Coalition S: em defesa dos investigadores e do acesso aberto a publicações resultantes de investigação científica financiada

. 27 de Maio de 2021

Passados quase 3 anos do lançamento do Plan S, em setembro de 2018, a Coalition S segue a sua missão de proteger os investigadores e garantir o acesso aberto e imediato às publicações resultantes de investigação financiada, recebendo o apoio de cada vez mais entidades financiadoras de investigação, como é o caso da FCT.

Os seus 10 princípios podem resumir-se nas seguintes diretrizes para os autores:

Os autores devem reter o copyright das suas publicações.

Os autores podem escolher uma de 3 vias para publicar:
– Revistas em acesso aberto, com ou sem pagamento de taxas de processamento (APCs);
– Plataformas em acesso aberto (por ex. a Open Research Europe);
– Repositórios institucionais: deverá ser depositada a versão final do autor (versão final após revisão por pares ou author accepted manuscript).

São também aceites para publicação revistas “transformativas” (que se comprometeram a fazer a transição gradual para acesso aberto).

Não são aceites revistas híbridas.

Os custos com APCs são suportados pela entidade financiadora, não pelo autor.

As publicações devem ser imediatamente disponibilizadas e deve-lhes ser atribuída uma licença aberta (CC-BY).

Independentemente da escolha do autor, é encorajado – e exigido por muitas das entidades financiadoras – que a publicação seja também depositada no repositório institucional.

Para facilitar a escolha de uma revista ou plataforma onde publicar, foi desenvolvida a Journal Checker Tool, que combina três elementos – nome da revista, política da entidade financiadora e instituição – e verifica a conformidade com estas regras.

Devido ao seu carácter disruptor, o Plan S provocou uma forte reação por parte de alguns editores e foi catalisador de muitas discussões e mal-entendidos. Subsistem algumas práticas de desinformação relativamente à retenção do copyright, aos períodos de embargo, tentativas de “desvio” da publicação para revistas híbridas ou de dissuasão de os autores depositarem a versão final do autor num repositório.

Esta denúncia por parte da Coalition S deu ainda origem a uma declaração conjunta da CESAER, Science Europe e European University Association, que representam de mais de 880 universidades e centros de investigação, reafirmando que “é fundamental que os investigadores, universidades e outras organizações que realizam investigação divulguem e reutilizem os seus resultados de investigação sem restrições ou embargos” e apelando a esses editores para reconsiderarem a sua posição e a modernizarem-se, assegurando que desempenham o seu papel proporcionando condições justas e transparentes aos autores.

Antónia Correia

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

Tags: , ,

Categorias: blogue & notícias, internacional, recursos & referência

Comentários encerrados.