SOBRE OS PROJETOS

FOSTER Open Science Training Handbook

FOSTER Open Science Training Handbook

Formações direcionadas e de qualidade são fundamentais quando se pretende uma mudança cultural no sentido da Ciência Aberta. Assim, no âmbito do projeto FOSTER Plus surgiu a ideia de elaborar um recurso que apoie os formadores e reforce as suas capacidades pedagógicas.

De 12 a 16 de fevereiro um grupo de 14 autores de diversas nacionalidades reuniu na Technische Informationsbibliothek (TIB) em Hannover, para compartilhar a sua experiência e técnicas de comunicação de princípios da Ciência Aberta e em 5 dias produzir um recurso educacional orientado para o ensino prático, que permita disseminar os conceitos da Ciência Aberta de forma mais eficaz.

Entre os autores selecionados encontra-se o Engº Pedro Fernandes, coordenador do Gulbenkian Training Programme in Bioinformatics do Instituto Gulbenkian de Ciência, que havia já criado o e-book Open Science, Open Data, Open Source: 21st century research skills for the life sciences.

A primeira versão draft do Open Science Training Handbook está aberta a comentários até dia 4 de março através do seguinte link: https://t.co/ZMsoKka7s2 . Conheça este recurso e faça-nos chegar o seu contributo!

Autor: Antónia Correia

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 20 de Fevereiro de 2018 Read More →
Publicado estudo OpenAIRE sobre “Barreiras legais à partilha de dados”

Publicado estudo OpenAIRE sobre “Barreiras legais à partilha de dados”

Recentemente foi publicado um estudo realizado no âmbito do projeto OpenAIRE2020 sobre barreiras legais à partilha aberta de dados – Proteção de Dados e Informação do Setor Público, no seu título original: Study on legal barriers to open data sharing – Data Protection and PSI.

Esta investigação tenta examinar de perto as barreiras legais na partilha de dados, no contexto do Open Research Data Pilot, da Comissão Europeia | Horizonte 2020. Aqui levantam-se duas questões legais para implementação de referido projeto: a Lei de Proteção de Dados e Informação do Setor Público (Public Sector Information – PSI).

Outra das questões pertinentes abordadas neste estudo refere-se à legislação sobre a Informação do Setor Público (PSI), em particular a diretiva (2003/98/EC), acerca da reutilização de PSI e posterior revisão (2013/37/EU), e o seu impacto no acesso e reutilização de materiais à guarda nas bibliotecas, incluindo nas bibliotecas universitárias.

 

 

Esta investigação encerra dando algumas recomendações, com o intuito de contribuir para uma melhor redefinição da situação legal dos Dados de Investigação, no que diz respeito:

  • à importância da definição de padrões e requisitos de anonimização (e harmonização);
  • à redução dos requisitos de consentimento, para fins de investigação específicos;
  • à extensão de alguns privilégios de investigação, de modo a não criar sobrecarga de informação associada a todo o processamento de dados;
  • a uma melhor definição dos fins da investigação e uma mudança na política europeia, no que toca à gestão de dados de investigação, de forma a potenciar uma harmonização na gestão, acesso e partilha mais coerente e legítima; por fim,
  • ao papel das bibliotecas universitárias neste contexto e da concorrência entre diferentes instituições, podendo fazer aumentar o acesso gratuito aos documentos, incluindo diretrizes de licenciamento.

As instituições de investigação e ensino superior devem definir qual a sua estratégia na acessibilidade dos dados de investigação, descrevendo-a de forma transparente e inequívoca. Questões associadas à interoperabilidade, à utilização de formatos e padrões abertos deverão igualmente ser preferidos.

No que toca a valores financeiros e à cobrança ou não, de taxas de acesso aos documentos, deverão ser as instituições e os Estados-Membro a tomar a dianteira nesta tomada de posição e definição de regras igualmente claras.

Autor: Paula Moura

Projetos Open Access | Universidade do Minho – Serviços de Documentação

By 9 de Fevereiro de 2018 Read More →
FOSTER Plus – o que se segue?

FOSTER Plus – o que se segue?

O projeto FOSTER Plus inicia o ano de 2018 com o desenvolvimento de um policy briefing intitulado Roadmap for Implementing Open Science Training Practices in Research Institutions. Este roteiro pretende responder ao recentemente publicado relatório da Comissão Europeia Providing researchers with the skills and competencies they need to practise Open Science , que indicia uma forte necessidade de conscientização sobre a Ciência Aberta e as oportunidades de formação existentes, nas áreas do acesso aberto e dos dados abertos.

