políticas

Acesso e preservação de informação científica na Europa

Acesso e preservação de informação científica na Europa

Relatório de implementação da Recomendação Europeia C(2012) 4890

Este relatório apresenta as informações reunidas junto dos estados membros, no que diz respeito ao processo de implementação da Recomendação de 2012, sobre o Acesso Aberto e a Preservação da Informação Científica.

O documento foi elaborado com base num questionário, requerido aos estados membros, para que se manifestassem e avaliassem esta recomendação, enquanto instrumento de relevância para a promoção das políticas de Acesso Aberto e para a Preservação da Informação Científica na União Europeia.

De acordo com os resultados obtidos, pode constatar-se que a maior parte dos países se encontram ou em fase de discussão, ou em fase de implementação das políticas de Acesso Aberto a publicações, demonstrando, no entanto, alguma evolução relativamente a períodos anteriores de avaliação.

Os níveis de progresso observados notam-se mais especificamente no que toca à gestão de dados de investigação e às políticas FAIR (Findable, Accessible, Interoperable, Reusable), por parte dos estados membros, dos financiadores e demais instituições, onde se destaca a criação e desenvolvimento de infraestruturas digitais, com o intuito de prestar apoio no acesso e preservação da informação científica. Neste contexto, um grande número de países participa em iniciativas financiadas pela UE, com o intuito de se alinharem com as normas internacionais de tratamento e interoperabilidade. Outras áreas carecem de mais trabalho e investigação, como é o caso dos direitos de autor, por forma a defender os direitos associados à investigação e aos seus protagonistas (investigadores), assim como de todo o processo de monitorização associado ao Acesso Aberto e à Preservação da Informação Científica.

Contudo, num 1/3 dos países, as organizações de financiamento público ainda não têm políticas de Acesso Aberto, espelhando as várias velocidades em curso, quer no processo de implementação, quer nas políticas de gestão de dados de investigação. A opinião geral dos entrevistados é de que deveria existir uma maior coordenação da implementação destas políticas, para assegurar um eficaz alinhamento de uma estratégia que deverá ser comum a todos.

Gráfico ilustrativo da implementação das politicas de Acesso Aberto | fonte: https://publications.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/676f8a3b-62f6-11e8-ab9c-01aa75ed71a1

Em muito dos países, as políticas de gestão de dados já estão a ser aplicadas a um nível institucional, mesmo que a política nacional ainda não esteja em curso.

A gestão de dados de investigação e o Acesso Aberto aos dados ainda não são, por isso, uma política mandatória, sendo apenas aplicável aos projetos financiados pela UE, onde os investigadores ainda assim, podem optar por colocá-los em aceso aberto ou não.

A maioria dos países revela uma intenção clara na implementação destas práticas, estando a desenvolver estratégias de atuação, como por exemplo,  na integração dos sistemas de avaliação da carreira docente, na área da educação e no desenvolvimento de competências.

Cerca de 2/3 dos países revelam já ter programas de formação avançados, para capacitar profissionais nas áreas da gestão de dados de investigação (GDI). No entanto, apenas metade faz monitorização do desenvolvimento / produção de dados de investigação e do impacto do Acesso Aberto. Assim podemos dar conta de alguns projetos piloto para monitorizar o Acesso Aberto, uma vez que é muito importante o processo de negociação com as grandes editoras, dado o crescente esforço colaborativo, demonstrado pela maior parte dos países, na assinatura de periódicos e no processo de interoperabilidade das infraestruturas digitais, no contexto nacional e transnacional.

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho - Serviços de Documentação

By 12 de Julho de 2018 Read More →
Publicado estudo OpenAIRE sobre “Barreiras legais à partilha de dados”

Publicado estudo OpenAIRE sobre “Barreiras legais à partilha de dados”

Recentemente foi publicado um estudo realizado no âmbito do projeto OpenAIRE2020 sobre barreiras legais à partilha aberta de dados – Proteção de Dados e Informação do Setor Público, no seu título original: Study on legal barriers to open data sharing – Data Protection and PSI.

Esta investigação tenta examinar de perto as barreiras legais na partilha de dados, no contexto do Open Research Data Pilot, da Comissão Europeia | Horizonte 2020. Aqui levantam-se duas questões legais para implementação de referido projeto: a Lei de Proteção de Dados e Informação do Setor Público (Public Sector Information – PSI).

