SOBRE OS PROJETOS

Quer trabalhar connosco na promoção da Ciência Aberta?

Quer trabalhar connosco na promoção da Ciência Aberta?

 

Quer trabalhar no projeto RCAAP e em outros projetos internacionais de grande relevância no domínio do acesso aberto e da ciência aberta? Pode ter essa oportunidade connosco, no Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

Encontra-se aberto um procedimento concursal para dois lugares de técnico superior para trabalhar nos Serviços de Documentação da Universidade do Minho na execução do projeto RCAAP e outros projetos europeus no domínio dos repositórios digitais, do acesso aberto à literatura científica, da gestão de dados de investigação e da ciência aberta.

 

Informação:
Abertura de procedimento concursal para preenchimento de dois postos de trabalho – categoria de Técnico Superior – Refª CTTC-26/17-SD(2).

Torna-se público que se encontra aberto, até ao dia 22-11-2017, processo de recrutamento para a contratação de pessoal na modalidade em regime de contrato de trabalho a termo resolutivo certo, ao abrigo do Código do Trabalho, para os Serviços de Documentação.

As candidaturas deverão ser formalizadas de acordo com o Anúncio (PDF).

Autor: Eloy Rodrigues

Diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho

By 18 de Novembro de 2017 Read More →
Atividade Open Access da UMinho partilhada em programa de mobilidade BAD

Atividade Open Access da UMinho partilhada em programa de mobilidade BAD

No âmbito do Programa de Mobilidade da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas (BAD), o Gabinete de Projetos dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho tem vindo a receber colegas representantes de universidades nacionais desde 2014.

O ano de 2017 não foi exceção e dedicou os dias  09 e 10 de novembro ao tema: “Projetos Open Access da Universidade do Minho: do RepositóriUM à infraestrutura Europeia do Acesso Aberto”, contando com 2 participantes: Paulo J. Nunes e Manuel Moreno do ISPA e da Universidade de Lisboa, respetivamente.

O programa proposto teve como principal foco as atividades desenvolvidas pelo Gabinete de Projetos, que têm desenvolvido, ao longo dos últimos anos, um vasto trabalho na dinamização dos repositórios institucionais e no desenvolvimento do Acesso Aberto no panorama nacional e internacional.

Estes e outros programas que os SDUM têm vindo a acolher representam oportunidades cruciais para a troca de experiências profissionais e partilha de informação em virtude da melhor compreensão e disseminação do Acesso Aberto.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 13 de Novembro de 2017 Read More →
3.º Fórum GDI: apresentações e gravações

3.º Fórum GDI: apresentações e gravações

No dia 6 de novembro, realizou-se o 3.º Fórum de Gestão de Dados de Investigação na Universidade do Minho, em parceria com a FCT-FCCN e a Secretaria de Estado para a Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o qual contou com cerca de 100 participantes.

Neste fórum contámos com a presença de Mark D. Wilkinson do Centro de Biotecnologia e Genómica de Plantas UPM-INIA (CBGP), Universidade Politécnica de Madrid, um dos autores do artigo The FAIR Guiding Principles for scientific data management and stewardship, que fez uma brilhante apresentação sobre “The Fair Data Principles”.

Assistimos ainda a sete Flash Talks que nos revelaram o panorama nacional relativamente à gestão de dados científicos e três workshops com bastante informação útil sobre este tema.

Pode ver ou rever as apresentações e as gravações no site do Fórum GDI, clicando aqui. As fotografias do evento estão disponíveis no Flickr.

By 9 de Novembro de 2017 Read More →
Apresentações e vídeos: ConfOA 2017

Apresentações e vídeos: ConfOA 2017

Encontram-se já disponíveis as apresentações e os vídeos da 8ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto, evento que se realizou na Fiocruz – Fundação Oswaldo Cruz, em parceria com a FCCN, os Serviços de Documentação da Universidade do Minho e o IBICT, nos dias 4, 5 e 6 de outubro de 2017.

À semelhança do que tem vindo a acontecer, a edição deste ano superou as expectativas:

  • Apresentações:
    • 7 Comunicações
    • 36 Pechas Kuchas
    • 50 Pósteres
  • Participantes:
    • 275 participantes
    • 47 participantes no Workshop Gestão de Repositórios Integrados
    • 38 participantes np Workshop Gestão de Dados de Pesquisa: os princípios FAIR e as estratégias institucionais
  • Redes Sociais:
    • 22.207 alcance geral
    • 5604 pessoas alcançadas pelos vídeos
    • 620 visualizações na página
    • 1645 likes na página do Facebook da Conferência.
  • Trasnmissão:
    • 510 acessos, divididos por 20 estados do Brasil e 6 países.

Destaca-se também a abrangência dos temas abordados, sem descurar o histórico temático da conferência, ampliando-se o escopo do Acesso Aberto à Ciência Aberta.

A 8ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto reuniu as comunidades portuguesa e brasileira que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas, relacionadas com o acesso aberto ao conhecimento, através de repositórios e de revistas de acesso livre.