No âmbito do projeto está a ser preparado um toolkit cobrindo variadas temáticas da ciência aberta, como publicação científica, dados científicos, peer review e métricas abertas, ética e proteção de dados, licenciamento, entre outras, que irá ser disponibilizado no portal FOSTER.

A próxima atividade planeada é o Book Sprint, que visa criar um manual de formação em Ciência Aberta. De 12 a 16 de fevereiro de 2018, 14 especialistas irão juntar-se em Hanôver para desenvolver um novo recurso pedagógico que dê aos formadores métodos, instruções, esquemas de formação, exemplos e inspiração para que possam criar os seus próprios recursos de Ciência Aberta.

Siga-nos no twitter em @fosterscience e esteja sempre a par das novidades!

Autor: Antónia Correia

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 6 de Fevereiro de 2018 Read More →
Novo projeto OpenAIRE-Advance arranca para promover o fortalecimento da Ciência Aberta na Europa e afirmar-se como um pilar da European Open Science Cloud

Novo projeto OpenAIRE-Advance arranca para promover o fortalecimento da Ciência Aberta na Europa e afirmar-se como um pilar da European Open Science Cloud

Janeiro de 2018 marca o início de uma nova fase para a infraestrutura Europeia de Ciência Aberta – OpenAIRE. Na reunião de arranque do novo projeto OpenAIRE-Advance que decorreu em Atenas, entre os dias 17 e 19 de janeiro, os 50 parceiros que constituem o consórcio europeu deste projeto H2020, reafirmaram o compromisso de apoiar o cumprimento dos requisitos de Open Access e Open Data da Comissão Europeia e fortalecer o desenvolvimento da Ciência Aberta no espaço europeu de investigação.

OpenAIRE-Advance Kick-off meeting – Atenas, 17 de Janeiro de 2018

A infraestrutura de Ciência Aberta para a Investigação na Europa que o OpenAIRE preconiza, segue o mesmo modelo e estrutura em funcionamento nos últimos anos, composta por uma rede humana, com representantes em 34 países europeus (National Open Access Desks), e uma infraestrutura técnica baseada numa rede de repositórios de publicações e dados e outros sistemas de gestão de informação científica e académica (mais de 1000 fornecedores de dados da Europa e outras regiões do mundo). O OpenAIRE continuará nos próximos três anos a trabalhar no sentido de tornar a Ciência Aberta uma realidade plenamente assumida e implementada na Europa.

O projeto OpenAIRE-Advance trabalhará no fortalecimento da Ciência Aberta na Europa de acordo com as seguintes linhas de orientação:

  1. Consolidar e otimizar os serviços digitais OpenAIRE

O portfólio de serviços OpenAIRE será melhorado de forma a refletir as necessidades dos seus utilizadores. Através da implementação de aplicações integradas digitais (dashboards para repositórios, projetos, financiadores, comunidades de investigação e instituições) cujo objetivo primordial é envolver todas as partes interessadas na cadeia da investigação científica, criando assim o Observatório Europeu da Ciência Aberta.

  1. Reforçar a ação da rede de Secretariados Nacionais de Ciência Aberta

Através do reforço de competências dos 34 secretariados nacionais responsáveis pelo apoio à Ciência Aberta, espinha-dorsal do OpenAIRE, incrementando a sua representatividade, conferindo-lhes aptidões para que alcancem uma posição estratégica no seu país, apoiando o alinhamento de políticas de Ciência Aberta e Infraestruturas de informação científica e dados de investigação.

  1. Fortalecer a assimilação da Ciência Aberta em comunidades de investigadores

O OpenAIRE irá trabalhar estreitamente com três nós nacionais de infraestruturas de investigação de âmbito internacional (Elixir-GR, EPOS-IT, DARIAH-DE). Pretende-se criar ligações estratégicas com estas comunidades de investigadores numa abordagem inovadora de Ciência-Aberta-como-Serviço que será desenvolvida nos próximos três anos de projeto.

  1. Promover mudanças emergentes no universo da comunicação científica

Construir a mudança a partir dos repositórios digitais, vistos como a fundação de uma infraestrutura distribuída e uma rede global de Ciência Aberta. O OpenAIRE será o suporte e apoio à nova geração de repositórios, com novas tecnologias e funcionalidades.

  1. Criar uma Rede de Ciência Aberta à escala Global

O OpenAIRE propõe-se trabalhar com parceiros congéneres em diferentes regiões do mundo (América latina, Japão, EUA, Canadá, África) no sentido do alinhamento de políticas, práticas e serviços realmente globais e interoperáveis no sistema de comunicação científica e académica.