Outra das questões pertinentes abordadas neste estudo refere-se à legislação sobre a Informação do Setor Público (PSI), em particular a diretiva (2003/98/EC), acerca da reutilização de PSI e posterior revisão (2013/37/EU), e o seu impacto no acesso e reutilização de materiais à guarda nas bibliotecas, incluindo nas bibliotecas universitárias.

 

 

Esta investigação encerra dando algumas recomendações, com o intuito de contribuir para uma melhor redefinição da situação legal dos Dados de Investigação, no que diz respeito:

  • à importância da definição de padrões e requisitos de anonimização (e harmonização);
  • à redução dos requisitos de consentimento, para fins de investigação específicos;
  • à extensão de alguns privilégios de investigação, de modo a não criar sobrecarga de informação associada a todo o processamento de dados;
  • a uma melhor definição dos fins da investigação e uma mudança na política europeia, no que toca à gestão de dados de investigação, de forma a potenciar uma harmonização na gestão, acesso e partilha mais coerente e legítima; por fim,
  • ao papel das bibliotecas universitárias neste contexto e da concorrência entre diferentes instituições, podendo fazer aumentar o acesso gratuito aos documentos, incluindo diretrizes de licenciamento.

As instituições de investigação e ensino superior devem definir qual a sua estratégia na acessibilidade dos dados de investigação, descrevendo-a de forma transparente e inequívoca. Questões associadas à interoperabilidade, à utilização de formatos e padrões abertos deverão igualmente ser preferidos.

No que toca a valores financeiros e à cobrança ou não, de taxas de acesso aos documentos, deverão ser as instituições e os Estados-Membro a tomar a dianteira nesta tomada de posição e definição de regras igualmente claras.

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho - Serviços de Documentação

By 9 de Fevereiro de 2018 Read More →
Acesso Aberto às Publicações Científicas e Piloto de Dados Científicos do H2020: cursos eLearning do FOSTER. Inscreva-se!

Acesso Aberto às Publicações Científicas e Piloto de Dados Científicos do H2020: cursos eLearning do FOSTER. Inscreva-se!

No âmbito do projeto FOSTER – Facilite Open Science Training for European Research vão realizar-se dois cursos e-Learning, que visam, por um lado, informar os investigadores sobre o cumprimento do mandato de Acesso Aberto do H2020 depositando as suas publicações em Acesso Aberto e, por outro, alertar para as diretrizes do piloto de dados científicos no programa H2020.

FOSTER_header-300x160Estes cursos são promovidos pelos Serviços de Documentação da Universidade do Minho, enquanto coordenadores do projeto FOSTER, e destinam-se a investigadores, coordenadores de projetos científicos, gestores de ciência, gestores de repositórios e bibliotecários.

 

Curso: Piloto de Dados Científicos Abertos no H2020

  • De 27 de junho a 01 de julho com lições diárias em e-Learning
  • Webinar dia 01 de julho, 11h00 – 12hoo – orador: Pedro Príncipe

Curso: Acesso Aberto às Publicações Científicas do H2020

  • De 04 de julho a 08 de julho com lições diárias em e-Larning
  • Webinar dia 07 de julho, 10h00 – 11h00 – orador: Eloy Rodrigues

::INSCRIÇÕES NOS CURSOShttp://goo.gl/forms/7TsrIAHOlNB4EOTA3::

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 14 de Junho de 2016 Read More →
Luz Verde para o Acesso Aberto: alinhar políticas de Acesso Aberto da Europa

Luz Verde para o Acesso Aberto: alinhar políticas de Acesso Aberto da Europa

Realizou-se nos dias 17 e 18 de maio de 2016, em Amesterdão, a conferência final do projeto PASTEUR4OA com o mote Luz Verde para o Acesso Aberto. Foi um evento associado com a Presidência Holandesa da União Europeia e reuniu mais de 150 especialistas, financiadores, instituições de investigação, editores e decisores políticos de lugares tão distantes como a Austrália.

