responsible Research and Innovation /Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Desenvolvimento e comunidades de software livre para a promoção do Acesso Aberto e da Ciência Aberta
    • Outras práticas de conhecimento aberto (educação aberta)
  • Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • CRIS – Sistemas de Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica
    • Normas e diretrizes
    • Identificadores persistentes

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros temas relacionados com os aspetos políticos, sociais, organizativos ou técnicos relacionados com o Acesso Aberto e a Ciência Aberta.

Processo de apresentação de propostas

Comunicações (Apresentação oral de 15 minutos)

As propostas para comunicação devem ter um mínimo de 2 páginas e um máximo de 4 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de comunicação). As propostas devem apresentar investigação ou desenvolvimento originais, privilegiando-se os trabalhos que relatem casos gerais (ou seja relativos a mais do que uma instituição ou sistema) e/ou que tenham relevância para uma audiência alargada.

As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como comunicações, poderão ser consideradas para apresentação como Pecha Kucha ou Póster.

Pecha Kuchas

Os Pecha Kucha são apresentações de 7 minutos, com não mais de 24 slides. As propostas deverão ter um mínimo de 1 página e um máximo de 2 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de Pecha Kucha). As propostas de Pecha Kucha podem apresentar trabalhos de investigação e desenvolvimento recentes ou em conclusão, e eventualmente casos concretos e localizados, mas com interesse e relevância geral.

As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como Pecha Kucha poderão ser consideradas para apresentação como Póster.

Painéis

As propostas de painel deverão ter um mínimo de 1 página e um máximo de 2 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de painel). As sessões de painel devem versar sobre temas e assuntos (das tecnologias às políticas) que tenham potencial interesse para a maioria dos participantes na ConfOA. Os painéis devem incluir diversos participantes como apresentadores (e desejavelmente com diversidade de pontos de vista, contextos, etc.). O painel deve prever tempo para pequenas apresentações dos integrantes do painel, e tempo para discussão com a audiência. O tempo total do painel será de 90 minutos.

Pósteres

Convidamos a apresentação de propostas de pósteres, que devem ter 1 página (ver e utilizar o modelo de proposta de póster), que servem para apresentar trabalho ainda em desenvolvimento ou experiências locais. Os pósteres serão exibidos em formato papel ou formato digital (serão dadas indicações e instruções para a apresentação dos pósteres após a aceitação das propostas), e serão apresentados oralmente na sessão “O meu Póster num minuto”.

Workshops e Tutoriais

O último dia da ConfOA será dedicado à realização de workshops e tutoriais.
Convidamos a apresentação de propostas de workshops e tutoriais sobre aspetos práticos ou teóricos relacionados com os temas da conferência. Deve ser utilizado o modelo de proposta de workshop ou tutorial, e a proposta de tutorial deve contemplar os seguintes aspetos:

  • O assunto e que conhecimentos se pretende transmitir
  • A dimensão da sessão (90 minutos, 180 minutos, ou dia completo)
  • O público-alvo e o número desejado de participantes
  • Os resultados de aprendizagem para os participantes
  • Requisitos tecnológicos e de espaço

 

Datas importantes:

10 de janeiro 2018: Chamada de trabalhos

09 de abril 2018: Fim do prazo para apresentação de propostas

15 de junho 2018: Notificação da aceitação das propostas

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 10 de Janeiro de 2018 Read More →
CONFOA 2017 – Workshop – Repositórios Integrados

CONFOA 2017 – Workshop – Repositórios Integrados

No âmbito da oitava edição da Conferência Luso-brasileira de Acesso Aberto, foi organizado um workshop “Repositórios Integrados” com o contributo dos parceiros brasileiros do IBICT.

Este workshop visou sensibilizar os gestores de repositórios e gestores de ciência para a importância de dotarem os seus repositórios de protocolos de interoperabilidade para poderem comunicar e interagir com outros sistemas. Além disso reforçou-se a necessidade de implementarem diretrizes internacionais focadas numa linguagem comum de gestão e organização da informação científica.

Desta forma, será possível fortalecer as redes internacionais e o desenvolvimento de serviços baseados nessas redes de repostiórios e tornar o conteúdos dos investigadores mais visíveis no contexto global.

As apresentações do workshop estão disponíveis em: https://www.slideshare.net/ConfOA/workshop-repositrios-integrados 

Autor: José Carona Carvalho

Gestor de Projeto no Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Gestão dos serviços de informação, apoio e formação são as áreas de intervenção.

By 19 de Outubro de 2017 Read More →
Acordo Internacional reforça aliança entre redes de repositórios de todo o mundo

Acordo Internacional reforça aliança entre redes de repositórios de todo o mundo

No passado dia 8 de maio de 2017 em Veneza – Itália, várias redes de repositórios regionais e nacionais aprovaram formalmente um acordo internacional que irá conduzir a um melhor alinhamento das redes de repositórios em todo o mundo. O objetivo do acordo é melhorar a cooperação entre redes de repositórios nacionais e regionais, identificando princípios comuns e áreas de colaboração que conduzirão ao desenvolvimento de serviços globais.