  1. Promoção da Ciência Aberta mais além dos laboratórios

Trabalhando com professores e alunos a partir de uma rede com cerca de 10.000 escolas de 2º e 3º ciclo, o OpenAIRE lançará as bases para que jovens estudantes cientistas cidadãos possam aproveitar os benefícios da Ciência Aberta. O OpenAIRE executará também um programa de Inovação Aberta para aproximar a infraestrutura OpenAIRE da industria, tornando os resultados de investigação disponibilizados no sistema de informação OpenAIRE relevantes para empresas e indústria.

  1. Colaborar com o projeto EOSC-hub com vista à concretização e implementação da European Open Science Cloud

O OpenAIRE irá cooperar com o projeto EOSC-hub, que integra EGI, EUDAT e INDIGO cloud, com vista à criação de um conjunto de serviços interoperáveis e integrados para corresponder as necessidades dos investigadores no contexto da European Open Science Cloud.

Por último, a União Europeia beneficiará do esforço empreendido pelo projeto OpenAIRE-Advance de 2018 a 2020, uma vez que este visa liderar uma evolução cultural no sentido da Ciência Aberta, através da disponibilização de serviços funcionais e relevantes que permitirão realizar investigação e divulgar os seus resultados de uma forma mais transparente e eficiente, beneficiando por um lado o investigador e por outro a sociedade como um todo.

Os Serviços de Documentação da Universidade do Minho são o ponto de contacto em Portugal do OpenAIRE e enquanto parceiros do projeto OpenAIRE-Advance assumem a coordenação da rede de secretariados nacionais da região sul da Europa e são ainda os responsáveis pela gestão dos serviços de formação e helpdesk, colaborando em diferentes áreas de desenvolvimento técnico da infraestrutura.

Mais informação em http://openaire.eu/advance.

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access – OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 1 de Fevereiro de 2018 Read More →
Iniciativas FOSTER Plus em 2017

Iniciativas FOSTER Plus em 2017

O projeto FOSTER Plus, iniciado em maio deste ano, tem já algumas iniciativas para apresentar! Convidamo-lo a conhecer e divulgá-las:

Webinars FOSTER em colaboração com o OpenAire na semana do Acesso Aberto de 2017: poderá revê-los ou consultar as apresentações no endereço https://www.openaire.eu/openaire-foster-open-access-week-2017-webinars.

Portal: o portal FOSTER foi desenvolvido e apresenta um novo layout e funcionalidades. Nesta plataforma encontram-se materiais de formação para todos os que queiram saber mais sobre Ciência Aberta, partindo do nível básico para o mais avançado, no âmbito geral ou de disciplinas específicas.

Open Science Cafe: foi desenvolvido um baralho de cartas com afirmações sobre ciência aberta que pretende funcionar como um desbloqueador de conversa e permitir a troca de ideias entre diferentes stakeholders. Poderá consultar e descarregar as instruções de uso e materiais aqui: https://www.fosteropenscience.eu/node/2074 .

FOSTER Plus (Fostering the practical implementation of Open Science in Horizon 2020 and beyond) é um projeto que visa contribuir para uma mudança real e duradoura no comportamento dos investigadores europeus, de modo a colocar em prática os princípios da Ciência Aberta. Para atingir esse objetivo, o projeto visa construir e fortalecer a capacidade de formação, desenvolvendo e oferecendo novos materiais e atividades.

Fique atento pois 2018 trará mais novidades!

Autor: Antónia Correia

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 18 de Dezembro de 2017 Read More →

ÚLTIMOS RECURSOS

Apresentações disponíveis: Bibliotecas Universitárias: o presente no futuro

Apresentações disponíveis: Bibliotecas Universitárias: o presente no futuro

Encontram-se já disponíveis as apresentações da Conferência – Bibliotecas Universitárias: o presente no futuro, evento realizado pelos Serviços de Documentação da Universidade do Minho no dia 16 de fevereiro de 2018.

A Conferência teve como objetivo encerrar o ciclo comemorativo dos 25 anos da Biblioteca Geral a qual reflete um percurso que, desde o seu início, se afirmou como Espaço de Conhecimento Aberto para Todos.