Foram discutidos os mais diversos temas relacionados com o Acesso Aberto, desde a situação atual até aos desenvolvimentos futuros. Ron Dekker, Diretor dos Institutos na Netherlands Organisation for Scientific Research (NWO) e Líder de Projeto do Acesso Aberto para a presidência Holandesa do Conselho da União Europeia e Gerard Meijer, Presidente da Radboud University, estiveram entre os 26 oradores. Portugal contou com a participação de João Nuno Ferreira da Fundação para a Ciência e a Tecnologia e de Eloy Rodrigues da Universidade do Minho.

Um dos principais resultados do projeto, que teve bastante destaque durante a conferência, foram os materiais de disseminação que podem ser usados por todos os interessados.

As apresentações do evento estão disponíveis no website do projeto.

O vídeo oficial: https://youtu.be/42dqrpBfELE

Fotografias: https://www.flickr.com/photos/143264193@N02/

Green-Light-4-OA-Sketches-Combined-905x1024

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 24 de Maio de 2016 Read More →
Workshop – A Ciência Aberta no H2020

Workshop – A Ciência Aberta no H2020

Workshop – Open Science and European Open Access policies in H2020

Realiza-se no próximo dia 26 de abril, das 9:00 às 12:00 no Centro Cultura Vila Flor em Guimarães, integrado no 5° Encontro Português de Jovens Químicos (PYCheM) e o 1° Encontro Europeu de Jovens Químicos (EYCHeM) (http://5pychem.eventos.chemistry.pt/), um workshop dedicado à Ciência Aberta e à política Open Access do programa quadro H2020.

Focado nos jovens investigadores, este workshop pretende apresentar as vantagens da Ciência Aberta no contexto atual da gestão de ciência e a forma como os financiadores potenciam esse contexto aberto, quer para as publicações, quer para os dados científicos.

Programa:

What could Open Science mean for Chemistry? – Simon Coles – University of Southampton

Open Access to Publications in H2020 – Pedro Príncipe – University of Minho

Research Data Management – Joy Davidson – Digital Curation Centre

 

Esta iniciativa promovida pelo projeto FOSTER permite-lhe participar gratuitamente no workshop, sujeito a inscrição através do correio eletrónico europychem@gmail.com para onde devem enviar o vosso nome completo.

 

pychem

 


foster
 sdum

Autor: José Carona Carvalho

Gestor de Projeto no Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Gestão dos serviços de informação, apoio e formação são as áreas de intervenção.

By 19 de Abril de 2016 Read More →
Reunião de Instituições de Investigação em Turim

Reunião de Instituições de Investigação em Turim

Realizou-se no dia 22 de fevereiro de 2016, em Turim, o segundo workshop regional PASTEUR4OA da região SW da Europa. O evento teve como público-alvo instituições que realizam investigação científica de Portugal, Espanha, Malta e Itália, no total participaram 37 pessoas. De Portugal estiveram representadas as seguintes instituições: Instituto Politécnico de Bragança (IPB), Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) e Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). A organização resultou de uma parceria entre a Universidade do Minho e o Nexa Center for Internet & Society do Politecnico di Torino.

Picture1

O dia de trabalho dividiu-se em três sessões principais de que resultaram considerações importantes que poderão nortear o trabalho futuro dos países intervenientes relativamente às políticas de Acesso Aberto e ao seu alinhamento com as recomendações da Comissão Europeia e política de Acesso Aberto do Horizonte 2020. Na primeira sessão foram exemplificadas boas práticas de cada um dos países. Portugal esteve representado por Clarisse Pais que apresentou a política de Acesso Aberto do Instituto Politécnico de Bragança (IPB). Na segunda sessão foi caracterizado o contexto Europeu e na terceira sessão os participantes dividiram-se em dois grupos de trabalho: um sobre o desenho e aprovação de uma política de Acesso Aberto institucional efetiva e o segundo sobre a implementação e monitorização de uma política de Acesso Aberto institucional efetiva.

