Apresentado estudo sobre os investigadores em Portugal e a sua relação com o acesso aberto à produção científica

. 2 de Outubro de 2012

A tarde do primeiro dia da 3ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto, presenteou os seus participantes com comunicações bastante pertinentes no domínio do Acesso Aberto, destacando-se a apresentação do estudo: “Os investigadores em Portugal e a sua relação com o acesso aberto à produção científica”, que desvelou dados preliminares sobre a perceção, opinião e prática dos investigadores em Portugal relativamente ao acesso aberto (Open Access) à literatura científica.

A terceira sessão da conferência foi estruturada em duas sessões paralelas que visaram a apresentação de projetos e experiências no domínio do Acesso Aberto no Brasil e Portugal. Numa das sessões foram apresentadas comunicações que evidenciaram projetos e iniciativas na área da interoperabilidade e repositórios de dados, nomeadamente:

  •  A realização do projeto OpenAIRE e o contributo de Portugal na infraestrutura open access para a investigação na Europa – Pedro Príncipe, Eloy Rodrigues, José Carvalho, Ricardo Saraiva;
  • Em busca do depósito automático da produção intelectual da USP no seu repositório institucional – Sueli Mara Ferreira, Josefina Perez, Camila Molgara Gamba;
  • Estrategias basadas en la interoperabilidad para la incorporación de contenidos a repositorios: el Grupo SONEX y el Proyecto UK RepositoryNet+ – Pablo de Castro, Peter Burnhill.

Na sessão paralela, as temáticas focaram-se em questões de direitos de autor e no impacto do Acesso Aberto:

  • Dispositivos legais e a salvaguarda do acesso público à informação e ao conhecimento no Brasil: historicidade, impactos e repercussões – Maria Aparecida Moura, Bruno Moreira de Moraes;
  • A imprecisão terminológica e textual na legislação brasileira e portuguesa de direito autoral – Bianca Amaro;
  • Viabilidade de aplicação do balanced scorecard à avaliação do desempenho de um repositório institucional – Maria Eduarda Pereira Rodrigues, António Moitinho Rodrigues;
  • Análise da extensão da edição em acesso aberto das revistas científicas espanholas de ciências sociais – Crispulo Travieso Rodriguez, Alberto Sal Agüero.

A conferência prosseguiu com apresentação de 32 posters, no decurso da sessão “O meu poster num minuto…“, que pela sua grande participação, dinâmica e heterogeneidade de temas constitui sempre um momento muito apreciado no decurso das conferências luso-brasileiras de Acesso Aberto.

Na última sessão do dia, os trabalhos centraram-se nas políticas e mandados de acesso aberto de instituições de ensino e I&D, com a apresentação de estudos e projetos de relevância, concretamente:

  • Os historiadores e publicação em acesso livre: visões da comunidade portuguesa – Cristina Guardado, Maria Manuel Borges;
  • Políticas e práticas de acesso aberto em Portugal: situação atual em relação a outros países do sul da Europa – Clara Boavida, Eloy Rodrigues;
  • Políticas pioneiras para implantação de repositórios – Tania Chalhub, Alegria Benchimol, Lena Vania Pinheiro;
  • Os investigadores em Portugal e a sua relação com o acesso aberto à produção científica – Clara Boavida, Eloy Rodrigues, José Carvalho, Pedro Príncipe, Ricardo Saraiva.

No final do dia, a apresentação de dados preliminares do estudo sobre os investigadores e a sua relação com o acesso aberto à produção científica em Portugal, suscitou bastante interesse e reações positivas entre os presentes. Neste particular, ficou registado o intento dos autores de divulgar e disseminar o relatório completo do estudo muito em breve, bem como a disponibilização dos dados recolhidos para a restante comunidade de Acesso Aberto para a sua posterior reutilização e estudo.

Ricardo Saraiva

Gestor do RepositóriUM - repositório institucional da Universidade do Minho.

Tags:

Categorias: blogue & notícias, nacional

Comentários encerrados.