Pretendeu-se que fosse um espaço de debate e partilha de experiências e projetos emergentes, juntando especialistas internacionais e profissionais portugueses para refletir sobre o presente e o futuro das bibliotecas universitárias e de ensino superior.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 23 de Fevereiro de 2018 Read More →
Rumo ao futuro: os repositórios da próxima geração

Rumo ao futuro: os repositórios da próxima geração

A Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR), publicou o relatório do grupo de trabalho sobre repositórios da próxima geração “Behaviours and Technical Recommendations of the COAR Next Generation Repositories Working Group”.

Em abril de 2016, a Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) lançou o Grupo de Trabalho Repositórios da Próxima Geração para identificar novas funcionalidades e tecnologias para repositórios. O relatório agora publicado, apresenta os resultados do trabalho deste grupo, incluindo recomendações para a adoção de novas tecnologias, normas e protocolos que ajudarão os repositórios a tornarem-se mais integrados no ambiente da web e lhes permitirão alargar o seu papel no ecossistema de comunicação académica.

Na COAR, acreditamos que a rede globalmente distribuída de mais de 3000 repositórios pode ser alavancada para criar um sistema de comunicação académica e científica mais sustentável e inovador, ultrapassando os constrangimentos e limitações do sistema atual que é dominado por um pequeno grupo de editores comerciais. Coletivamente, os repositórios podem fornecer uma visão abrangente da investigação em todo o mundo e, simultaneamente, permitir que cada investigador e instituição participem na rede global de investigação científica e académica.

A criação de serviços adicionais, como métricas de uso padronizadas, comentários, revisão por pares e funcionalidades de redes sociais “por cima” de uma rede global confiável de repositórios tem potencial para oferecer uma alternativa viável ao sistema atual, tornando-o mais centrado nos interesses da investigação (maximizar a disseminação, aumentar a eficiência e minimizar/otimizar os custos), aberto e favorável à inovação e, last but not least, dirigido e gerido pela comunidade académica.

Um componente importante desta visão é que os repositórios fornecerão acesso a uma ampla variedade de resultados de investigação, criando condições para que uma maior diversidade de contribuições para o registo académico seja acessível e também formalmente reconhecido nos processos de avaliação da investigação.
A visão da COAR está alinhada com outras, como a apresentada no Future of Libraries Report do MIT, que estão a definir um novo papel para as bibliotecas no século XXI. Um papel que envolve uma mudança das bibliotecas focadas na aquisição e disponibilização de conteúdos para os seus utilizadores locais, para bibliotecas que garantam a curadoria, valorização, disseminação e partilha com o resto do mundo dos resultados da investigação realizada pelas suas instituições e comunidades.

Nos próximos meses a COAR pretende, para além de disseminar o relatório agora publicado e fomentar a rápida a adoção das suas recomendações pelas principais plataformas de software para repositórios, promover a atualização das recomendações, criando condições e usando as ferramentas (nomeadamente o GitHub) que permitam o envolvimento permanente da comunidade.

Autor: Eloy Rodrigues

Diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho

By 30 de Novembro de 2017 Read More →
Conteúdos do Webinar OpenAIRE sobre “Open Access to publications in H2020”

Conteúdos do Webinar OpenAIRE sobre “Open Access to publications in H2020”

No âmbito da Semana do Acesso Aberto de 2017 (23 a 29 de Outubro), foi apresentado por Eloy Rodrigues (Universidade do Minho) e Najla Rettberg (Universidade de Goettingen) o webinar Open Access to publications in H2020 . Poderá revê-lo aqui ou consultar a apresentação no slideshare https://www.slideshare.net/OpenAIRE_eu/open-access-week-2017-open-access-to-publications-in-h2020.

A disponibilização dos resultados de investigação em acesso aberto traz benefícios palpáveis para a ciência, promovendo e acelerando o progresso da investigação e evitando duplicação de esforços; para a economia, acelerando a inovação; e para a sociedade, tornando a investigação acessível a cidadãos e organizações sem fins lucrativos.

Com base nestes pressupostos, todas as publicações resultantes de projetos financiados pelo Horizonte 2020 devem ser tornadas acessíveis online, de forma gratuita, de modo a permitir o acesso a investigadores, empresas e cidadãos.

Neste webinar são abordadas as condições a observar para que esta disponibilização seja efetuada de forma a cumprir todos os requisitos desta entidade financiadora, no que respeita à escolha do repositório, versão da publicação a publicar, e disponibilização do texto integral das publicações.

É ainda demonstrado como o OpenAire pode auxiliar, agregando dados de diversas fontes; interligando dados, autores, instituições e projetos; permitindo a monitorização da compliance das políticas por parte das entidades financiadoras; permitindo a interoperabilidade entre sistemas; e fomentando a descoberta e acesso a toda esta informação.