Picture2

O relatório do evento, assim como as apresentações e outras informações podem ser acedidas através dos seguintes endereços:

Agenda

Apresentações

Relatório

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 10 de Março de 2016 Read More →
PASTEUR4OA Advocacy Resources

PASTEUR4OA Advocacy Resources

O projeto PASTEUR4OA produziu um conjunto de recursos de disseminação sobre o desenvolvimento e implementação de Políticas de Acesso Aberto dirigido aos intervenientes no sistema de comunicação científica nacional, nomeadamente universidades, bibliotecas, institutos de investigação, governos e financiadores de ciência.

chart

Estes materiais têm como objetivo promover a eficácia das políticas de Acesso Aberto existentes e sensibilizar para a criação de novas políticas harmonizadas com as orientações da Comissão Europeia, nomeadamente através das recomendações de 2012 sobre o acesso à informação científica e a sua preservação e da política de Acesso Aberto do Horizonte2020.

O folheto de divulgação dos recursos produzidos facilita o acesso rápido a cada um dos materiais e inclui informações adicionais sobre a iniciativa.

Convida-se a comunidade a disseminar estes materiais no seio das suas organizações!

Sobre a realidade Portuguesa foram produzidos dois estudos de caso:

A implementação da política de Acesso Aberto da UMinho

As políticas de Acesso Aberto em Portugal

Alguns exemplos estão referenciados na tabela abaixo, no entanto, a lista completa está disponível online através do website do projeto: http://www.pasteur4oa.eu/resources

Open Access policy templates and guidelines
  • Template and guidelines for Open Access policy implementation by research institutions [http://goo.gl/Fzw8F3]
  • Template and guidelines for Open Access policy implementation by research funders [http://goo.gl/qOEXSy]
Practical and technical issues
Open Access policy effectiveness
  • Brief on Open Access policy effectiveness for research institutions  [http://goo.gl/gf7Hs8]
  • Brief on Open Access policy effectiveness for research funders  [http://goo.gl/OnmzPA]
  • Brief on UK Higher Education Open Access policy landscape: from policy development to effectiveness and alignment [http://goo.gl/N4ikF8]
National Open Access case studies
  • National case studies on Open Access in Belgium, Denmark, Hungary, Ireland, Norway, Portugal, and the UK [http://goo.gl/oLshIA]
Institutional Open Access case studies
  • Institutional case studies on Open Access policy implementation in the University of Liege, the University of Turin, the University of Tromsø, the University of Minho, and University College London [http://goo.gl/1LtNP5]
Funder Open Access case studies
  • Research funders case studies on Open Access from the Austrian Science Fund (FWF) and Ireland’s Health Research Board (HRB) [http://goo.gl/QSqALZ]
Open Access in Europe
Data visualisations
  • A series of data visualisations illustrate, among other, how many Open Access policies there are worldwide, how many policies are compliant with the Horizon 2020 Open Access policy, when policies require deposit, and whether  policies mention APCs  [http://goo.gl/1ZyyrL]

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 16 de Outubro de 2015 Read More →
Reunião de Financiadores de Ciência em Madrid

Reunião de Financiadores de Ciência em Madrid

Decorreu no dia 28 de setembro de 2015, em Madrid, o primeiro de dez workshops regionais organizados no âmbito do projeto PASTEUR4OA. O evento teve como público-alvo financiadores de ciência de países da região SW da Europa que inclui Portugal, Espanha, Malta e Itália.

 

bunner_regional-event_madrid

 

O encontro foi organizado pelos Serviços de Documentação da Universidade do Minho em parceira com a FECYT – Fundación Española para la Ciencia y la Tecnología e contou com 20 participantes, entre os quais representantes da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) de Portugal, do Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC) e do Ministerio de Economía y Competitividad (MINECO) de Espanha, do Malta Council for Science and Technology (MCST) e do National Research Council (CNR) de Itália.

Para além de um conjunto de apresentações sobre Políticas de Acesso Aberto realizadas durante a manhã, foram reportados os últimos progressos de cada país em termos de desenvolvimento e implementação de políticas de Acesso Aberto e discutidos diversos tópicos relacionados com as políticas de Acesso Aberto, nomeadamente:

1) monitorização e impacto das políticas de Acesso Aberto

2) períodos de embargo (como fazer face a longos períodos de embargo)

3) APC’s (como incluir APC’s nas políticas de Acesso Aberto).