Os repositórios desempenham um papel fundamental e crescente no apoio ao Acesso Aberto e à Ciência Aberta, e existem milhares de repositórios por todo o mundo que oferecem acesso a artigos científicos, dados de investigação e outros tipos de conteúdo. Cada vez mais, estes repositórios estão ligados através de redes nacionais e regionais que definem diretrizes para as respetivas comunidades, e oferecem valiosos serviços sobre os conteúdos que disponibilizam. No entanto, dada a natureza internacional da investigação científica, é fundamental que estas redes de repositórios trabalhem em conjunto para garantir a sua interoperabilidade, ao mesmo tempo que suportam as necessidades específicas das suas comunidades locais.

O acordo internacional, desenvolvido pela COAR – Confederation of Open Access Repositories – irá promover relações mais estreitas entre as redes regionais e servirá de enquadramento para a realização de atividades específicas, incluindo a troca de metadados entre diferentes redes, a adoção de diretrizes e APIs comuns , bem como a implementação de funcionalidades partilhadas. O acordo foi assinado por representantes da Austrália, Canadá, China, Europa, América Latina, Japão, África do Sul e Estados Unidos.

“Partilhamos a visão comum de uma infraestrutura de Ciência Aberta distribuída e baseada na comunidade, a nível mundial”, referiu Eloy Rodrigues, presidente da COAR. “Mas para alcançar esta visão, temos de trabalhar juntos”. Nas próximas semanas o COAR, juntamente com os signatários, irá trabalhar para definir os vários níveis de colaboração, com o objetivo de posicionar os repositórios como a bases para um espaço de conhecimento global e comum.

O acordo pode ser consultado em: https://www.coar‑repositories.org/activities/advocacy‑leadership/aligning-repository-networks-across-regions/

 

 

Autor: Eloy Rodrigues

Diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho

By 10 de Maio de 2017 Read More →
2ºFórum GDI – Apresentações e Vídeos já disponíveis

2ºFórum GDI – Apresentações e Vídeos já disponíveis

No seguimento da realização do 2º Fórum de Gestão de Dados de Investigação, realizado no passado dia 31 de março em Lisboa, na Fundação Portuguesa das Comunicações, informamos que as apresentações e gravações das sessões já se encontram disponíveis no site do Fórum GDI, em http://forumgdi.rcaap.pt/apresentacoes-2-forum.

As fotos do evento podem ser vistas no Flickr, em https://www.flickr.com/groups/forumgdi.

2forumgdi

 

Por último, relembramos que o 3º Fórum GDI está agendado para o dia 6 de novembro de 2017 na Universidade do Minho. Contamos com a sua participação!

a8bd7c_e01a8f477b6b41c686a1c2f821a80a87~mv2

 

By 28 de Abril de 2017 Read More →
8ª ConfOA: adiado prazo de submissão de trabalhos

8ª ConfOA: adiado prazo de submissão de trabalhos

Foi prorrogado até ao próximo dia 23 de abril de 2017 o prazo de submissão dos trabalhos nas modalidades de comunicação, pecha kucha e póster para a 8ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto que se irá realizar na Fiocruz, Rio de Janeiro – Brasil.

O processo de apresentação e modelos das propostas estão disponíveis para consulta e download no website da CONFOA em: http://confoa.rcaap.pt/2017/chamada/

confoa2

Em 2017, os temas a serem tratados no âmbito da Conferência são os seguintes:

  • Acesso Aberto e Dados Científicos Abertos: marcos legais, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de pesquisa ou de património cultural
    • Revistas científicas de acesso aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em acesso aberto
    • Direito autoral e propriedade industrial
    • Análise e avaliação de políticas públicas, institucionais e de fomento
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Pesquisa e RRI (Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)
  • Sistemas de gestão de informação de Ciência e Tecnologia (CRIS)
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e acadêmica
    • Softwares livres para a construção de CRIS

A ConfOA acolhe propostas sobre estes temas e também outros relacionados com os aspectos políticos, legais, sociais, organizativos ou técnicos do Acesso Aberto e da Ciência Aberta.

A Comissão Organizadora aguarda expectante a receção dos vossos trabalhos: http://confoa.rcaap.pt/2017/submissoes-on-line/

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 7 de Abril de 2017 Read More →
Erasmus Staff Training: Espanha nas primeiras visitas de 2017 aos SDUM

Erasmus Staff Training: Espanha nas primeiras visitas de 2017 aos SDUM

De 13 a 17 de março de 2017 os Serviços de Documentação da UMinho deram as boas-vindas a duas colegas de Espanha, Isàvena Opisso Atienza da Universidade de Barcelona e Maria Amparo Cózar Santiago da Universidade de Navarra, em mais uma semana de Erasmus Staff Training.

erasmus.fw

A equipa dos Serviços de Documentação apresentou os projetos Open Access em que tem participado, quer a nível nacional (projeto RCAAP), quer a nível internacional com foco no projeto OpenAIRE. Já o RepositóriUM com destaque nos workflows, política institucional, procedimentos de monitorização e estatística, foi também apresentado neste intercâmbio profissional.

