Novas abordagens para o futuro da Publicação Científica: integração “Fiduswriter” e “Open Journal System”

. 19 de Fevereiro de 2014

Os recentes desenvolvimentos tecnológicos, principalmente nesta última década, obrigaram a repensar o sistema de publicação científica com alterações nos processos inerentes à publicação.

Analisando os diversos sistemas agregadores de informação científica, verificamos que existem várias abordagens na forma como se apresentam os resultados e na forma como se organizam os mesmos. O caso do SCIELO, por exemplo, implica a transformação do texto integral para o formato HTML, de acordo com determinadas regras. Já na Pubmed, o formato utilizado é o XML mas apenas para os metadados. No contexto da Pubmed Central, o texto integral é obrigatório, usando como formato o XML de acordo com uma especificação própria, o JATS. Finalmente, no contexto dos repositórios, preconiza-se um formato amplamente divulgado e de fácil acesso, como é o PDF.

A problemática neste contexto é: 1) o utilizador comum não tem facilidade em criar um artigo em formato HTML ou XML de acordo com as regras definidas por editores; 2) o papel e contributo do autor deve estar focado no conteúdo científico do artigo e não propriamente na sua forma.

Foi assim, com base nestas premissas, que Takuto Kojima da equipa do FIDUS WRITER se juntou a Alec Smecher da equipa do Open Journal System para trabalharem na integração destes dois sistemas.

O FIDUS WRITER é um editor de texto colaborativo orientado à escrita científica com a possibilidade de usar citações e fórmulas matemáticas. Tem como principal foco o conteúdo, permitindo depois exportar esse conteúdo para diversos formatos.
O Open Journal System (OJS) é uma aplicação para a gestão do ciclo editorial das revistas científicas, que além de permitir a gestão da submissão dos trabalhos, da revisão e edição, permite também apresentar os resultados científicos com inúmeras integrações com outros sistemas e um grande nível de interoperabilidade.

A ligação entre estes dois sistemas permite mudar por completo o processo de escrita científica, em que o autor utiliza um ambiente online (em oposição ao Word) que integra com o serviço de gestão da revista, neste caso o OJS. Nesta fase, trata-se apenas de referenciar o trabalho no processo de submissão da revista.

Posteriormente, no processo de revisão, o revisor consulta e anota a mesma versão online na qual o autor posteriormente poderá corrigir. Sendo assim, o trabalho é apenas um e são usadas funcionalidades de revisão/anotação.
No final do processo de revisão é exportado o conteúdo do trabalho no ou nos formatos mais adequados ao contexto (ebook, pdf, xml, html, epub, latex…).

Este processo está exemplificado no seguinte vídeo:

Consulte a entrevista completa aqui: http://fiduswriter.org/2014/01/20/fidus-writer-and-the-open-journal-systems/

Esta abordagem nos novos processos de publicação científica segue a tendência generalizada para centralizar na web (cloud) todos os conteúdos e serviços associados. O Google Drive é um bom exemplo, permitindo desenvolver na web as tarefas básicas do Word, Powerpoint e Excel.

Este iniciativa é reveladora da melhoria contínua do processo de publicação científica, aproveitando ao máximo as potencialidades da interoperabilidade dos sistemas.

José Carona Carvalho

Gestor de Projeto no Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Gestão dos serviços de informação, apoio e formação são as áreas de intervenção.

Tags: ,

Categorias: blogue & notícias, internacional, revistas, temático

Comentários encerrados.