Os resultados do evento são bastante promissores em termos de trabalho futuro. Foram identificadas algumas necessidades, entre as quais:

1) recursos de apoio sobre processos de implementação e monitorização de políticas de Acesso Aberto;

2) alinhamento das políticas de Acesso Aberto existentes tornando-as mais claras e precisas (em Portugal, Espanha e Itália);

3) acompanhamento das políticas de Acesso Aberto em desenvolvimento em Malta (pela Universidade de Malta e MCST) e Itália (pelo CNR).

O programa, assim como a lista de participantes e outras informações estão disponíveis na página do evento em: http://openaccess.sdum.uminho.pt/?page_id=3897

destaque_evento_financiadores

A 22 de fevereiro de 2016, decorrerá o segundo workshop regional que será dirigido a instituições que realizam investigação científica em Portugal, Espanha, Malta e Itália. O evento irá ter lugar em Turim, em parceria com o Politécnico de Turim. Mais informações em breve.

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 14 de Outubro de 2015 Read More →
OpenAIRE publicou conjunto de folhetos com dicas práticas sobre o Acesso Aberto e Dados Abertos no Horizonte 2020

OpenAIRE publicou conjunto de folhetos com dicas práticas sobre o Acesso Aberto e Dados Abertos no Horizonte 2020

O OpenAIRE disponibiliza no seu portal informação de apoio dirigida a investigadores, coordenadores de projetos, administradores de ciência e gestores de repositórios sobre as políticas de Acesso Aberto da Comissão Europeia. Recentemente, publicou uma coleção de folhetos, em inglês,  sobre o Acesso Aberto no Programa Horizonte 2020. São folhetos com diferentes destinatários com o objetivo de clarificar os requisitos do mandato de Acesso Aberto no âmbito do H2020 e do projeto piloto dos Dados Abertos da CE.

factsheets_openaire2015

1) OpenAIRE Factsheet for Researchers – folheto com dicas práticas para investigadores sobre como cumprir com o mandado Open Access do Horizonte 2020 e o projeto piloto de Open Data, detalhando onde, quando e como depositar publicações e dados.

2) OpenAIRE Factsheet for Research Administrators – folheto com informações breves e conselhos para administradores/gestores de ciência sobre o Open Access no Horizonte 2020, incluindo dicas de serviços OpenAIRE, nomeadamente a criação de listas com as publicações dos projetos.

3) OpenAIRE Open Research Data Pilot Factsheet – folheto com um guia breve sobre o que é o projeto piloto de Dados Abertos do Horizonte 2020, quais as vantagens em participar, quais as áreas científicas envolvidas, incluindo dicas práticas de como criar um plano de gestão de dados e onde depositar dados de investigação.

Estes folhetos funcionam como breves guias e podem ser consultados e descarregados em www.openaire.eu/factsheets/support/h2020. Para além dos folhetos destacados em cima, estão disponibilizados outros e serão publicados brevemente mais dirigidos a gestores de repositórios e sobre serviços da infraestrutura OpenAIRE.

Mais informações de suporte em: www.openaire.eu/support/faq.

factsheets_openaire

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access - OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 25 de Agosto de 2015 Read More →
Visualizações de dados sobre políticas e mandatos de acesso aberto

Visualizações de dados sobre políticas e mandatos de acesso aberto

Decorrentes das atividades do projeto PASTEUR4OA estão a ser desenvolvidos um conjunto de materiais de divulgação sobre políticas e mandatos de Acesso Aberto de que iremos dar conhecimento à medida que se tornem públicos.

Uma parte desses materiais corresponde a uma série de visualizações que utilizam os dados sobre as políticas e mandatos de Acesso Aberto registados no diretório ROARMAP.

A maioria das visualizações tem por base dados recolhidos do ROARMAP em junho de 2015. No entanto, existem alguns exemplos que utilizam dados em tempo real [aqui].

 

vis3

 

Todas as visualizações estão disponíveis em Acesso Aberto e licenciadas com a Licença Creative Commons CC-BY 4.0.