A próxima ConfOA terá lugar no ISCTE-IUL, em Lisboa, nos dias 2, 3 e 4 de outubro de 2018.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 13 de Outubro de 2017 Read More →
ConfOA afirma-se como o evento de Ciência Aberta no espaço lusófono: do Acesso Aberto à Ciência Aberta

ConfOA afirma-se como o evento de Ciência Aberta no espaço lusófono: do Acesso Aberto à Ciência Aberta

Nos passados dias 4, 5 e 6 de outubro teve lugar a 8ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Rio de Janeiro. Um evento de sucesso no número de comunicações e trabalhos apresentados, no número de participantes e envolvimento das instituições de investigação, mas igualmente na amplitude dos temas abordados no âmbito da Ciência Aberta.

O caminho de expansão da temática em debate na conferência foi claramente assumido nesta ConfOA 2017, ficando agora evidenciado que este já não é um evento apenas sobre repositórios e acesso aberto, é um espaço onde se pretende trabalhar as diferentes dimensões da Ciência Aberta, apresentado desenvolvimentos no domínio dos dados abertos, discutindo políticas integradas de promoção da ciência e inovação baseados nos princípios da ciência aberta, trabalhando os aspetos técnicos que conferem mais acessibilidade e interoperabilidade às ferramentas e sistemas que suportam a realização do acesso aberto às publicações e a outros produtos e resultados da investigação.

Os temas em debate no arranque e fecho da conferência são paradigmáticos da expansão em curso: o aprofundamento dos princípios FAIR para os dados, com o keynote de Barend Mons, e as recomendações para a próxima Geração de Repositórios com a conferência final de Eloy Rodrigues. Mas pelo meio houve muito mais sinais do alargamento do foco da ConfOA com a diversidade de trabalhos apresentados: dados governamentais abertos, gestão de dados de investigação, sistemas CRIS para gestão de ciência, integração de repositórios institucionais com outros sistemas de gestão de ciência, qualidade e internacionalização de revistas científicas de acesso aberto, importância da produção de livros de acesso aberto, recursos educacionais abertos, políticas de copyright e o acesso aberto, avaliação da investigação, comunicação científica e ciência cidadã… Por último, os workshops realizados, um sobre “Os princípios FAIR Data e as estratégias institucionais na Gestão de Dados”, por Barend Mons, GO FAIR e Pedro Príncipe da UMinho, e o outro dedicado à “Gestão de Repositórios Integrados”, por José Carvalho e Raquel Truta da UMinho e Tainá Assis do IBICT, revelam as necessidades de capacitação a desenvolver atualmente na comunidade luso-brasileira da ciência aberta. E vale a pena não esquecer que a sessão de abertura e consequente sessão sobre “Políticas de Acesso Aberto e Ciência Aberta em Portugal e no Brasil” teve como mote a assunção que atualmente o desafio é o de trabalhar os instrumentos para realizar a Ciência Aberta.

O caminho faz-se caminhando… e é isso mesmo que está acontecendo com a natural expansão em curso na temática da ConfOA – trabalhar em cooperação para mais ciência aberta no espaço de investigação lusófono.

Autor: Pedro Príncipe

Profissional de informação, documentação e comunicação. Actualmente nos serviços de documentação da Univ. Minho como gestor de projectos Open Access - OpenAIRE e OpenAIREplus. Formador de TIC. Vive com paixão!

By 10 de Outubro de 2017 Read More →

ÚLTIMOS RECURSOS

Atividade Open Access da UMinho partilhada em programa de mobilidade BAD

Atividade Open Access da UMinho partilhada em programa de mobilidade BAD

No âmbito do Programa de Mobilidade da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas (BAD), o Gabinete de Projetos dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho tem vindo a receber colegas representantes de universidades nacionais desde 2014.

O ano de 2017 não foi exceção e dedicou os dias  09 e 10 de novembro ao tema: “Projetos Open Access da Universidade do Minho: do RepositóriUM à infraestrutura Europeia do Acesso Aberto”, contando com 2 participantes: Paulo J. Nunes e Manuel Moreno do ISPA e da Universidade de Lisboa, respetivamente.

O programa proposto teve como principal foco as atividades desenvolvidas pelo Gabinete de Projetos, que têm desenvolvido, ao longo dos últimos anos, um vasto trabalho na dinamização dos repositórios institucionais e no desenvolvimento do Acesso Aberto no panorama nacional e internacional.

Estes e outros programas que os SDUM têm vindo a acolher representam oportunidades cruciais para a troca de experiências profissionais e partilha de informação em virtude da melhor compreensão e disseminação do Acesso Aberto.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 13 de Novembro de 2017 Read More →
CONFOA 2017 – Workshop – Repositórios Integrados

CONFOA 2017 – Workshop – Repositórios Integrados

No âmbito da oitava edição da Conferência Luso-brasileira de Acesso Aberto, foi organizado um workshop “Repositórios Integrados” com o contributo dos parceiros brasileiros do IBICT.