 

Autor: Antónia Correia

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 29 de Novembro de 2017 Read More →
3.º Fórum GDI: apresentações e gravações

3.º Fórum GDI: apresentações e gravações

No dia 6 de novembro, realizou-se o 3.º Fórum de Gestão de Dados de Investigação na Universidade do Minho, em parceria com a FCT-FCCN e a Secretaria de Estado para a Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o qual contou com cerca de 100 participantes.

Neste fórum contámos com a presença de Mark D. Wilkinson do Centro de Biotecnologia e Genómica de Plantas UPM-INIA (CBGP), Universidade Politécnica de Madrid, um dos autores do artigo The FAIR Guiding Principles for scientific data management and stewardship, que fez uma brilhante apresentação sobre “The Fair Data Principles”.

Assistimos ainda a sete Flash Talks que nos revelaram o panorama nacional relativamente à gestão de dados científicos e três workshops com bastante informação útil sobre este tema.

Pode ver ou rever as apresentações e as gravações no site do Fórum GDI, clicando aqui. As fotografias do evento estão disponíveis no Flickr.

Autor: Carla Marques

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 9 de Novembro de 2017 Read More →
Webinars OpenAire e FOSTER – Open Access Week 2017

Webinars OpenAire e FOSTER – Open Access Week 2017

No âmbito da Semana do Acesso Aberto de 2017, que se realizou na semana passada, de 23 a 29 de Outubro, o projeto OpenAIRE realizou vários webinars em estreita colaboração com o projeto FOSTER+, os quais obtiveram mais de 400 utilizadores registados.

O webinar que decorreu no primeiro dia da Open Access Week foi subordinado ao tema: “Natural Sciences and Open Science: Workflows and tools for publishing, licensing, versioning, identifiers, archiving, software…” e foi apresentado por Ivo Grigorov (FOSTER+) e Jon Tennant (ScienceOpen). Poderá assistir à gravação do mesmo através do seguinte link: https://webinars.eifl.net/2017-10-23_OpenAIRE_OA_Week_Mon23PM/index.html ou visualizar os slides apresentados: https://www.slideshare.net/OpenAIRE_eu/open-science-in-natural-sciences-workflows-and-tools ou https://www.fosteropenscience.eu/content/natural-sciences-and-open-science-workflows-and-tools.
Neste webinar são apresentadas aos investigadores das áreas das ciências naturais, várias soluções publicação em livre acesso, seja por via de revistas científicas em open access que não cobram taxas, revistas que cobram taxas low cost ou através do auto-arquivo em repositórios institucionais.

No segundo dia, pudemos assistir ao webinar que Toni Hermoso (CRG) e Guillaume Fillon (CRG) apresentaram, com o tema:  “Life Sciences and Open Science: Workflows and tools for publishing, licensing, versioning, identifiers, archiving, software…”, o qual poderá rever aqui: https://webinars.eifl.net/2017-10-24_OpenAIRE_OA_Week_Tue24PM/index.html, para poder conhecer a realidade da publicação em livre acesso na área das Ciências da Vida, bem como o uso de software de open source nesta área do conhecimento. Os slides apresentados encontram-se disponíveis para visualização: https://www.slideshare.net/OpenAIRE_eu/oa-week-webinars-openairefoster-24102017-life-sciences-and-open-sciences-worfkflows-and-tools ou https://www.fosteropenscience.eu/content/life-sciences-and-open-science-workflows-and-tools.

Para finalizar a semana do Acesso Aberto, na quinta-feira foi transmitido o webinar “Humanities and Open Science: Workflows and tools for publishing, licensing, versioning, identifiers, archiving, software.” Laurent Romary (Inria, DARIAH) e Marie Puren (Inria) explicam-nos as diversas vantagens de publicar em livre acesso. Na sua apresentação têm as Humanidades como principal foco, mas todos os conceitos apresentados são aplicáveis a todas as áreas do conhecimento. Pode ver ou rever no seguinte link: https://webinars.eifl.net/2017-10-26_OpenAIRE_OA_Week_Thu26PM/index.html. Os slides encontram-se disponíveis para consulta aqui: https://www.slideshare.net/OpenAIRE_eu/openaire-webinars-during-oa-week-2017-humanities-and-open-science ou https://www.fosteropenscience.eu/content/open-access-practice-humanities.

Autor: Carla Marques

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 2 de Novembro de 2017 Read More →