Convidamos a comunidade a explorar estes recursos, a utilizá-los nas apresentações sobre acesso aberto que necessitam de realizar (nomeadamente na Semana de Acesso Aberto)  e, se necessário, a sugerirem-nos outros indicadores para além dos listados:

Número de políticas de Acesso Aberto globais

Número de políticas de Acesso Aberto globais – mapa

Número de políticas de Acesso Aberto por público-alvo

Número de políticas de Acesso Aberto que são Mandatos

Número de políticas de Acesso Aberto alinhadas com o H2020

Quando é requerido o depósito nas políticas de Acesso Aberto

Políticas de Acesso Aberto que mencionam APC’s

Dados em tempo real: Número de políticas de Acesso Aberto globais

 

Para mais informações e outros dados consulte PASTEUR4OA Data Visualisations

 

vis4

 

 

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 31 de Julho de 2015 Read More →
Reunião anual do Grupo de Trabalho Nacional sobre Acesso Aberto

Reunião anual do Grupo de Trabalho Nacional sobre Acesso Aberto

A reunião anual do Grupo de Trabalho Nacional sobre Acesso Aberto realizou-se no passado dia 2 de julho de 2015, na Universidade de Aveiro, integrada na reunião geral do projeto RCAAP.

Estiveram presentes representantes de instituições que realizam investigação científica em Portugal, assim como de financiadores de ciência.

A reunião teve início com a apresentação dos novos membros do Grupo de Trabalho seguindo-se as informações gerais sobre os mais recentes desenvolvimentos do Acesso Aberto, em termos de novas políticas de AA, documentos relevantes e eventos por Eloy Rodrigues.

Informação do Projeto PASTEUR4OA

ER fez o enquadramento do Projeto PASTEUR4OA à Comunidade presente, referindo os parceiros envolvidos e o conceito do projeto, que pretende capitalizar os recentes progressos no âmbito do desenvolvimento de políticas, redes existentes e trabalho de outros projetos, com o propósito de incentivar o desenvolvimento de políticas alinhadas com as recomendações da CE e do Horizonte 2020, assim como criar uma rede de organizações especializadas em toda a Europa (Knowledge Net).

Depois de uma breve introdução ao estudo sobre Políticas de Acesso Aberto no ROARMAP, ER informou os presentes que a Universidade do Minho, em colaboração com a FECYT em Espanha e com o Politecnico di Torino em Itália, está a organizar dois eventos regionais direcionados para os financiadores de ciência, a 28 de setembro de 2015 em Madrid, e em fevereiro de 2016 para as instituições que realizam investigação científica.

Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Vasco Vaz fez uma atualização de como se pretende implementar a política de acesso aberto da FCT, quer ao nível da política aprovada, (depósito, formas de publicação aceites, elegibilidade de custos e fundamentos estratégicos), quer ao nível da implementação (alteração da conjuntura externa, situação da conjuntura interna, fase de implementação, modelo de apoio ao utilizador, FAQ’s, etc.).

As apresentações estão disponíveis aqui.

reuniao task force_aveiro

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 14 de Julho de 2015 Read More →
Políticas de Acesso Aberto no ROARMAP:  números, análise e eficácia

Políticas de Acesso Aberto no ROARMAP: números, análise e eficácia

Integrado numa das atividades do projeto PASTEUR4OA foi publicado recentemente o estudo da análise das políticas de Acesso Aberto registadas no ROARMAP: “Working together to promote Open Access policy alignment in Europe”. Este estudo procurou descrever o panorama mundial e Europeu das políticas de Acesso Aberto existentes, assim como analisar a sua eficácia.

O ROARMAP (http://roarmap.eprints.org) é um diretório internacional de pesquisa de registos de políticas de Acesso Aberto adotadas por universidades, instituições que realizam investigação e financiadores de ciência. As funcionalidades deste serviço foram reestruturadas no âmbito do projeto PASTEUR4OA, entre as quais, destacam-se o novo esquema de classificação de políticas e a opção de pesquisa mais extensível que a anterior.

Em março de 2015, contabilizaram-se 663 políticas registadas no ROARMAP. Destas, 60% são políticas de Acesso Aberto europeias. Aproximadamente dois terços são políticas institucionais e cerca de 10% são políticas de financiadores. Mais de metade são mandatos, requerendo alguma ação para além de uma simples recomendação. Mais de 60% destes mandatos são europeus.

Fig. 1: Número de políticas em Acesso Aberto mundiais

Number of Open Access policies worldwide

Na análise da eficácia das políticas foram realizados alguns exercícios. Um deles foi medir a taxa de depósito dos artigos dos repositórios com políticas obrigatórias e não obrigatórias e compará-la com o número total de artigos publicados dessas instituições. Verificou-se que mais de três quartos dos artigos publicados não estão depositados e destes, 8% têm apenas os metadados, 3% estão em acesso restrito e 12% em acesso aberto.