Este workshop visou sensibilizar os gestores de repositórios e gestores de ciência para a importância de dotarem os seus repositórios de protocolos de interoperabilidade para poderem comunicar e interagir com outros sistemas. Além disso reforçou-se a necessidade de implementarem diretrizes internacionais focadas numa linguagem comum de gestão e organização da informação científica.

Desta forma, será possível fortalecer as redes internacionais e o desenvolvimento de serviços baseados nessas redes de repostiórios e tornar o conteúdos dos investigadores mais visíveis no contexto global.

As apresentações do workshop estão disponíveis em: https://www.slideshare.net/ConfOA/workshop-repositrios-integrados 

Autor: José Carona Carvalho

Gestor de Projeto no Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Gestão dos serviços de informação, apoio e formação são as áreas de intervenção.

By 19 de Outubro de 2017 Read More →
Erasmus Staff Training: Espanha nas primeiras visitas de 2017 aos SDUM

Erasmus Staff Training: Espanha nas primeiras visitas de 2017 aos SDUM

De 13 a 17 de março de 2017 os Serviços de Documentação da UMinho deram as boas-vindas a duas colegas de Espanha, Isàvena Opisso Atienza da Universidade de Barcelona e Maria Amparo Cózar Santiago da Universidade de Navarra, em mais uma semana de Erasmus Staff Training.

erasmus.fw

A equipa dos Serviços de Documentação apresentou os projetos Open Access em que tem participado, quer a nível nacional (projeto RCAAP), quer a nível internacional com foco no projeto OpenAIRE. Já o RepositóriUM com destaque nos workflows, política institucional, procedimentos de monitorização e estatística, foi também apresentado neste intercâmbio profissional.

Como tem sido habitual nestes programas, também esta semana se tem revelado numa excelente oportunidade para troca de experiências profissionais e partilha de informação sobre diferentes realidades universitárias, em benefício do Acesso Aberto na Europa.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 17 de Março de 2017 Read More →
Próxima geração de repositórios institucionais: chamada para comentários públicos

Próxima geração de repositórios institucionais: chamada para comentários públicos

A Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) anuncia a publicação dos resultados iniciais do Grupo de Trabalho COAR Next Generation Repositories para comentários públicos.

COAREm abril de 2016, a COAR lançou um grupo de trabalho para identificar novas funcionalidades e tecnologias para os repositórios e desenvolver mecanismos para a sua adoção.

O objetivo é posicionar os repositórios como a base para uma infraestrutura distribuida, globalmente em rede para a comunicação académica, acrescentando serviços de valor acrescentado, transformando o sistema, tornando-o mais centrado na pesquisa, aberto e apoiante da inovação.

Subjacente a essa visão está a ideia de que uma rede distribuída de repositórios pode e deve ser uma poderosa ferramenta para promover a transformação do ecossitema, ou seja, a comunicação académica. Neste contexto, os repositórios permitirão o acesso a artigos publicados com uma ampla gama de informação, além de publicações tradicionais, tais como documentos de trabalho, imagens, entre outros.

O grupo de trabalho apresenta 12 testemunhos de utilizadores que deliniaram funcionalidades para os repositórios, os quais recomendamos, vivamente, que consultem e comentem: nextgenrepo.coar-repositories.org

Pretende-se ter um feedback generalizado da comunidade, pelo que, todos os comentários são importantes!

Os comentários ao público estão abertos de 7 de fevereiro a 3 de março de 2017.

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 13 de Fevereiro de 2017 Read More →
MCTES, em articulação com o MC, pretende criar um Diretório de Repositórios Digitais

MCTES, em articulação com o MC, pretende criar um Diretório de Repositórios Digitais

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em articulação com o Ministério da Cultura, está a criar um Diretório de Repositórios Digitais (DRD).

rdcO DRD (http://repositorios-conhecimento.pt) é uma infraestrutura digital criada com o propósito de identificar e constituir um referencial de acesso aos repositórios digitais de Portugal nas áreas da Ciência e da Cultura, no sentido de divulgar e estimular a utilização dos repositórios digitais, bem como promover a normalização técnica e práticas de preservação digital

Esta iniciativa reflete a política do governo no sentido da valorização da produção científica nacional, da promoção do conhecimento e da criação de condições para a sua partilha, a preocupação no sentido do reforço da responsabilidade cultural e patrimonial, em articulação com o enunciado conducente à adoção de uma política nacional de ciência aberta (http://www.ciencia-aberta.pt/pnca), contemplando a promoção e a difusão da cultura científica e tecnológica e a cooperação internacional, nomeadamente com os países de língua oficial portuguesa.

A primeira fase deste projeto – identificação e caracterização dos repositórios digitais pertencentes a instituições de ciência e cultura – decorre até 30 de janeiro, estando disponível um formulário para recolha de dados.

Qualquer pedido de esclarecimento deverá ser enviado para repositorios-conhecimento@mctes.gov.pt

Autor: Raquel Truta

Membro da equipa de projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho.

By 5 de Janeiro de 2017 Read More →