Como tem sido habitual nestes programas, também esta semana se tem revelado numa excelente oportunidade para troca de experiências profissionais e partilha de informação sobre diferentes realidades universitárias, em benefício do Acesso Aberto na Europa.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 17 de Março de 2017 Read More →
Lembrete: 8ª CONFOA –  chamada de trabalhos

Lembrete: 8ª CONFOA – chamada de trabalhos

Recordamos que a chamada de trabalhos para a 8ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto termina, precisamente, daqui a um mês: 09 de abril.

Os temas a serem tratados no âmbito da Conferência são os seguintes:

  • Acesso Aberto e Dados Científicos Abertos: marcos legais, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de pesquisa ou de património cultural
    • Revistas científicas de acesso aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em acesso aberto
    • Direito autoral e propriedade industrial
    • Análise e avaliação de políticas públicas, institucionais e de fomento
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Pesquisa e RRI (Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)
  • Sistemas de gestão de informação de Ciência e Tecnologia (CRIS)
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e acadêmic
    • Softwares livres para a construção de CRIS

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros relacionados com os aspectos políticos, legais, sociais, organizativos ou técnicos do acesso aberto e da ciência aberta.

O processo de apresentação e modelos das propostas estão disponíveis para consulta e download no website da CONFOA em: http://confoa.rcaap.pt/2017/chamada/

O website da conferência aguarda pelos vossos trabalhos: http://confoa.rcaap.pt/2017/submissoes-on-line/

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 9 de Março de 2017 Read More →
8ª ConfOA: chamada de trabalhos

8ª ConfOA: chamada de trabalhos

A 8ª Conferência-Luso Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) retorna em 2017 ao Rio de Janeiro onde, em 2011, a ConfOA se realizou pela primeira vez no Brasil. Este ano, a instituição que irá acolher a 8ª ConfOA é a Fundação Oswaldo Cruz, uma referência não apenas na pesquisa e no ensino na área da saúde, mas também no acesso aberto no Brasil. A 8º Conferência-Luso Brasileira de Acesso Aberto realiza-se nos dias 4 e 5 de outubro (com workshops pós-conferência previstos para 6 de outubro), no campus de Manguinhos da Fiocruz.

confoa2017_1O tema da 8ª ConfOA é “Do Acesso Aberto à Ciência Aberta”, querendo sublinhar o alargamento do âmbito da Conferência, dado que o Acesso Aberto é uma componente, e uma condição indispensável da Ciência Aberta, que abrange outras dimensões. A ConfOA pretende reunir as comunidades portuguesa, brasileira, bem como dos restantes países lusófonos, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com o Acesso Aberto ao conhecimento e com todas as outras vertentes da Ciência Aberta. A ConfOA assume-se como o espaço privilegiado para, com o objetivo de promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre estas temáticas, em todas as suas dimensões e perspetivas.

Assim, convidamos a comunidade a apresentar propostas de trabalhos sobre os seguintes temas:

  • Acesso Aberto e Dados Científicos Abertos: marcos legais, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de pesquisa ou de património cultural
    • Revistas científicas de acesso aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em acesso aberto
    • Direito autoral e propriedade industrial
    • Análise e avaliação de políticas públicas, institucionais e de fomento
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Pesquisa e RRI (Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)
  • Sistemas de gestão de informação de Ciência e Tecnologia (CRIS)
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e acadêmica
    • Softwares livres para a construção de CRIS

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros relacionados com os aspectos políticos, legais, sociais, organizativos ou técnicos do acesso aberto e da ciência aberta.

confoa2017_100

Processo de apresentação de propostas

  • Comunicações (Apresentação oral de 15 minutos)

As propostas para comunicação devem ter um mínimo de 2 páginas e um máximo de 4 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de comunicação). As propostas devem apresentar investigação ou desenvolvimento originais, privilegiando-se os trabalhos que relatem casos gerais (ou seja relativos a mais do que uma instituição ou sistema) e/ou que tenham relevância para uma audiência alargada.

As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como comunicações, poderão ser consideradas para apresentação como Pecha Kucha ou Póster.

  • Pecha Kuchas

Os Pecha Kucha são apresentações de 7 minutos, com não mais de 24 slides. As propostas deverão ter um mínimo de 1 página e um máximo de 2 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta Pecha Kucha). As propostas de Pecha Kucha podem apresentar trabalhos de investigação e desenvolvimento recentes ou em conclusão, e eventualmente casos concretos e locais, mas com interesse e relevância geral.

As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como Pecha Kucha poderão ser consideradas para apresentação como Póster.

  • Pósters

Convidamos a apresentação de propostas de pósters, que devem ter 1 página (ver e utilizar o modelo de proposta de póster), que servem para apresentar trabalho ainda em desenvolvimento ou experiências locais. Os pósters serão exibidos em formato papel ou formato digital (serão dadas indicações e instruções para a apresentação dos pósters após a aceitação das propostas), e serão apresentados oralmente na sessão “O meu Póster num minuto”.

Datas importantes

  • 9 de abril 2017: Fim do prazo para apresentação de propostas
  • 9 de junho: Notificação da aceitação das propostas
  • 12 de junho: Abertura das inscrições na conferência

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 14 de Fevereiro de 2017 Read More →