Um dos aspetos mais relevantes do estudo foi a análise (através de análise de regressão) da correlação entre as características, ou critérios, das diferentes políticas institucionais e os resultados verificados ao nível da taxa de depósito e da latência do depósito (período entre a data de publicação e a data de depósito). Essa análise permite concluir que as políticas que produzem melhores resultados são as que determinam o depósito obrigatório sem exceções, mas permitindo exceções (por exemplo períodos de embargo) ao acesso aberto e que estabelecem  ligação entre o depósito nos repositórios e os processo de avaliação dos docentes e investigadores.

O top 5 de instituições (todas com mandatos) em termos de taxa de depósito inclui duas instituições portuguesas, o Instituto Politécnico de Bragança e a Universidade do Minho.

Fig. 2: Conteúdos dos repositórios institucionais

Content of institutional repositories

 

O relatório completo está acessível aqui.

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 22 de Abril de 2015 Read More →
Estudos de Caso sobre Acesso Aberto em Portugal,  Reino Unido, Hungria e Noruega

Estudos de Caso sobre Acesso Aberto em Portugal, Reino Unido, Hungria e Noruega

No âmbito do projeto PASTEUR4OA está a ser concluído um conjunto de Estudos de Caso sobre o desenvolvimento e implementação de políticas de Acesso Aberto em sete países Europeus, entre os quais: Portugal, Reino Unido, Bélgica, Irlanda, Hungria, Dinamarca e Noruega. Para além destes estudos de caso nacionais está a ser preparado um outro, pelo EuroCRIS, de natureza não técnica sobre as infraestruturas de Acesso Aberto espalhadas pela Europa.

Esta coleção tem como principal objetivo informar, inspirar e apoiar as organizações Key Node na promoção e suporte ao desenvolvimento e implementação de políticas de acesso aberto nos seus países alinhadas com as recomendações da Comissão Europeia para o Acesso Aberto.

Os oito estudos de caso serão publicados em diferentes momentos antes e depois da realização do Workshop Europeu em Londres nos dias 2 e 3 de dezembro de 2014.

Até à data foram publicados os estudos de caso nacionais de Portugal,  Reino UnidoHungria e Noruega.

case studies

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 18 de Dezembro de 2014 Read More →
Workshop Europeu do Projeto PASTEUR4OA

Workshop Europeu do Projeto PASTEUR4OA

Nos dias 2 e 3 de dezembro de 2014 decorreu mais uma iniciativa do projeto PASTEUR4OA, o Workshop Europeu: Working together to promote Open Access policy alignment in Europe, que teve lugar no Birkbeck College em Londres. Este evento reuniu mais de 50 representantes de instituições europeias com experiência comprovada em matéria de acesso aberto e comunicação científica.

PASTEUR4OA é um projeto financiado pelo 7º PQ da CE que pretende harmonizar as políticas de acesso aberto de instituições que realizam investigação científica e financiadores de ciência dos Estados Membros com as recomendações da Comissão Europeia e Horizonte 2020.

O Workshop pretendeu reunir os representantes das organizações Key Node com o propósito de fortalecer as relações entre os Estados Membros e de consolidar a rede ‘Knowledge Net’; permitir comparar os diferentes níveis de desenvolvimento dos Estados Membros relativamente ao Acesso Aberto e delinear ações que promovam o envolvimento de decisores políticos nacionais.

Foram apresentados alguns resultados da análise de políticas de acesso aberto globais por Alma Swan. Das 651 políticas analisadas, 55% são políticas de países Europeus e 22% da América do Norte. No que respeita a mandatos de Acesso Aberto, a Europa conta com 203 mandatos de um total de 346. Em linhas gerais, foram designados como elementos essenciais para uma política efetiva o seu caráter mandatório, o depósito imediato (depois de aceite para publicação), o depósito obrigatório, mesmo que o acesso aberto seja assegurado numa fase posterior e a relação do depósito com os processos de avaliação da investigação.

Victoria Tsoukala, coordenadora do projeto, fez o enquadramento do projeto, descreveu os objetivos e as atividades propostas para atingir tais objetivos.

Eloy Rodrigues apresentou o conceito da ‘Knowledge Net’ enfatizando as principais razões para a sua criação, que se relacionam, essencialmente, com 1) a diferença de consciencialização para as questões do Acesso Aberto entre os países Europeus; 2) a falta de harmonização e consistência das políticas de Acesso Aberto e 3) a falta de coordenação entre as iniciativas de Acesso Aberto, infraestruturas e organizações. A rede ‘Knowledge Net’, constituída por organizações Key Node que representam pontos de contacto nacionais em cada Estado Membro especializados nas questões do Acesso Aberto e comunicação científica, foi a solução encontrada para colmatar estas lacunas.

Jis_event

Para além destas apresentações o evento contou com uma sessão dedicada à caracterização de três casos de sucesso – Irlanda, Noruega e Bélgica. Estes estudos de caso podem ser consultados no website do projeto.

Intercaladas com as sessões plenárias existiram dois momentos de trabalho de grupo, onde cada uma das cinco regiões teve a oportunidade de reunir com os representantes dos países pertencentes a cada região, permitindo uma discussão mais próxima, não só sobre os desafios identificados para cada região, necessidades e trabalhos futuros de forma a harmonizar, desenvolver e implementar políticas de Acesso Aberto, mas também esclarecer o papel de cada Key Node na Knowledge Net.

O resultado final deste evento foi a elaboração de um roadmap que irá contribuir para um desenvolvimento e implementação efetivo da ‘Knowledge Net’ a ser publicado futuramente.

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 18 de Dezembro de 2014 Read More →
PASTEUR4OA marcou presença na CONFOA 2014

PASTEUR4OA marcou presença na CONFOA 2014

De 6 a 8 de outubro de 2014 realizou-se a 5ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto na Universidade de Coimbra e o projeto PASTEUR4OA marcou presença em diversos momentos, contando com a participação da coordenadora do projeto Victoria Tsoukala, do EKT – Grécia.

No dia 6 de outubro foi apresentado um poster sobre o projeto intitulado PASTEUR4OA: alinhamento estratégico de políticas de Acesso Aberto para a União Europeia, por Clara Boavida da Universidade do Minho.

poster pasteur4oa confoa

 

No dia 7, Pablo de Castro, representando o EuroCRIS, organização parceira do projeto, mencionou a importância do PASTEUR4OA na construção de redes de comunicação que contribuem para o desenvolvimento de serviços de qualidade através de uma efetiva interoperabilidade entre sistemas.

EuroCRIS_edited

No dia 8, teve lugar a reunião do Grupo de Trabalho Nacional sobre Acesso Aberto  com representantes de 14 instituições que realizam investigação científica, editores e financiadores de ciência de Portugal e ainda com a presença da coordenadora do projeto PASTEUR4OA. Este encontro teve como objetivo dar continuidade aos trabalhos realizados no ano anterior, no âmbito do projeto MedOANet, contribuindo para fortalecer a interação entre os vários intervenientes do sistema de comunicação científica em Portugal de forma a promover o desenvolvimento e a implementação de políticas de Acesso Aberto alinhadas com as recomendações da Comissão Europeia e Horizonte 2020.

A agenda dividiu-se em três momentos: no primeiro momento Eloy Rodrigues forneceu algumas informações sobre os recentes desenvolvimentos relativos ao Acesso Aberto. Intervieram também João Moreira sobre o SCOAP3 e Victoria Tsoukala sobre o projeto RECODE. Seguiu-se a apresentação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia por Vasco Vaz. Finalmente, foi apresentado o projeto PASTEUR4OA com destaque para as atividades futuras que irão contar com a participação de membros deste grupo. A reunião decorreu com participação ativa  e discussões vivas, proporcionando uma excelente dinâmica. O nosso bem-haja a todos os participantes e à equipa do Serviço Integrado das Bibliotecas da Universidade de Coimbra pelo apoio na organização da iniciativa.

GTN pasteur4oa

Autor: Clara Parente Boavida

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. A desempenhar funções como Open Access Advisor desde 2009.

By 13 de Outubro de 2014 Read More →